Dr. Jorge Huberman

Qual é o momento ideal para o bebê sair de casa?

Quando um filho nasce, é sempre um momento de comemoração para a família. Na maioria das vezes, os pais não veem a hora de apresentar a criança aos amigos e parentes. No entanto, muitos ainda questionam qual é o momento ideal para o bebê sair de casa. Por esse motivo, vamos tirar as principais dúvidas a respeito deste assunto.

A saúde do bebê, especialmente nos primeiros meses de vida, é normalmente considerada como estando em um grau vulnerável. Isso ocorre porque o sistema imunológico da criança ainda não está maduro o suficiente para combater microorganismos provenientes de outras pessoas.

É importante lembrar que mesmo imunizado, o sistema imunológico do recém-nascido ainda é muito frágil no primeiro ano de vida. “As vacinas só protegem em relação às principais doenças. Entretanto, ainda há uma infinidade de vírus e bactérias que não são afetados pela vacinação. Uma gripe comum em um adulto pode trazer prejuízos graves à saúde de uma criança”, explica o pediatra e neonatologista Jorge Huberman.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre quando o bebê sair de casa
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre quando o bebê sair de casa (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Por esse motivo, é necessário um cuidado especial. Entretanto, a primeira vez que o bebê sair de casa deve ser para um pediatra, afinal essas visitas são necessárias para direcionar os pais sobre o que deve ser feito nos primeiros 15 dias da criança.

Especialistas afirmam que não existe um tempo exato para que um recém-nascido saia de casa para desfrutar o ar livre pela primeira vez. Cada médico irá avaliar a condição do bebê e da mãe. Mas, de maneira geral, a indicação costuma ser realizada a partir do segundo ou terceiro mês de vida do nenê.

Nesse período, o bebê já tomou as primeiras doses das vacinas obrigatórias que ajudam a prevenir doenças infectocontagiosas. Por isso, também é sempre importante estar atento ao calendário de vacinação.

Apesar de todos estes cuidados, realizar passeios com o filho não deve ser motivo de medo para os pais, se já estiver tomando todos os cuidados necessários. Essas saídas podem trazer diversos benefícios para a saúde física, emocional e social da criança.

Para onde levar o bebê para passear?

Quando o recém-nascido começar a sair de casa, é recomendável frequentar lugares tranquilos e ao ar livre. Deixar com que a criança tenha contato com a natureza desde cedo, ajuda no desenvolvimento cognitivo e físico.

Passear, ajuda a aguçar a curiosidade, fazendo com que o pequeno aprenda sobre o mundo de maneira mais rápida. A exposição a informações relacionadas à natureza também auxilia nas primeiras falas do bebê.

Além disso, as habilidades físicas da criança podem ser desenvolvidas mais facilmente, isso porque, frequentar locais abertos ajuda a fortalecer os ossos, musculatura e também auxilia na coordenação motora.

Outro benefício é que o bebê pode ter melhores noites de sono. Afinal, o contato com os raios solares aumenta a produção de serotonina, que ajuda a ativar o bom humor e estabelecer padrões saudáveis para dormir. Mas é importante lembrar que o sol não pode estar muito forte, afinal, pode prejudicar a pele do seu filho.

Quando o bebê sair de casa evite que outras pessoas deem beijos em seu rosto
Quando o bebê sair de casa evite que outras pessoas deem beijos em seu rosto (Foto: Freepik)

A exposição ao sol também fortalece a imunidade. Tais ambientes também podem estimular a produção de anticorpos contra microrganismos e bactérias.

Contudo, procure sempre optar por passeios breves e próximos de casa. Visitar parentes e amigos também é uma excelente opção, afinal a mãe e o bebê poderão ter a liberdade de amamentar e descansar, se for preciso.

Em saídas assim é importante que a mãe ou o pai estejam sempre preparados, carregando na bolsa uma manta, troca de roupas, fraldas e outros acessórios de higiene para o recém-nascido.

Para isso, reserve um tempo antes de sair de casa. Separe tudo o que for necessário e certifique-se que o passeio seja aproveitado da melhor forma possível. Especialistas recomendam sair logo após a amamentação, para que o bebê esteja bem-humorado para desfrutar do passeio.

Cuidados necessários para quando o bebê sair de casa

De acordo com o artigo de rotinas para assistência ao recém-nascido e mães na maternidade, do Hospital São Lucas, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), os primeiros seis meses de vida devem ter todos os cuidados possíveis, evitando supermercados ou lugares superlotados, para que não haja o risco de a criança  contrair doenças infecciosas.

Quando o bebê sair de casa, tenha preferência por ambientes abertos, evite períodos do dia em que o sol esteja mais forte. Segundo o livro “Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade”, da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é recomendável sair em horários entre 7 e 10h da manhã e após às 16h.

No entanto, se não houver outra escolha, procure horários em que o ambiente esteja menos movimentado. Além disso, procure estar distante de lugares com fumaça de cigarro, carros ou até mesmo perfumarias.

Também é importante evitar sair com a criança em dias de muito frio e com fortes ventos. Essas condições climáticas poderão diminuir a imunidade do bebê, aumentando a chance de que ele fique doente.

Quando o bebê sair de casa é importante que ele tenha contato com a natureza
Quando o bebê sair de casa é importante que ele tenha contato com a natureza (Foto: Freepik)

Lembre-se sempre de agasalhar bem seu filho, garantindo que ele esteja protegido, especialmente no frio, caso resida em locais onde o inverno é mais rigoroso. Invista em luvas, meias e toucas para manter essas regiões do corpo da criança aquecidas.

Caso o passeio seja em um parque ou praça, por exemplo, leve um tecido para ser estendido no chão. Assim o pequeno não terá contato direto com as bactérias do local e também poderá observar o que está ao seu redor.

Não deixe que outras pessoas beijem ou toquem nas mãos e no rosto do recém-nascido. Isso ajuda na propagação de bactérias que não são convenientes para a saúde dele.

É válido ressaltar que os pais também precisam ter cuidados com a higiene das mãos, especialmente quando estiverem em ambientes externos. É preciso estar atento a esses detalhes até que a criança fortaleça o seu sistema imunológico.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701

Blog Jorge Huberman