Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Teste do olhinho: o que é e qual a sua importância?
Nenê sorri deitado; teste do olhinho: o que é, qual sua importância ao bebê?

Teste do olhinho: o que é e qual a sua importância?

Após o nascimento, tudo é novo para o bebê, até mesmo o ato de ver. Assim como andar e falar, o desenvolvimento do sistema visual e o ato de enxergar são aprendizados para o recém-nascido e que merecem muita atenção. A respeito desse assunto, muitos pais trazem aos consultórios de pediatria a dúvida; teste do olhinho: o que é e qual a sua importância?

Nos primeiros meses de vida, o bebê enxerga apenas alguns vultos e a partir do sexto mês de idade, consegue ter uma visão semelhante à dos adultos.

Por isso, para garantir que este processo seja saudável e sem problemas, é necessário realizar o teste do olhinho

O que é o teste do olhinho? 

O famoso teste do olhinho ou teste do reflexo vermelho é a primeira experiência de um exame oftalmológico do bebê, mas é feito por um pediatra.

O objetivo desta triagem é examinar de forma simples se a visão da criança, mesmo que precocemente, apresenta alguma alteração ou sinais de doenças que podem ser previamente diagnosticadas. 

Como é feito o teste do olhinho?

Ele é super simples, indolor e rápido, geralmente dura apenas 5 minutos.

O exame é feito em uma sala escura, e o pediatra, com uma pequena luz, realiza o diagnóstico através do aparelho chamado Oftalmoscópio.

O mesmo auxilia o médico a analisar a retina do bebê e a identificar alterações na estrutura.

Além disso, também ajuda a perceber se o reflexo do olhinho está com uma cor diferente do que é comum –  avermelhado ou alaranjado. 

Sabe quando revelamos aquelas fotos e alguns reflexos dos olhos estão vermelhos? Esta ação é muito semelhante ao que acontece no teste do olhinho, onde este reflexo em vermelho é classificado como comum para a qualidade da visão, pois a luz está refletindo a cor da retina. 

Nesse sentido, os recém-nascidos ainda não conseguem abrir os olhos com facilidade, e por isso, em alguns casos, o médico utiliza uma dilatação bem simples da pupila, que não prejudica o bebê.

Quando a criança é um pouco maior e mais desenvolvida, a ponto de abrir os olhos com facilidade, a dilatação da pupila não é necessária. 

“Após esse exame, as crianças devem fazer o seu primeiro exame oftalmológico completo aos 3 anos”, diz o pediatra Jorge Huberman.  

“A menos que o oftalmologista dê outra sugestão, os pequenos devem continuar a fazer exames oftalmológicos em intervalos de dois anos”, explica o neonatologista Jorge.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman durante parto; os pequenos devem continuar a fazer exames oftalmológicos em intervalos de dois anos
O pediatra e neonatologista Jorge Huberman durante parto; os pequenos devem continuar a fazer exames oftalmológicos em intervalos de dois anos

Teste do olhinho: o que é e qual a sua importância? Saiba de todos os prazos para os exames

Todo bebê deve fazer o teste ainda na maternidade dentro de 48 horas após o parto. Se por algum motivo o teste não for realizado dentro deste período, é importante fazê-lo o quanto antes.

Porque assim, é possível dar início a um procedimento junto ao oftalmologista em caso de diagnósticos incomuns. Afinal, é melhor prevenir do que remediar. 

Então, não espere o bebê apresentar sintomas ou algum tipo de dificuldade para levá-lo em um pediatra ou oftalmologista. A recomendação geral, é sempre antecipar qualquer tratamento, principalmente quando falamos da visão. 

Nenê coça o olho em sua caminha: não espere o bebê apresentar sintomas ou algum tipo de dificuldade para levá-lo a um pediatra ou oftalmologista
Nenê coça o olho em sua caminha: não espere o bebê apresentar sintomas ou algum tipo de dificuldade para levá-lo a um pediatra ou oftalmologista (Foto: Freepik)
Diagnósticos feitos no teste do olhinho

Certamente são inúmeros os sintomas que podem ser precocemente diagnosticados no teste do olhinho. O pediatra que realiza o procedimento procura detectar algum tipo de obstrução no eixo visual.

Os maiores enfoques são para catarata congênita, glaucoma congênito, hemorragias, miopias de grau elevado e até mesmo a retinoblastoma (câncer ocular que começa na parte de trás do olho). 

Além disso, o exame pode apontar possíveis infecções como toxoplasmose, rubéola congênita, Zika vírus, entre outros.

Por isso, o exame é previamente feito seguido do acompanhamento com o pediatra. 

Contudo, é importante entender que o teste do olhinho possui a função de início de diagnóstico com relação aos sintomas.

A partir dele, o pediatra recomendará que os pais busquem um oftalmologista para que possam ter maiores informações, análises e exames mais precisos. 

Dados sobre a importância da triagem 

Um dado muito importante da Agência Internacional de Prevenção à Cegueira, órgão ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS), alerta que, por ano, 33 mil crianças deixam de enxergar por conta de doenças oculares. 

Esse tipo de diagnóstico não existiria se todos os bebês passassem pela triagem do teste do olhinho. Ainda segundo a OMS, 80% de todos os casos de cegueira poderiam ser evitados, caso fossem detectados precocemente. 

Quando encaramos estes números, entendemos o grau de importância do teste do olhinho em absolutamente todas as crianças.

Cuidados após o teste do olhinho

Após o teste do olhinho, a proteção e cuidado com a criança devem ser mantidas. Já em casa, a dica é que os pais vejam alguns sinais que o pequeno pode apresentar ao longo do primeiro ano. 

Atualmente, com o avanço das tecnologias, por exemplo, as crianças estão cada vez mais cedo com celulares e tablets em mãos. Neste caso, seu filho precisa se aproximar muito de alguma tela para ter a interação, isso pode significar um alerta. Perceba também como o pequeno se relaciona com objetos próximos e cores.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.