Dr. Jorge Huberman

  >  adolescentes   >  Suicídio na adolescência: fique atento!
Suicídio na adolescência: fique atento!

Suicídio na adolescência: fique atento!

Suicídio na adolescência: fique atento!

Esse sempre foi tratado com muito cuidado pela imprensa de modo geral. Porém, nos últimos tempos, o assunto vem ganhando cada vez mais destaque e deixou de ser um tabu. E tem que ser assim mesmo, principalmente em se tratando das crianças e dos jovens.

É cada vez mais frequente a notícia de que um jovem tentou ou, de fato, executou, um suicídio.

Os adultos também têm visto o sofrimento psíquico dos jovens de modo mais atento. Também não é para menos: segundo levantamento da Universidade de São Paulo, entre 2006 e 2015, a taxa de suicídio entre adolescentes no Brasil aumentou quase 25% neste período.

Suicídio é a segunda principal causa de morte na faixa entre 15 a 29 anos

E o ato de atentar contra a própria vida já é a segunda principal causa de morte na faixa entre 15 a 29 anos de idade. Sem dúvida alguma, um fator muito assustador. É por isso que o suicídio na adolescência é um tema que gera controvérsia

No mundo, a taxa de suicídio aumentou cerca de 13% nos últimos anos.

Porém, dividindo-se em faixas etárias, o maior número de suicídios está entre os 10 a 19 anos de idade, principalmente meninos.

Entre os adolescentes, atualmente, é comum que eles se cortem de forma superficial e realizem outras automutilações.

É a sua maneira de manifestar dor, inconformismo, sofrimento. Trata-se ainda de uma falta de paciência para dar conta das adversidades da vida e dos desafios que são enfrentados durante a juventude.

Estamos falando de um fenômeno cada vez mais frequente! Cabe a nós estramos preparados para lidar com os jovens, com estas angústias e enfrentar de frente este grave problema que nos preocupa muito!

Como sabemos, mudanças no comportamento habitual de um adolescente é algo que ocorre com frequência.

Eles estão em constante mudança de humor ou têm em diversas fases, um comportamento impulsivo.

Isso faz parte do cotidiano deles. Não há como, neste período da vida, eles terem um bom controle dos impulsos.

Contudo, os pais devem sempre ficar de olho, se preocuparem se o adolescente passa dias trancado em seu quarto, não sai para nada, às vezes nem para comer, ou mesmo se tem seu rendimento na escolar piorando.

Do mesmo modo, também causa preocupação o menino ou menina que antes era sociável e agora é um isolado, dentro de sua ilha imaginária. E que, ainda pior, faz postagens ou declarações fazendo muita referência à morte, de falta de sentido da vida.

Neste caso, pode ter certeza: o jovem não está somente em um mal-estar passageiro. Isso é, algo de mais sério está acontecendo com ele e cabe aos seus pais perceberem isso. Os mesmos devem ter sempre um olhar mais atento ao que seus filhos estão fazendo, andam vendo, como se comportam.

E, principalmente, tomar cuidado com os adolescentes que ficam muito tempo isolados e às vezes não permitem ter acesso ao que está acontecendo no íntimo deles.

Boa parte das pessoas que sofre de depressão não se suicida, mas quando são analisados os casos de suicídio, percebe-se que um dos problemas frequentes enfrentados por essa pessoa, somado a outros problemas, é a depressão.

O suicídio não se explica por só uma causa. Não está certo tentar explicar o suicídio de um jeito simples, até porque ele é um fenômeno mais do que complexo. Mas é fato que a depressão é um dos fatores encontrados com mais frequência entre as pessoas que, infelizmente, se atentaram contra a própria vida.