Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Saiba como identificar e aliviar as cólicas do bebê
Saiba como reconhecer quando o seu bebê está com cólica

Saiba como identificar e aliviar as cólicas do bebê

Saber como identificar e aliviar as cólicas do bebê são preocupações frequentes entre os pais de primeira viagem. Mas isso não é motivo de desespero! Afinal, elas são contrações da musculatura abdominal e são comuns nos primeiros três meses de vida de uma criança.

Essas dores geralmente aparecem logo nas primeiras três semanas após o nascimento da criança, e costumam acontecer por três dias na semana, durando entre uma e três horas.

Muitos acreditam que esse fator está relacionado ao leite materno. Mas isso não é verdade! No início da vida, o sistema digestivo do bebê ainda está em desenvolvimento, por este motivo é comum aparecerem sintomas de dor e desconforto.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman explica que o estado emocional da mãe interfere na saúde do bebê. “O nível de satisfação com o relacionamento e de suporte social que uma mulher recebe pode interferir na chance de seu filho sofrer mais ou menos de cólicas, segundo pesquisadores norte-americanos. Eles encontraram uma associação significativa entre esse incômodo, comum nos primeiros meses de vida, e o estado emocional das mães, em especial as de primeira viagem”, explica.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre conversar sobre cólicas do bebê
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre conversar sobre cólicas do bebê (Foto: Kesher )

Além disso, refluxos, gases e intolerância a alguns alimentos podem ser outras das razões que levam ao aparecimento das cólicas. Especialistas afirmam que a exposição à fumaça do cigarro também pode estimular as dores frequentes.

A alimentação da mãe também é de extrema importância para a saúde do filho. Por esse motivo, é preciso sempre estar de olho nos alimentos que são ingeridos durante o período de amamentação, como: feijão, chocolate, brócolis, couves, couve-flor, pimenta, nabo, pepino, lentilhas, ervilhas e quaisquer outros que sejam propícios a desenvolver gases.

Apesar disso, especialistas consideram que também possam existir outros fatores desconhecidos que levam ao desconforto abdominal nesta idade. No entanto, além das principais causas citadas acima, outras ainda estão sendo estudadas pela medicina.

E como os pais podem saber que o bebê está sentindo cólicas? É possível reconhecer os sinais por meio do choro da criança. O mesmo se mostra mais agudo e o nenê fica com o rosto mais avermelhado. Ademais, é comum que o bebê faça movimentos de encolher e esticar as pernas, mexer os braços, fechar as mãos e contorcer o corpo durante o desconforto.

Também pode-se identificar, verificando se a barriga do filho está inchada e com excesso de gases. Afinal, as cólicas do bebê também podem aparecer por mais vontade de arrotar após a amamentação ou por conta do ar que pode ser engolido durante o choro, gerando mais dores.

Como aliviar as cólicas do bebê?

Saiba como aliviar as cólicas do bebê
Saiba como aliviar as cólicas do bebê (Foto: Freepick)

Para amenizar as dores desenvolvidas pelas cólicas em um recém-nascido, é necessário massagear a região da barriga em movimentos circulares, utilizando um creme hidratante ou óleo infantil.

Outra prática recomendada por especialistas, é o de empurrar as pernas dobradas em direção ao abdômen do bebê ou com movimentos de bicicleta, comprimindo a barriga de maneira sutil. Lembrando que para realizar esse procedimento, é preciso que o filho esteja deitado de barriga para cima.

Preparar um banho morno entre 36ºC e 37ºC, também poderá amenizar os sintomas de cólica do bebê. O processo é capaz de facilitar o fluxo sanguíneo pelo corpo e relaxar a musculatura da criança.

Também é recomendado colocar uma compressa de água morna no local do desconforto utilizando, de preferência, uma bolsa térmica. No entanto, para isso, é preciso tomar cuidado para não ficar muito quente e evitar queimaduras.

Diante disso, é notório que a temperatura está relacionada ao bem-estar da criança. Por esse motivo, o contato com o calor da pele dos pais, também pode ser um remédio para o incômodo. Além de amenizar as dores, a iniciativa poderá trazer maior conforto ao filho, podendo relaxar toda a sua musculatura.

Além disso, é válido lembrar de sempre colocar o recém-nascido para arrotar após a mamada pois os gases podem ser grandes vilões para o seu sistema digestivo, quando o assunto é dor. Caso a estimulação de liberar dos gases não funcione, usar medicamentos que auxiliem nesse processo pode ser uma boa opção. Mas para isso, um pediatra deve ser consultado.

Todos os procedimentos citados acima podem ser realizados de maneiras individuais ou em combinação, dependendo do nível de desconforto que o bebê esteja sentindo. Procure acalmar a criança, caso ela esteja muito irritada. Dessa forma, se tornará mais fácil diminuir os sintomas de maneira natural.

Alimentos que podem ajudar a diminuir as cólicas do bebê

Alguns alimentos podem diminuir o desconforto causado pelas cólicas do bebê
Alguns alimentos podem diminuir o desconforto causado pelas cólicas do bebê (Foto: Freepick)

Uma excelente opção para cuidar das cólicas, são chás de erva-doce com camomila. Essas plantas são ricas em prostaglandina, substância capaz de diminuir as dores. Entretanto, é importante ressaltar que essa prática deve ser realizada apenas em bebês que já foram desmamados e após a consulta com o pediatra.

Além disso, o Chá de Funcho também é utilizado para amenizar as contrações. Ele possui propriedades relaxantes, digestivas e antiespasmódicas, que acalmam os espasmos musculares do intestino, responsáveis pelas cólicas.

Já àqueles que ainda mamam no peito, é sugerido que as próprias mães façam a ingestão destes chás, para que as proteínas essenciais possam ser passadas aos bebês por meio do leite.

Além das formas de ingestão, também podem ser utilizados óleos dessas plantas para passar na barriga do bebê. A pele poderá absorver os nutrientes, diminuindo a irritação e o incômodo gerado pelas dores.

Caso seu filho esteja acostumado a beber leite adaptado, uma sugestão é substituí-lo por outros que não possuam substâncias que possam causar cólicas, sendo ricos em probióticos. Mas não tome qualquer iniciativa antes de consultar um pediatra.

Se a dor persistir, e todos os procedimentos citados já tenham sido feitos, é necessário procurar por um médico. Especialmente se existirem vômitos frequentes, diminuição da amamentação e urina, perda de peso e irritação constante.

Contudo, na maior parte dos casos, não é necessário a visita frequente ao pediatra para essas situações. Afinal, as cólicas em bebês são normais e costumam ser passageiras. Mas se a criança apresentar sofrimento intenso por muito tempo e as cólicas ultrapassarem os seis meses de vida, não hesite em levá-lo para uma avaliação médica.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.