Dr. Jorge Huberman

Como cortar as unhas do bebê: dicas e alertas

Como cortar as unhas do bebê faz parte da lista de dúvidas dos pais de primeira viagem. O medo de causar acidentes neste processo é uma das maiores preocupações da família. Por isso, é preciso tirar dúvidas frequentes e deixar algumas dicas e alertas relacionados ao assunto.

As unhas do bebê costumam nascer grandes. No entanto, elas são finas e flexíveis, tornando-se difícil a possibilidade de machucar a pele dele nos primeiros dias de vida. No entanto, essa delicadeza pode dificultar o corte quando chegar a hora, tornando-se necessário um cuidado maior durante o processo.

Algumas crianças que acabam passando do tempo gestacional na barriga da mãe, tendem a nascer com unhas maiores que o normal. Em casos como esse, é necessário ter uma atenção maior, afinal existem possibilidades dos nenês se arranharem.

Por conta disso, umas das principais perguntas feitas pelos pais é: quando cortar as unhas de um recém-nascido. A resposta: não existe tempo certo! No entanto, é recomendável esperar que elas endureçam mais para diminuir o risco de acidentes. Esse processo pode demorar entre três e quatro semanas.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman, aconselha: “Nos primeiros dias de vida, justamente pelo fato de serem muito macias, acabam dificultando o corte, aumentando as chances de ocorrerem acidentes. Por esse motivo, é mais prudente aguardar cerca de 10 dias de vida para realizar o primeiro corte”.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre cortar as unhas do bebê
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre cortar as unhas do bebê (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Contudo, a Biblioteca Nacional da Saúde dos Estados Unidos, órgão de referência em todo o mundo, aconselha escolher lixar as unhas de um recém-nascido em vez de cortá-las. Mas, para isso, é necessário utilizar lixas suaves e específicas para crianças dessa faixa etária.

Para saber quais lixas adequadas deve-se usar, existem modelos específicos para crianças que são suaves e resistentes a lavagens. Outra dica, é optar por aquelas que possuem estojo de armazenamento. Dessa forma, evitará que sujeiras externas sejam acumuladas.

Além disso, existem lixas elétricas que garantem agilidade e higiene neste processo. Aparelhos como esses costumam ser silenciosos, portanto não há risco de assustar as crianças. Também deixam as unhas macias, diminuindo o risco de causar arranhões na pele.

Caso os pais decidam escolher as tesouras, é recomendável utilizar modelos com pontas redondas e curvas, para que haja mais segurança durante o procedimento. Mas é sempre válido lembrar que caso não seja fácil ver a separação entre a unha e carne, é aconselhável evitá-las e optar pelas lixas.

É importante lembrar que cortadores de unhas de adultos não devem ser utilizados para as unhas dos bebês; existe um maior risco de acabar cortando a ponta dos dedos da criança.

Passo a passo de como cortar as unhas do bebê

Cortar as unhas do bebê de maneira errada pode causar problemas
Cortar as unhas do bebê de maneira errada pode causar problemas (Foto: Freepik)

O ideal é buscar um ambiente tranquilo e sem distrações para que a criança não fique agitada. Também garanta que ela esteja em uma posição confortável. Se ela ainda não estiver relaxada, faça este procedimento após um banho morno ou após a amamentação. Situações como essas costumam deixar o bebê mais calmo.

Para iniciar o processo, segure as mãos do nenê, pressionando a ponta do dedo para baixo, de forma que a unha fique visível para o corte. Deixe-a com o formato reto e não muito curto. Também evite arredondá-las para não ocorrer riscos de inflamação na região. Se possível, lixe os cantos, pois os arranhões poderão ser evitados.

Para garantir que o filho não se mexa tanto durante o procedimento, peça a ajuda de outra pessoa. Dessa forma, enquanto uma segura a mão do bebê, a outra poderá realizar os cortes com mais segurança. Outra dica é fazer isso durante a amamentação ou enquanto o pequeno estiver dormindo, mas, em casos assim, tenha cautela para não assustá-lo.

Também é importante segurar a mão do bebê com firmeza para evitar acidentes. No entanto, tome cuidado para não machucá-lo. Tenha a certeza de que ele está seguro e completamente confortável. Caso saia um pouco de sangue durante o corte, não se desespere! Coloque um pouco de pressão e pomada antibiótica para estancá-lo.

A frequência do corte das unhas do bebê varia entre sete a dez dias no caso das mãos. Já as unhas dos pés demoram um pouco mais para crescer, portanto devem ser aparadas em intervalos maiores como em um mês ou mais. Lembre-se que para fazer este procedimento tenha a certeza de que suas mãos estejam limpas, para evitar contaminação de bactérias.

Um erro comum entre os pais é colocar luvas nos filhos para impedir que eles se arranhem. No entanto, especialistas não recomendam esta prática. O acessório só deve ser utilizado para proteger as crianças do frio.

Os bebês costumam interagir e conhecer o ambiente em que estão através das mãos e as luvas acabam impedindo isso. O tato também auxilia durante a amamentação, afinal eles praticam a sucção quando levam o punho à região da boca.

Unhas encravadas: saiba como evitar e cuidar

Saiba com qual frequência cortar as unhas do bebê
Saiba com qual frequência cortar as unhas do bebê (Foto: Freepik)

Sim, isso acontece! Apesar da possibilidade de surgir nas unhas das mãos, elas costumam aparecer com maior frequência nos pés. Essa informação pode ser novidade para alguns pais, mas não se preocupe! Veja algumas dicas de como cuidar e evitar o problema.

Quando saber quando a unha do bebê está inflamada? Indícios de inchaço e vermelhidão na ponta dos dedos, notar se eles sentem desconforto ao tocar nesta região ou o aumento de temperatura na região. Além disso, em muitas situações, é possível visualizar secreção ou pus saindo debaixo da unha.

Como isso ocorre? Diferente dos adultos, as unhas encravadas em bebês não aparecem com o uso de sapatos apertados. As causas mais comuns são os erros na hora de cortá-las.

Por esse motivo, é necessário atenção durante o processo. Corte bem as unhas em formato reto e não as deixe redondas. Evite meias, macacões e bodies que acabam apertando os pés da criança.

Além disso, molhar a região inflamada com água morna e sabão, duas a três vezes por dia pode ajudar na recuperação. Contudo, é recomendado usar pomadas apropriadas indicadas por um pediatra.

Unhas longas podem quebrar com mais facilidade, propiciando as inflamações. Portanto, tenha o costume de cortá-las com frequência. Se a criança já souber andar, deixe-a descalça dentro de casa, quando o clima estiver agradável.

Lembre-se que o cuidado com as unhas das crianças é tão importante como qualquer outra coisa. Se este procedimento não for realizado da maneira correta, elas estarão sujeitas a contrair doenças e infecções.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701

Blog Jorge Huberman