Dr. Jorge Huberman

Quando a criança deve largar a chupeta?

Dar ou não a chupeta para os bebês é uma dúvida muito comum entre os pais. Quando usado em excesso, o acessório pode sim causar prejuízos aos dentes e até mesmo contribuir para o desenvolvimento de problemas no ouvido.

Por outro lado, a chupeta é um recurso muito útil para acalmar os bebês, já que os pequenos encontram no hábito de sucção uma forma de ficarem mais tranquilos.

Como explica o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, “para a criança, a sucção é importante, pois ajuda a satisfazer as necessidades psicológicas e nutricionais. Os bebês não têm a satisfação nutricional apenas durante a alimentação, mas também experimentam o estímulo progressivo dos lábios, língua e mucosa bucal e aprendem a associar esses estímulos a outras sensações agradáveis, como o carinho, o aconchego e a voz da mãe”.

Dr Jorge: escolha do pediatra ideal pode ser por indicação
O neonatologista Jorge Huberman ao lado da paciente Analua, que usa uma chupeta: o pediatra explica que a sucção é um hábito muito importante para as crianças

Quando a criança fica o tempo todo com a chupeta, inclusive enquanto come ou fala, este pode ser um sinal de que o pequeno está dependente do acessório e recomenda-se incentivar a criança a largar a chupeta.

Não existe uma resposta certa sobre o momento mais adequado para que a criança abandone a chupeta, no entanto, quanto mais cedo acontecer o desmame, melhor. De preferência nos primeiros meses de vida.

Caso isso não aconteça, o ideal é que a criança largue a chupeta entre 1 e 2 anos de idade. Depois disso, a formação dos dentes já estará mais avançada, o que pode comprometer a formação da arcada dentária da criança.

À medida que a criança vai crescendo, o ato de chupar chupeta vai se tornando cada vez mais um hábito, e fica mais difícil convencer o pequeno a largar o acessório com o qual ele já está acostumado.

Mais importante que saber a hora certa de retirar a chupeta da rotina do seu filho é entender que existe um período contraindicado para o uso do acessório. Até o primeiro mês de vida, o bebê não deve receber a chupeta, evitando prejudicar a amamentação e os problemas relacionados, como desnutrição.

Chupeta faz mal?

A chupeta muitas vezes é vista como vilã do desenvolvimento infantil, mas o acessório possui alguns benefícios, como diminuir a agitação e a ansiedade da criança e evitar que ela chupe o dedo.

Além disso, a chupeta só costuma trazer prejuízos para a saúde da criança quando é usada por muito tempo.

Caso a criança só use a chupeta quando precisa se acalmar ou na hora de dormir, os riscos de problemas de saúde são mínimos. O problema acontece quando a criança está o tempo todo com o acessório na boca, enquanto fala, come, brinca, assiste TV etc.

Meninas em um sofá brincam com um computador infantil enquanto são observadas pela mãe. As duas estão usando chupeta
Duas crianças usando chupeta brincam com um computador no sofá da sala: o perigo da chupeta está em usá-la com muita frequência e intensidade

Em situações como essas, o uso da chupeta pode influenciar no desalinhamento dos dentes e no mau desenvolvimento da arcada dentária. Quando a chupeta é adoçada com mel, o perigo está no surgimento de cáries.

O uso excessivo da chupeta também pode comprometer a mastigação e causar problemas respiratórios, incentivando a respiração pela boca. Isso pode até mesmo prejudicar a fala.

Inclusive a dor de ouvido pode ser mais frequente nas crianças que chupam chupeta o tempo todo.

Para evitar que a chupeta prejudique o desenvolvimento do seu filho, além de restringir o uso do acessório para momentos específicos e por pouco tempo, prestar atenção a alguns detalhes na hora da compra também pode ajudar.

Por exemplo, dar preferência às chupetas ortodônticas, que possuem um formato semelhante ao mamilo da mãe e diminuem as chances de problemas dentários. Com relação ao material, o ideal é optar pelas feitas de silicone, que são mais higiênicas e duráveis.

Sabendo dos benefícios e contraindicações, os pais ficam mais preparados para escolher se irão ou não dar chupeta para a criança. Seja qual for a opção da família, é importante que ela seja compartilhada com o pediatra de confiança.

Dicas para a criança largar a chupeta sem traumas

As crianças costumam encontrar na chupeta um apoio para os momentos difíceis. Por isso, a retirada do acessório da rotina da criança deve ser feita com calma e de forma gradual, evitando que o pequeno fique traumatizado.

O ato de largar a chupeta também não deve coincidir com outros momentos importantes na vida da criança, como o início das aulas.

Em alguns casos, a criança larga a chupeta por conta própria. Se isso não acontecer, algumas dicas podem ajudar os pais a desestimularem o uso da chupeta.

Diante de um fundo amarelo, uma menina pequena abraça um ursinho de pelúcia
Menina brinca com um ursinho de pelúcia: oferecer um brinquedo em troca da chupeta pode ajudar a criança a largar o acessório
  • Para que a criança não se sinta desamparada, inicialmente a chupeta pode ser substituída por um brinquedo, uma história de ninar ou um paninho
  • Os pais podem fazer um combinado com a criança de que a chupeta terá um momento certo para ser usada, somente na hora de dormir, por exemplo
  • A criança pode ser estimulada a largar a chupeta com o oferecimento de uma recompensa, como um presente simples ou um passeio em família
  • É possível combinar um dia do mês para que a criança largue a chupeta e fazer uma contagem regressiva até o dia chegar
  • Em vez de falar que é feio usar chupeta, os pais podem dizer à criança que ela já está crescida para usar o acessório
  • Para que se sinta encorajada, é importante fazer elogios sempre que a criança conseguir ficar sem a chupeta

Para marcar uma consulta com o Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.

Blog Jorge Huberman