Dr. Jorge Huberman

Sono das crianças: a importância de dormir bem

Ao longo de toda a vida, dormir bem é essencial, mas durante a infância o sono das crianças adquire uma importância ainda maior.

Isso porque é enorme a quantidade de conexões cerebrais que ocorre na fase infantil. A todo o momento, bebês e crianças têm contato com novos estímulos e experimentam sensações diferentes. E é por meio de um sono de qualidade que essas vivências serão revertidas em aprendizado.

Mas não apenas o desenvolvimento emocional e cognitivo é beneficiado pelo sono, que também contribui para um crescimento saudável.

Se durante a vida adulta o recomendado é dormir em torno de 8 horas para manter a saúde em dia, no caso dos bebês e crianças a média diária de sono é bem maior, podendo chegar a até 17 horas, incluindo as sonecas ao longo do dia.

Para que o sono das crianças seja efetivamente reparador e contribua para o bom desenvolvimento infantil, mais do que prezar pela quantidade de horas dormidas é fundamental priorizar a qualidade do sono.

Isso pode ser feito através de uma rotina bem estabelecida que inclua hábitos relacionados à higiene do sono, um conjunto de práticas que têm como objetivo preparar o corpo e a mente para o descanso.

O pediatra .Jorge Huberman em seu consultório em Moema: “Avós são amor que nunca envelhece e sabedoria que nunca acaba
O pediatra .Jorge Huberman em seu consultório em Moema: prestar atenção à iluminação e à temperatura são cuidados importantes para garantir um sono de qualidade

De que formas o sono de qualidade contribui para a saúde das crianças?

De acordo com a National Sleep Foundation, dormir bem é tão importante quanto manter uma alimentação saudável e bons hábitos de higiene, e isso por diversos motivos.

Em primeiro lugar, o sono das crianças permite que o cérebro absorva e organize todos os estímulos recebidos ao longo dia, transformando experiências em aprendizados.

Isso significa que para que possam aprender a engatinhar, falar, segurar objetos, entre outros marcos do desenvolvimento infantil, as crianças precisam dormir bem.

Quando começarem a frequentar a escola e a adquirir conhecimento, o sono também exercerá um papel fundamental para as crianças, consolidando todo o conteúdo aprendido ao longo do dia, favorecendo a memória e a concentração.

O sono influencia ainda no desenvolvimento físico infantil, pois é no período de descanso que ocorre o pico de produção e liberação do GH, o hormônio do crescimento.

No escritório de casa, menina aparenta cansaço enquanto faz sua lição da escola
Criança sonolenta enquanto faz lição de casa: a privação de sono pode comprometer o desempenho escolar

Quando a criança dorme mal, aumentam as chances de ela desenvolver problemas emocionais como ansiedade, irritabilidade e déficit de atenção.

O desempenho escolar também pode ficar comprometido, pois a privação de sono impacta negativamente na atenção, raciocínio e criatividade.

Outros problemas que a falta de sono pode causar são obesidade e uma altura que não condiz com o que era esperado.

O tempo mínimo de sono em cada faixa etária

Logo que nascem, os bebês ainda não possuem o sistema neurológico totalmente desenvolvido, o que impacta a produção de melatonina.

Por isso, é comum que bebês com poucos meses de vida acordem facilmente após poucas horas de sono, por estarem com fome ou com a fralda suja.

À medida que a criança vai crescendo e o relógio biológico amadurece, os períodos de sono vão se tornando mais estáveis e previsíveis.

Em geral, esse é o tempo que bebês e crianças precisam dormir para que tenham um descanso de qualidade. Lembrando que entre recém-nascidos e crianças pequenas, as horas de sono podem ser divididas em sonecas ao longo do dia.

  • Até 3 meses: entre 14 e 17 horas
  • Entre 4 e 11 meses: de 12 a 15 horas
  • De 1 a 2 anos: entre 11 e 14 horas
  • De 3 a 5 anos: entre 10 e 13 horas
  • Dos 5 aos 13 anos: de 9 a 11 horas
Bebê dorme em seu berço
Bebê dormindo no berço: com o relógio biológico ainda em desenvolvimento, bebês acordam várias vezes durante o sono

Embora exista uma média diária de sono recomendada para cada faixa etária, é importante salientar que não apenas a quantidade, mas principalmente a qualidade do sono deve ser levada em consideração.

Manter uma rotina e adotar hábitos de higiene do sono contribui para a produção de melatonina, hormônio responsável por controlar o ciclo circadiano, ou o relógio biológico do nosso corpo.

Caso surjam dúvidas sobre o tempo ideal de sono, ou como garantir que a criança durma melhor, o ideal é buscar orientações com o pediatra.

Como garantir que as crianças durmam bem

Para garantir que as crianças acordem dispostas e o desenvolvimento cognitivo, emocional e físico dos pequenos não seja comprometido, estabelecer uma rotina para o sono é muito importante.

Cochilos

Entre os recém-nascidos, a criação de uma rotina pode acontecer logo na segunda semana de vida.

É importante que os bebês consigam distinguir o dia da noite. Durante o dia é indicado manter janelas abertas e permitir que a criança se acostume aos ruídos normais da casa, como telefone e aspirador de pó.

À noite, a casa deve ficar mais tranquila, com as luzes baixas e os pais em um ritmo mais calmo.

De acordo com o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, ambientes mais frescos colaboram para a indução do sono. “A temperatura ambiente ideal para o sono das crianças é entre 20 e 21°. Ajuste-a de maneira que fique agradável para o seu filho sem aquecê-lo muito”, diz.

A rotina também deve se estender aos cochilos, garantindo que aconteçam sempre no mesmo horário e preferencialmente não no fim da tarde, para que não atrapalhem o descanso noturno.

Ritual do sono

Mãe lê um livro de conto de fadas para sua filha pequena
Mãe lê um livro para sua filha pequena na cama: manter um ritual do sono contribui para a criança dormir melhor

Adotar um ritual para a hora de dormir permite que a criança tenha um sono de qualidade. A primeira recomendação é colocar a criança para dormir sempre no mesmo horário, inclusive aos finais de semana.

Algumas horas antes, os pais devem ajudar seus filhos a já entrarem no ritmo de descanso. Dar um banho quente e incentivar brincadeiras mais tranquilas, como quebra-cabeças e blocos de montar, são atitudes muito úteis.

Com a criança já deitada na cama, cada família pode criar seus próprios hábitos para uma noite mais tranquila, seja com a leitura de um livro ou um momento de oração. O importante é mantê-los diariamente, e com atenção plena na criança.

“Acolha e tenha tempo de qualidade com o seu filho quando acordado. Ao encaminhá-lo para dormir, transmita segurança de que sempre estará por perto quando precisar”, reforça o Dr Jorge Huberman.

O pediatra fala ainda sobre a iluminação mais indicada para o quarto dos pequenos: “o hormônio responsável pela indução do sono é produzido na ausência de luz. Portanto, use da escuridão total para melhorar o sono do seu filho”, sugere.

Hábitos prejudiciais

A exposição à luz impede a produção de melatonina, por isso não é recomendável que a criança veja TV ou use o celular antes de dormir.

A má alimentação também pode impactar na qualidade do sono. Alimentos muito gordurosos, açucarados ou à base de cafeína, como chás e refrigerantes, devem ser evitados à noite.

Quando as crianças têm pesadelos ou episódios de insônia, a primeira reação de muitos pais é levá-las para dormir em suas camas no quarto de casal, mas essa atitude não deve ser incentivada.

Para marcar uma consulta com o Dr Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.

Blog Jorge Huberman