Dr. Jorge Huberman

Homeopatia para crianças: como isso pode ajudar?

A homeopatia para crianças é uma forma de terapia alternativa que pode ajudar também no tratamento de idosos e adultos. Citada pela primeira vez em 1796, ela é utilizada para curar pessoas que apresentam determinados tipos de desequilíbrio na saúde.

No Brasil, Benoit Mure foi quem inseriu a homeopatia em 1840. Entretanto, somente em 1980, o Conselho Federal de Medicina (CFM) a reconheceu como especialidade médica. O foco são análises detalhadas de pacientes e o histórico de doenças.

Um aspecto característico dessa medicina é o tipo de remédio usado nos tratamentos. Eles são feitos com extratos provenientes dos reinos animal, mineral e vegetal, sempre muito diluídos em álcool e água.  

Esses líquidos são utilizados porque contribuem para a diminuição de possíveis efeitos colaterais e pretendem estimular o organismo a processar a autocura por meio do foco no paciente e nos antecedentes da doença.

Por ser uma grande descoberta, a homeopatia faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do Ministério da Saúde desde 2006 e tratamentos como esse são oferecidos gratuitamente em unidades da rede pública.

A implementação da prática no SUS representa uma atenção à construção de um modelo centrado na saúde. Entre os pontos positivos estão: fortalecimento da relação médico-paciente, redução da fármaco-dependência por meio do uso racional de remédios e são compreendidas dimensões físicas, psicológicas, sociais e culturais do indivíduo.

Os benefícios desse tipo de medicação são visíveis, principalmente em crianças. A redução considerável dos riscos de alergias, quadros gripais, rinite, sinusite e asma, são alguns dos pontos positivos da homeopatia.

Como estão em pleno desenvolvimento, as crianças podem ter todas as suas potencialidades estimuladas e crescer de forma saudável e menos suscetível a doenças crônicas.

A missão do médico homeopata pediatra é descobrir os sintomas ou comportamentos “anormais” da criança e indicar a melhor combinação de medicamentos para reequilibrar a energia vital dos pequenos, dando suporte para que o corpo e mente se ajustem.

Entenda a importância do tratamento individualizado, os benefícios da homeopatia pediátrica em diferentes cenários e suas limitações.

Por que não devemos usar a homeopatia de uma criança em outra

Quando falamos em homeopatia, é importante que se compreenda a necessidade de um atendimento personalizado. Não é indicado, por exemplo, que pais sigam indicações de amigos que passaram pela mesma situação e mediquem o filho por conta própria.

Seja qual for o caso, a medicação se diferencia de remédios genéricos porque é formulada para atender um único paciente a partir de características físicas e sintomáticas. Mais do que não contribuir para a recuperação da criança, a automedicação pode prejudicá-la.

O pediatra homeopata deve trabalhar em conjunto com as famílias para descobrir sobre o comportamento da criança, o que causa seu desconforto e qual a melhor fórmula para tratá-la
O pediatra homeopata deve trabalhar em conjunto com as famílias para descobrir sobre o comportamento da criança, o que causa seu desconforto e qual a melhor fórmula para tratá-la (Foto: Freepik)

Por serem preparados em potências baixas, medianas, altas e altíssimas, os homeopáticos podem ser usados desde o nascimento do indivíduo. Entretanto, se prescrito um medicamento em alta potência para um bebê, uma gestante ou um cardíaco, os danos podem ser substanciais.

A família dos pequenos também deve trabalhar em conjunto com o pediatra para que seja de conhecimento geral o histórico familiar da criança. No caso de membros da família alérgicos a determinada substância, por exemplo, o homeopata deve evitá-la na solução.

Ainda que haja precauções a serem tomadas, os medicamentos são confiáveis e fabricados usando um processo de segurança, que implica controles rigorosos de qualidade de matérias-primas, e são grandes aliados da saúde infantil.

O pediatra e neonatologista, Jorge Huberman, explica que uma das formas de apresentação de medicamentos homeopáticos é a forma líquida que, em sua maioria, são preparados em soluções contendo 30% de etanol, o que pode gerar dúvidas nos consumidores deste produto quanto à possível infração se submetidos ao teste do etilômetro logo após a ingestão dos medicamentos. Nas crianças devemos diluir em água e aguardar evaporar o álcool para depois administrar.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre tocofobia
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre homeopatia para crianças (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Em quais cenários a homeopatia pode ajudar as crianças?

O transtorno de ansiedade é comum na infância e adolescência, sendo mais frequente entre meninas. O problema se diferencia do habitual quando ocorre impacto funcional no dia a dia das crianças e as reações são desproporcionais às situações impostas.

É preciso observar o comportamento dos pequenos: um dos indícios pode ser a ausência de um momento de tranquilidade. Muitas vezes, o nível de antecipação frente a uma situação é extremamente exagerado, surgem sintomas físicos e disfunções na rotina.

A homeopatia pediátrica é um método de tratamento que tem tido resultados satisfatórios entre 6 a 8 semanas de consumo da homeopatia. Ela pode ser responsável por proporcionar concentração, bem-estar e calma por meio do reequilíbrio das emoções.

Bebês agitados e com dificuldade para dormir também podem fazer uso dessa medicina alternativa. O distúrbio do sono nessa faixa etária pode ser sinônimo de sensibilidade a barulhos e medos variados.

Esse estado prejudica não só o desenvolvimento infantil, mas também gera distúrbios psíquicos e dificuldade de aprendizagem. Por isso a preocupação em manter um acompanhamento médico frequente e pensar em soluções o quanto antes.

Limitações da homeopatia para crianças

Uma das maiores limitações da homeopatia é o tempo no qual os resultados demoram a surgir. Inclusive, é muito comum que pacientes abandonem o tratamento por falta de paciência.

Embora a prática mostre que a homeopatia reduz a necessidade de recorrer sempre aos medicamentos como antibióticos e anti-inflamatórios. Dependendo do caso, o tratamento homeopático pode ser feito em conjunto com o alopático.

Isso acontece porque existem algumas limitações devido à demora para fazer efeito da medicina alternativa. Por isso, quando há infecções, por exemplo, o pediatra homeopata deve recorrer a outros remédios, se assim for necessário.

Crianças podem usar a homeopatia desde recém-nascidos, além de evitar outras doenças no decorrer da vida, elas ajudam no sono dos pequenos
Crianças podem usar a homeopatia desde recém-nascidos, além de evitar outras doenças no decorrer da vida, elas ajudam no sono dos pequenos (Foto: Pexels)

Dentre os pontos fracos da medicina alternativa destacam-se a falta de estudos e experimentos com medicamentos. Além disso, os limites do paciente também devem ser considerados.

É preciso que o indivíduo esteja disposto a relatar todos os seus sofrimentos e vulnerabilidades ao médico, nas mais diversas esferas de sua individualidade (física, psíquica, emocional, afetiva, social, familiar, de trabalho, de lazer).

Homeopatia pode dar cárie em crianças?

A homeopatia, geralmente, fabricada em gotas ou glóbulos, costuma ser facilmente aceita por crianças, principalmente pelo gosto doce das “bolinhas”.

Porém, muitos responsáveis têm dúvidas a respeito do açúcar presente na medicação. Afinal, será que isso prejudica o dente das crianças?

A Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas Homeopatas (ABCDH) garante que os glóbulos não são feitos de sacarose, mas do açúcar do leite. Eles devem dissolver na boca e não serem mastigados, sendo absorvidos.

Ainda que não ofereçam riscos à higiene bucal dos pequenos, é fundamental manter os dentes sempre limpos. No entanto, deve existir um intervalo de no mínimo 30 minutos para que a pasta não altere a ação do remédio.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701

Blog Jorge Huberman