Dr. Jorge Huberman

Metodologias de ensino: escolha a melhor escola para o seu filho

A escolha da melhor escola para os filhos, especialmente na Educação Infantil, é um dos maiores desafios enfrentados pelos pais. Entre as questões mais importantes a serem analisadas pela família para tomar a decisão estão as metodologias de ensino oferecidas.

Além do método de ensino tradicional, que é um dos mais adotados pelas escolas, existem pelo menos outros quatro que estão entre as metodologias mais populares.

A metodologia de ensino se refere ao modo através do qual acontece o processo de ensino e aprendizagem. A depender do método, a construção do conhecimento ocorre de formas distintas, considerando que cada metodologia tem visões diferentes sobre o papel de professores e alunos.

Vale dizer que não existe uma metodologia melhor ou pior, e sim aquela que combina com os valores da família e com a forma como os pais desejam que a criança aprenda e se desenvolva.

Além disso, nem sempre uma metodologia de ensino que funciona muito bem para algumas crianças necessariamente será a mais adequada para outras.

O ideal, nesse caso, é que a criança consiga se adaptar à metodologia escolhida e se sinta pertencente à escola.

Com relação à escolha da instituição de ensino, não apenas a proposta pedagógica precisa ser avaliada pelos pais. É importante que a família observe a infraestrutura da escola, quais as atividades extracurriculares oferecidas e as opiniões de pais e ex-alunos sobre o colégio.

Outras questões práticas, como localização da escola e valor da mensalidade, também podem ajudar no processo de decisão.

Quais as principais metodologias de ensino existentes?

Duas crianças estão em uma escola Waldorf e brincam em uma cozinha
Duas crianças brincam em uma estrutura de madeira: na metodologia waldorfiana, as crianças aprendem através de técnicas como música e culinária

Existem diversas metodologias de ensino oferecidas nos colégios pelo mundo afora, sendo essas abaixo as principais.

Metodologia tradicional

Um dos modelos mais adotados pelas escolas é a metodologia de ensino tradicional, no qual o professor é o detentor do conhecimento e a aprendizagem dos alunos acontece de maneira passiva, através de interações em sala de aula, leituras e exercícios.

Ao longo do período letivo são aplicadas avaliações orais ou escritas para determinar se o conteúdo foi definitivamente assimilado pelo aluno. Há uma pressão por notas altas e aqueles que não atingem o desempenho esperado são reprovados ou precisam passar por atividades de recuperação.

Metodologia construtivista

Ao contrário da metodologia tradicional, no método construtivista o aluno está no centro do processo de aprendizagem. Os professores, por sua vez, atuam como facilitadores do ensino, oferecendo as ferramentas necessárias para que o aluno se desenvolva.

Nessa metodologia de ensino, entende-se que cada criança tem o próprio tempo de aprendizagem e para que cada aluno seja orientado de forma mais próxima, as turmas construtivistas são reduzidas. Além disso, não há avaliações. 

Metodologia montessoriana

Assim como no método construtivista, na metodologia montessoriana as crianças também são protagonistas do processo de aprendizagem, com os professores assumindo o papel de observadores.

Nesse caso, é por meio da observação dos professores que os alunos são avaliados sobre como estão se desenvolvendo e o que pode estar prejudicando a aprendizagem.

O currículo das escolas montessorianas é multidisciplinar e segue três pilares principais: educar para a paz, educar pela ciência e educação cósmica (respeito à natureza).

Outro diferencial importante da metodologia montessoriana é que as turmas são mistas, com crianças de diferentes idades, valorizando a diversidade. Além disso, os objetos em sala de aula são deixados ao alcance dos alunos, possibilitando um aprendizado por meio dos sentidos.

Metodologia waldorfiana

Em vez de livros e apostilas, a metodologia waldorfiana aposta em recursos variados para o ensino, incluindo a mescla entre atividades teóricas e práticas, como aulas de dança, culinária, música e tricô.

A criatividade e a imaginação das crianças são constantemente estimuladas, sempre respeitando a individualidade de cada aluno.

Metodologia sociointeracionista

Na metodologia de ensino sociointeracionista, o trabalho em equipe é valorizado desde cedo, uma vez que o ensino é baseado nas atividades em grupo.

As crianças são incentivadas a interagir com os colegas na criação de projetos, e os professores assumem um papel de facilitadores do ensino coletivo.

Dr Jorge Huberman em seu consultório ao lado de uma menina pequena
O pediatra Jorge Huberman ao lado da pequena Mariana: ele explica que as áreas de interesse da criança devem ser levadas em conta na escolha da escola

No momento de definir qual a metodologia de ensino que mais faz sentido para a sua família, é importante pesquisar o máximo possível sobre ela.

Outra recomendação é visitar as escolas que trabalham com o método em questão e verificar a possibilidade de acompanhar algumas atividades pessoalmente para entender como a metodologia funciona na prática.

7 dicas para escolher a escola do seu filho

Além da escolha da metodologia de ensino que mais se adequa aos valores da família e às necessidades da criança, os pais devem se atentar a outras questões no momento de escolher a melhor escola para seus filhos.

Vale dizer que o pediatra da criança pode ser consultado nesse processo para ajudar a família a tomar a melhor decisão.

Na avaliação do Dr. Jorge Huberman, pediatra e neonatologista, a primeira dica é buscar o tipo de educação que os pais gostariam que a criança tivesse, de forma que ela esteja de acordo com as crenças e valores da família.

De acordo com o especialista, também é preciso considerar os interesses do seu filho, entendendo em quais áreas ele possui mais afinidade e seu modo de ver o mundo.

Mãe abraça a filha na entrada da escola
Mãe abraça a filha pequena na entrada da escola: há diversas dicas que auxiliam os pais na escolha da melhor instituição de ensino

Avaliar o espaço físico

Ao visitar a escola pessoalmente, de preferência no período das aulas, é interessante conhecer a infraestrutura do local, incluindo salas de aula, quadras, pátios, banheiro e cantina.

Conhecer as atividades extracurriculares oferecidas

Principalmente para os pais que optam pela educação integral, é importante observar quais são as atividades oferecidas no contraturno, incluindo opções artísticas e esportivas.

Buscar referências

Uma boa maneira de avaliar a qualidade da escola é conversar com pais de alunos e ex-estudantes, além de buscar avaliações na internet.

Saber a qualificação dos profissionais de ensino

É importante que as crianças tenham o apoio dos melhores profissionais, não apenas professores, como também coordenadores e monitores. Vale conversar com alguns deles para entender suas qualificações e o que têm a dizer sobre a escola e os alunos.

Se atentar à comunidade escolar

Determinadas escolas, apesar da qualidade de ensino, podem não ser condizentes com a realidade social e financeira da família, algo que pode contribuir para que a criança se sinta deslocada ou mesmo seja alvo de bullying.

Por isso, o padrão de vida da maioria dos alunos também deve ser analisado no momento da decisão.

Prestar atenção ao valor da mensalidade

O ideal é que o valor gasto com a educação dos filhos não comprometa mais do que 20% do orçamento da família. Nesse valor devem ser incluídas as despesas com matrícula, material escolar e uniforme.

Considerar a localização

Para garantir que o trajeto até a escola seja agradável e também que os pais cheguem até o local rapidamente diante de alguma emergência, o recomendado é que a escola seja próxima à residência da família, de preferência no mesmo bairro ou em regiões vizinhas.

Com todos os fatores colocados na balança, uma última questão que deve ser avaliada é a opinião da própria criança. Apesar de ser algo normalmente negligenciado pela família, o desejo da criança também precisa ser levado em conta no momento da matrícula.

Para marcar uma consulta com o Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.

Blog Jorge Huberman