Dr. Jorge Huberman

Gravidez semana a semana: o que acontece nas etapas da gestação

Além de ser cercada de muita expectativa, uma gestação é também um período marcado por muitas mudanças no corpo da mulher e avanços progressivos no desenvolvimento do bebê. Entender mais a fundo a gravidez semana a semana permite que a família saiba o que esperar a cada nova fase e possa curtir a chegada do filho.

Vale ressaltar que a gravidez é calculada em semanas porque isso garante mais precisão à mãe e aos profissionais de saúde que a acompanham, uma vez que a quantidade de dias a cada mês varia.

Outra questão importante é que o tempo de gestação começa a ser contado a partir do primeiro dia da última menstruação, conhecido pela sigla DUM, e não a partir da data de concepção, até porque pode ser difícil precisar o momento exato da fecundação.

Em geral, uma gestação dura 40 semanas, o que equivale a 9 meses. Porém, esse período pode variar para mais ou para menos, ficando entre 37 e 42 semanas.

As 40 semanas, por sua vez, são divididas em três trimestres, cada um com suas particularidades.

O primeiro trimestre costuma ser aquele em que a mãe mais sente os “efeitos colaterais” da gravidez, como enjoos e cansaço, além de exigir mais cuidados pelo fato de o bebê estar passando pela transição entre embrião e feto, com a formação dos principais órgãos.

O segundo trimestre tende a ser uma fase mais tranquila, em que a família curte efetivamente a gestação, e quando chega o terceiro trimestre aumenta a expectativa pela chegada do bebê.

Evolução da gestação no primeiro trimestre: gravidez semana a semana

O primeiro trimestre da gravidez se encerra geralmente na 13ª semana de gestação. Nessa fase a barriga da mulher ainda não é perceptível, mas a mãe já consegue notar mudanças no organismo, como oscilações de humor, sensibilidade nos seis e enjoos.

De acordo com o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, a primeira mudança no início da gravidez é o atraso da menstruação, pela interrupção dos ciclos. Além disso, os seios da futura mãe podem ficar maiores, com os mamilos mais salientes. Também é normal que a mulher tenha vontade de urinar com mais frequência.

Dr Jorge faz o parto da bebê Raíssa
O neonatologista Jorge Huberman auxilia o parto da bebê Raíssa: o especialista explica que a primeira mudança no início da gravidez é o atraso da menstruação

Durante o pré-natal do primeiro trimestre é possível diagnosticar condições de saúde como diabetes gestacional e hipertensão, possibilitando um melhor controle ao longo da gestação.

Nessa etapa também deve ser feito o ultrassom morfológico do primeiro trimestre, que possibilita avaliar o risco de o bebê desenvolver Síndrome de Down, por exemplo.

No final do primeiro mês, o bebê tem o tamanho de um grão de arroz e já está com seu tubo neural formado, possibilitando o desenvolvimento do sistema nervoso.

No segundo mês, o coração do bebê se desenvolve e começa a bater de forma acelerada. Também é nessa fase que há a formação dos neurônios e dos principais órgãos, como pulmões, rins e fígado.

O bebê começa a desenvolver braços e pernas, além dos canais auditivos e dos ovários ou testículos, a depender do sexo.

Caso a família deseje, o sexo do bebê pode ser descoberto através de um exame de sexagem fetal.

No final do primeiro trimestre, o bebê já estará com o rosto quase totalmente formado e a placenta completamente desenvolvida.

O que acontece no segundo trimestre de gravidez?

Mulher grávida faz anotações em uma prancheta
Gestante faz anotações em uma prancheta: o segundo trimestre de gravidez tende a ser um período mais tranquilo e que permite à família curtir melhor esse momento

O segundo trimestre de gravidez compreende da 14ª à 27ª semana. No início dessa fase, os olhos do bebê se formam, mas permanecem fechados pelas pálpebras.

É também no quatro mês que o bebê começa a desenvolver os movimentos necessários para a amamentação ao sugar e engolir o líquido amniótico.

No 5º mês, um marco importante no desenvolvimento do bebê é a formação completa dos ouvidos, possibilitando que ele escute o coração da mãe.

Ao final do segundo trimestre, o bebê abre os olhos e cria uma rotina de sono, além de apurar a audição, possibilitando que a família fortaleça os vínculos com o feto ao conversar, contar histórias e cantar músicas.

O parto está próximo: os marcos do fim da gestação

Mulher grávida está com um despertador em frente à barriga
Gestante segura um despertador em frente à barriga: no terceiro trimestre a chegada do bebê está cada vez mais próxima

Com a chegada do terceiro trimestre, a ansiedade da família aumenta, em especial dos pais de primeira viagem, que podem ficar receosos em não saber quais cuidados devem ter com o recém-nascido.

Por isso, ainda que não seja um hábito muito forte no Brasil, o ideal é que os pais escolham o pediatra da criança a partir da 32ª semana de gestação.

Dessa forma, além de estreitar os vínculos com o especialista que fará o acompanhamento do bebê ao longo da infância, a família tem a oportunidade de expor inseguranças e esclarecer dúvidas.

No início do terceiro trimestre, o cérebro do bebê cresce e se desenvolve e o feto se mexe com mais vigor dentro da barriga, além de reconhecer a voz da mãe e reagir a estímulos de som e luz.

Entre o sétimo e o oitavo mês de gestação, o bebê já está com seu organismo formado, mas ainda precisa engordar e crescer, chegando a dobrar de tamanho e diminuindo o espaço disponível para se movimentar na barriga da mãe.

No final do oitavo mês, o bebê começa a se preparar para o parto e gira, ficando com a cabeça para baixo.

Considerando a DUM, a data provável de nascimento do bebê costuma acontecer na 40ª semana, mas caso a criança não venha ao mundo naturalmente até essa data, a gestante deve redobrar os cuidados médicos, devendo se submeter a consultas e a exames quase que diariamente.

Considerando que os riscos de complicações aumentam conforme a gestação se estende, a partir da 41ª semana a indução do parto passa a ser considerada, possibilitando que a mãe entre em trabalho de parto e dê à luz de parto normal. Outra possibilidade é a realização da cesárea.

Para marcar uma consulta com o Dr Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.

Blog Jorge Huberman