Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Quando devo levar o bebê ao pediatra?
Quando devo levar o bebê ao pediatra?

Quando devo levar o bebê ao pediatra?

Uma das perguntas mais frequentes que as pessoas costumam fazer após o parto é: quando devo levar o bebê ao pediatra?

O ideal é que a visita ao médico ocorra até 5 dias depois do seu nascimento. A segunda consulta ao especialista deve ocorrer até 15 dias após a criança ter vindo ao mundo. Esses atendimentos iniciais, principalmente, estão dentro do conceito chamado de consulta de puericultura.

Trata-se de um importante acompanhamento médico, detalhado, realizado pelo pediatra.

Em primeiro lugar, o médico tem que avaliar e acompanhar o desenvolvimento da criança, ou seja: ganho de peso, amamentação, o crescimento e também o calendário de vacinação.

A frequência das consultas do bebê ao pediatra deve ser seguida deste modo:

Após os dois primeiros atendimentos iniciais, logo no início de vida, o nenê deve visitar o pediatra quando tiver 30 dias de idade. Entre os 2 meses e os 6 meses de idade, tem que ir mensalmente para ser consultado.

Depois disso, o intervalo aumenta. O bebê tem que ir a cada dois meses, até fazer 1 ano de idade. A partir dessa fase, deve ser consultado a cada 90 dias, até que complete 2 anos de idade. Após esse período, o pediatra deve vê-lo a cada semestre (até que esteja com seis anos de idade). Entre os 6 e os 18 anos de idade, recomenda-se ir então a cada doze meses.

Hábito de levar o filho ao pediatra não deve ser encerrado!

Como pode-se notar, o número de consultas diminui até que se chega a somente um atendimento por ano.

Procedendo-se desta maneira, certamente a prevenção de doenças será uma das metas atingidas. Na verdade, antes mesmo do nascimento, a gestante já deve ter um pediatra neonatologista para cuidar do seu filho. Principalmente para obter orientações sobre o crescimento da futura criança.

Levar o nenê ao pediatra com regularidade é fundamental para garantir o bom desenvolvimento dele. Contudo, esse acompanhamento não pode parar depois dos primeiros anos de vida.

Pelo contrário: deve seguir até a fase adulta.

Vale lembrar que existem casos em que o pediatra precisa pedir uma frequência maior de visitas, caso alguma alteração seja observada por ele ou pelos pais da criança.

É sempre ter importante em mente: logo após o bebê nascer, a ida ao pediatra se transforma em um compromisso firme e frequente na agenda de todos os familiares.

Do mesmo modo também são muito importantes o exame pré-natal e, depois, o teste do pezinho.

É importante escolher, logicamente, um profissional confiável pois o mesmo irá acompanhar todo o processo de desenvolvimento do bebê, desde criança, até chegar a fase adulta. E, fora isso, irá tirar todas as dúvidas sobre o seu nenê.

Outros motivos para levar o nenê ao pediatra

Além das consultas frequentes ao pediatra, é importante ir ao médico quando a saúde do bebê apresentar alguns desses sintomas.

Febre alta, maior que 38ºC, que melhora tomando remédios ou que sobe depois de algumas horas. Respiração rápida, dificuldade ou chiado ao respirar; vômito frequente após as refeições; recusa em se alimentar ou vômito que dura mais de 48 horas; expectoração amarela ou verde; acima de três diarreias diárias.

Choro fácil e irritação sem motivo aparente; cansaço, sonolência e falta de vontade de brincar; pouca urina ou urina concentrada e com cheiro intenso.

Ao exibir alguns destes sintomas, é fundamental levar a criança ao pediatra pois ela pode ter desenvolvido um processo infeccioso, na garganta ou urinária, por exemplo. Ou, ainda, um processo de desidratação. Se for assim, é importante ser tratado o mais rápido possível.

Se vomitar ou tiver diarreia com sangue, queda ou choro intenso que não passa, o ideal é que leve o bebê de forma imediata ao pronto-socorro, já que estas situações são urgentes e exigem tratamento imediato.

Mas se, normalmente, os pais costumam seguir à risca a rotina de consultas e exames nos dois primeiros anos de vida do bebê, é bem comum que depois disso só retornem ao pediatra quando a criança mostra algum sintoma visível.

Embora isso seja habitual, a falha dessa prática é que ela foca somente em um problema que poderia ter sido evitado se as visitas ao consultório tivessem sido respeitadas. 

É papel dos pais, porém, entenderem que levar seus filhos ao médico é uma atitude preventiva.

A fase final do crescimento e a fase que antecede a adolescência são de fundamental importância, pois além da puberdade, há aspectos afetivos e comportamentais que podem prejudicar a sua saúde.

Há que se lembrar que o papel do pediatra é garantir que a criança e, depois, o adolescente, se torne um adulto forte e saudável.

Se isso parece exagero, é essencial relembrar que, cada vez mais, surgem casos de crianças com diagnóstico tardio, com enfermidades que poderiam ser prevenidas ou tratadas a tempo, caso fosse feito um acompanhamento frequente. 

Sem dúvida alguma, a dúvida “quando devo levar o bebê ao pediatra” está esclarecida!