Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Ingerir líquidos durante as refeições faz mal?

Ingerir líquidos durante as refeições faz mal?

Quando você e sua família chegam em um restaurante, a primeira pergunta que escutam provavelmente é: “aceitam algo para beber?”. De água e sucos, aos refrigerantes, ingerir líquidos ao se alimentar é um hábito que certamente faz parte da rotina da maioria das famílias, seja nas refeições fora ou dentro de casa. Por isso, surge a dúvida: ingerir líquidos durante as refeições faz mal?

Em primeiro lugar, saiba que esse hábito pode ser prejudicial para as crianças e para a família toda.

Os líquidos durante as refeições fazem mal porque, basicamente, prejudicam o apetite. Para entender melhor o que faz com que isso aconteça, é preciso pensar nos mecanismos que despertam a fome. 

Na verdade, existem várias coisas que nos fazem sentir fome. A primeira possibilidade se relaciona com o índice de açúcar no sangue (glicemia).

Quando ela cai, nós sentimos vontade de comer. Além disso, a fome aparece quando o estômago está vazio.

Se a barriga começa a roncar, é hora de colocar comida para dentro!         

Depois de comer, o nível glicêmico sobe e o estômago se distende. Pronto! Chega, então, a sensação de saciedade que costumamos ter depois das refeições.

Mas, afinal, como um copo de suco, por exemplo, pode prejudicar esse sistema?

O que acontece é que, quando as crianças (e também os adultos) ingerem um copo de suco antes da refeição, o líquido ingerido vai ocupar o lugar do alimento no estômago, ativando o metabolismo para agir da mesma forma que agiria se estivesse recebendo comida. 

O que acontece, a partir daí, é que a criança se sente saciada e perde a vontade de comer.

De acordo com o Pediatra e Neonatologista, Jorge Huberman, quando oferecemos às crianças, muito líquido durante as refeições, a concentração de ácido clorídrico presente no estômago diminui e algumas enzimas são diluídas. “O excesso de líquido também poderá diminuir a absorção de alguns nutrientes importantes prejudicando o crescimento adequado do pequeno”, explica.

Neste momento, vem a clássica luta para fazer os pequenos se alimentarem de forma saudável, presente em tantas casas! 

Ingerir líquidos durante as refeições vai muito além da (falta) de fome

Ingerir líquidos durante as refeições: menina tomando suco
Saiba se as crianças podem ingerir líquidos durante as refeições (Foto: Freepik)

Além dos sucos, o refrigerante também é um grande vilão. Isso porque essas bebidas são gaseificadas, o que causa uma expansão ainda maior do estômago e, consequentemente, trazem uma grande sensação de saciedade.

Os refrigerantes, também, em sua maioria, costumam ter um teor de açúcar mais alto que os sucos, trazendo mais problemas para a saúde a longo prazo. Mas claro que isso não é uma regra!

Muitos sucos industrializados possuem tanto açúcar quanto os refrigerantes e, em algumas vezes, até mais! 

Além de mexer na sensação de saciedade e mudar os hábitos alimentares das crianças, que tendem a comer menos ou até mesmo não se alimentarem depois de consumir um copo de suco, ingerir líquidos durante as refeições pode trazer alguns riscos para a saúde do seu filho. 

Uma pesquisa feita por nutricionistas da agência do Departamento de Saúde da Grã-Bretanha, Public Health England, relacionou o consumo de bebidas durante a alimentação ao índice de obesidade infantil e alguns outros problemas de saúde.  

De acordo com a pesquisa, crianças que ingerem bebidas muito açucaradas, calóricas e sem valor nutricional significativo (como é o caso de refrigerantes e alguns sucos, principalmente industrializados), deixando de lado os alimentos que teriam importância, têm mais chances de se tornarem obesas.

Afinal, seguindo a lógica explicada anteriormente, a criança que consome o suco antes da alimentação perde a vontade que estava de comer, ou – pelo menos – parte dela. 

Isso faz com que, muitas vezes, as crianças consumam um copo com um líquido cheio de açúcar e calorias e deixe de lado um prato de salada, que com certeza agregará muito mais nutrientes para o corpo dela.

A longo prazo, isso resulta em maior chance de obesidade infantil e outros problemas de saúde. 

Hora de repensar os hábitos alimentares

Além da questão da obesidade, os pesquisadores descobriram que o exagero nesse consumo pode elevar os riscos de diabetes tipo 2, além de poder trazer problemas cardíacos a longo prazo. 

Levando em conta todos os possíveis problemas vindos quando ingerimos líquidos antes ou durante as refeições, talvez seja a hora de repensar alguns hábitos da sua família, para conseguir colher os frutos na saúde dos seus filhos e na sua, principalmente a longo prazo. 

A boa notícia é que as crianças são muito mais voláteis e propensas às mudanças e, quanto mais cedo você começar a ensinar seu filho que ele não deve consumir líquidos antes ou durante a refeição, mais disposto ele estará para se acostumar com isso e levar como uma regra para o restante da vida. 

E, claro, como em todas as outras questões da vida, você, como pai ou mãe, é um grande exemplo para o seu filho. As crianças tendem a aceitar algo com mais facilidade quando veem os pais agindo da mesma forma. 

Além disso, as crianças costumam buscar a todo custo, agir como os pais. Ou seja, você funciona como um espelho para o seu filho.

Sendo assim, se você começar a evitar a ingestão de líquidos antes e durante as refeições, além de contribuir para a própria saúde, você também vai tornar esse processo mais fácil para a criança.

E quando é saudável ingerir líquidos?

No entanto, vale ressaltar que apesar dos problemas que surgem com a ingestão de líquidos antes e durante as refeições, eles são de extrema importância para seu filho. 

As crianças se desidratam facilmente e é essencial que você ofereça algumas bebidas nos intervalos das refeições (preferencialmente água ou sucos naturais). Consumir líquidos depois das refeições também está valendo! 

Entenda porque é importante repensar alguns hábitos (Foto: Freepik)

Uma boa dica é deixar sempre uma garrafinha de água do lado das crianças enquanto estão brincando ou fazendo as tarefas da escola.

Ficar com a garrafa por perto e com fácil acesso fará com que seu filho lembre com mais frequência de beber água e consiga consumir a quantidade certa diariamente.

Vale conversar com seu pediatra sobre a prática e a quantidade ideal de água que seu filho deve consumir – afinal, tudo que falta ou é em excesso pode fazer mal.

A ideia é se aproximar o máximo possível da quantidade ideal. 

A boa notícia é que, se você criar junto ao seu filho esse hábito de consumir líquidos nos momentos entre ou depois das refeições, ele provavelmente não sentirá tanta sede enquanto come, o que pode facilitar seu trabalho de retirar, aos poucos, as bebidas durante a alimentação. 

Afinal, nós sabemos que mudanças não são fáceis e, muitas vezes, pela comodidade, vamos deixando-as para depois.

Mas, quanto antes você começar a mudar os hábitos da sua família, mais fácil tudo ficará. A sua saúde e a do seu filho vão agradecer – principalmente a longo prazo! 

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.