Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Qual melhor posição para o bebê dormir?
Qual a melhor posição para o bebê dormir?

Qual melhor posição para o bebê dormir?

Todo dia tem a hora da despedida e aí os pais sempre se perguntam: qual a melhor posição para o bebê dormir? O conceito sobre deixar o bebê nessa posição ou naquela posição vem mudando de alguns anos para cá.

Em primeiro lugar, nas décadas de 70 e 80 o “certo” era o nenê, recém-nascido, dormir de barriga para baixo. A compreensão naquele tempo era que isso iria fortalecer a sua coluna e a cabeça iria se firmar melhor sobre o pescoço.

Contudo, atualmente, a orientação é o contrário disso. Durante o sono, a melhor posição para o bebê dormir é de barriga para cima!

A explicação faz sentido. De lado ou de bruços, ele respira o mesmo ar que expirou. Ou seja: com muito gás carbônico e pouco oxigênio.

Isso não é recomendado para o bom funcionamento do corpo. Pelo contrário: pode “facilitar” a temida morte súbita.

De lado, a posição é muito instável e eles podem rolar ou ficar de barriga para baixo, o que pode ser perigoso.

Uma dica importante, para evitar o refluxo, que pode incomodar algumas crianças é subir o colchão do berço e deixar a cabeça mais elevada do que os pés. É fundamental os pais subirem um pouco o colchão, ou até já comprarem um colchão com certo de grau de inclinação.

Essa preocupação em não deixar seu filho adormecer de barriga para baixo deve ocorrer em seu primeiro ano de vida. Após essa fase, caso ele vire, certamente o nenê já consegue se desvirar sem ajuda, e o risco de um acidente fatal se encerra.

Quando aprendem a se virar sozinhos, devem ser deixados na posição que adotam naturalmente.

Outra dica é: tome sempre cuidado com a respiração do bebê e evite o refluxo.

Bebês devem dormir de barriga para cima!

Bebê dormindo de barriga para cima: posição sempre recomendada por especialistas

A mesma recomendação, que eles devem dormir de barriga para cima é compartilhada pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). A Síndrome da Morte Súbita no Lactente (SMSL) atinge bebês aparentemente saudáveis e é absolutamente inesperada.

De acordo com a SBP, a posição correta, de dormir de barriga para cima, reduz em até 70% os riscos de morte súbita por asfixia. Isso ocorre pois quando o bebê dorme de barriga para baixo, recebe menos oxigênio ou elimina gás carbônico com menos eficiência.

A recomendação da SBP é para que os nenês durmam em seu próprio berço, e não na cama dos pais. A mesma orientação

é dada pelo pediatra e neonatologista, Jorge Huberman. O Dr Jorge orienta que o bebê não deve dormir na cama dos pais pois acidentes podem ocorrer. A sua recomendação é que eles podem ficar ou em um quarto próximo ou então com o berço perto da cama dos pais.

Isso pode facilitar o socorro se algum incidente ocorrer. Outra dica é que o colchão tem que ser bem firme e adaptado ao berço, coberto por um lençol. Se o colchão for mole, o nenê pode afundar e seu rosto ficar encoberto, prejudicando a respiração, o que é terrível para a sua saúde.

É possível também usar berços móveis para transportar o bebê pela casa e deixá-lo sempre por perto.

Caso cubra a criança, o ideal é prender o lençol ou o cobertor ao redor do colchão, para que fique firme e não corra o risco de cobrir o rosto do nenê. Deixe sempre os bracinhos dele para fora da coberta.

Cada criança deve ter seu próprio berço

Se tiver mais de um filho, é fundamental que cada um tenha o seu próprio berço.

Falando em cobrir, o recomendado é evitar agasalhar muito o nenê na hora de dormir, já que isso dificulta os movimentos e pode superaquecê-lo.

A temperatura do quarto deve ser agradável.

Jamais coloque o berço onde ele está dormindo perto do ar condicionado, de janelas abertas ou então de outras fontes de frio ou calor.

Da mesma forma, não coloque protetores de berço, fraldas, almofadas, travesseiros, brinquedos e outros objetos no berço que possam tapar sua cabeça e causar eventualmente até asfixia.

Bebê deve dormir sempre nessa posição: de barriga para cima, evitando assim muitos acidentes e até de correr certos riscos.