Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Infecção urinária em crianças: saiba mais!
Criança brinca ao usar penico e fazer suas necessidades

Infecção urinária em crianças: saiba mais!

Há quem ache que a infecção urinária é apenas para adultos: absoluto engano! Por isso que vamos esclarecer o tema, infecção urinária em crianças: saiba mais!

Em primeiro lugar é bom se manter atualizado. As infecções urinárias também podem ocorrer com as crianças é algo que não foge muito do normal.

Um dos motivos da insuficiência renal são as infecções urinárias da infância. Às vezes, relacionadas ao trato urinário. Se não forem tratadas de forma adequada, podem ocasionar em perda das funções renais de forma prematura.

Em consequência disso, os pais têm que ficar alertas a alguns sinais. 

Há uma pré-disposição em algumas crianças a apresentarem a infecção urinária.

Nestas, onde detectou-se, durante o exame pré-natal, a má-formação no trato urinário, sinais como febre insistente, subtração do volume urinário, irritabilidade, perda de peso, dificuldade em ganhar peso, são sintomas que devem chamar a atenção da mãe já que a criança pode ter algum tipo de complicação da doença diagnosticada de forma previa.  

Porém, preste atenção para as crianças que, durante o exame pré-natal não houve qualquer diagnóstico referente, a febre sem foco definido é o principal sintoma que deve chamar atenção.

Do mesmo modo, o momento do desfralde é fundamental e precisa da atenção dos pais. Ele é muito importante para a saúde renal da criança.

Por volta dos dois anos e meio de idade pode acontecer da criança apresentar a infecção urinária. A antecipação do desfralde, que as vezes as mães, as avós, madrinhas, acham que é interessante, principalmente antes dos dois anos de idade, vai causar problema na criança no futuro.

Então, são crianças que às vezes aos 4 ou 5 anos de idade, começam a apresentar sintomas de incontinência, retenção urinária, pela retirada precoce da fralda.  

O recomendado é que as crianças façam suas necessidades no penico

O ideal é que a criança seja treinada no troninho, ou penico, porque isso permite que elas ao fazerem xixi e coco agachadas, aumentando a pressão intra-abdominal, onde fazem a contração da musculatura abdominal, facilitando o esvaziamento da bexiga e do intestino.

Quando elas usam o vaso sanitário, em que elas ficam com a perna balançando, elas perdem a possibilidade de aumentar a pressão intra-abdominal e o esvaziamento da bexiga e do intestino ficam incompletos. A higiene deve ser acompanhada pelos pais.

Criança usando a privada ao fazer suas necessidades: o ideal é começar a treinar no penico para depois mudar para o vaso sanitário

Isso favorece a presença de resíduo miccional e, consequentemente, a infecção urinária.  Deve-se ficar atento também à proliferação de bactérias presentes, eventualmente, no banheiro ou em outros lugares.

Quando os pais têm que procurar um especialista?  

O pediatra da criança tem que acompanhar de perto alguns casos como: criança com infecção urinária de repetição; com infecção urinária de difícil controle; crianças com distúrbio das eliminações como incontinência, retenção; crianças que apresentam xixi com sangue ou cólica renal, ou até inchaço sem eventual explicação aparente.  

O funcionamento do aparelho urinário também pode, eventualmente, ser examinado mais detalhadamente.

Neste caso, o nefrologista pediátrico irá requisitar, dependendo do caso, exames de acordo com a patologia que a criança apresentar.

Atente-se: sempre a avaliação da função renal é importante!

É feito exame de sangue que mede a ureia e a creatinina , exame de urina, que nos dá várias informações de como esse rim está concentrando a urina, se está retirando as impurezas do sangue, cultura de urina para detectar a presença de infecção urinária, e de suma importância, no exame clínico na criança, investigar se há antecedente de nefropatia seja na família ou diagnóstico prévio, mensurar a pressão arterial de maneira rotineira.

Além disso, se a criança não tiver antecedentes, é importante que os exames sejam feitos a partir do 3º ano de vida da criança, para a mensuração da pressão arterial para o diagnóstico precoce. 

“Os pais têm que ficar sempre atentos às febres sem causa aparente, principalmente se não se alimentarem bem, ficarem letárgicos, apresentarem vômitos e diarreia”, alerta o especialista Jorge Huberman.

“Acima dos 2 anos de idade, os sintomas são semelhantes aos dos adultos. Portanto, antes disso, qualquer febre deve ser investigada com um exame de urina, e se necessário, ultrassom de vias urinárias, finaliza o pediatra e neonatologista.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman atende paciente em seu consultório no Instituto Saúde Plena, em Moema: “os pais têm que ficar atentos à febre aparente”

Para marcar uma consulta com o pediatra Jorge Huberman, ligue para: (11) 2384- 9701