Dr. Jorge Huberman

  >  adolescentes   >  Dor torácica em crianças e adolescentes
Médico examina uma criança: dor torácica em crianças e adolescentes pode ser explicada por vários motivos

Dor torácica em crianças e adolescentes

A dor torácica em crianças e adolescentes é um tema que gera alguma insegurança

aos pais durante a consulta, junto ao pediatra dos filhos.

Neste artigo iremos abordar as principais doenças que podem causar a dor torácica nos jovens.

Em primeiro lugar, vale a pena lembrar que esta dor é uma das principais causas de encaminhamento dos pequenos pacientes ao cardiologista pediátrico.

Contudo, é muito raro que a dor esteja relacionada, de fato, a problemas cardíacos.  

Entre 10% a 45% dos casos são definidos como dor idiopática, isto é: aquela em que não se encontra uma causa orgânica para a dor.

Outras significativas patologias que podem causar a dor torácica nas crianças são as costocondrites (que se resumem a uma inflamação nas junções das cartilagens costais costocondrais e costoesternais).

Normalmente, a dor é unilateral variando de média a severa) e afecções músculo-esqueléticas (dores musculoesqueléticas ou mialgia é um termo utilizado para caracterizar dores musculares em qualquer parte do corpo. A mialgia é uma dor muscular, localizada ou não. A dor surge pela tensão nos músculos.

A razão pode-se dever a um excessivo esforço, o que pode ocorrer com uma sobrecarga além da capacidade usual do indivíduo) sendo responsáveis por quase metade dos relatos.

Elas são seguidas pelas doenças respiratórias, gastrointestinais e psicogênicas, quesão as fibromialgias caudadas pela tensão constante muscular.

Deste modo, fecha-se os principais diagnósticos diferenciais de dor torácica na infância.  

As dores relacionadas a costocondrites normalmente se acentuam com atividade física e a respiração profunda.

De modo geral, apresentam-se de forma unilateral, de intensidade leve a moderada, podendo persistir por meses.

No caso das doenças músculo-esqueléticas é normal terem relação com algum trauma na musculatura do dorso, peitoral e ombro, e diversas vezes se associam com a prática de esportes, como lutas, ou até mesmo acidentes.  

Asma, infecção ou inflamação pulmonares podem levar à dor torácica em crianças e adolescentes

Criança é analisada por médico em um consultório: asma, infecção ou inflamação pulmonares podem levar à dor torácica para as crianças e os adolescentes
Criança é analisada por médico em um consultório: asma, infecção ou inflamação pulmonares podem levar à dor torácica para as crianças e os adolescentes

As respiratórias são causadas por asma, infecção pulmonar ou inflamação pulmonar ou pleural e podem levar à dor torácica por causa do uso em excesso da musculatura respiratória, como nas ocorrências de asma e tosse persistente.

A dor também pode, do mesmo modo, estar relacionada à irritação pleural, como nos casos de pneumonia, derrame pleural e pneumotórax.  

Patologias como a esofagite podem dar origem a uma sensação de queimação que piora com o decúbito, que é a posição que a pessoa está. Decúbito dorsal ou supina – pessoa que deita com a barriga voltada para cima; decúbito ventral ou prona, pessoa que deita de bruços; decúbito lateral, esquerdo ou direito, sendo por muitas vezes relatadas pelos pacientes como dor torácica.

Distensão gasosa de alças intestinais também pode causar dores

Sempre devemos ter em mente também que a distensão gasosa de alças intestinais pode levar o pequeno paciente ao relato de dor sem, no entanto, ter uma localização específica.  

Como mencionamos no início do texto, as causas cardíacas de dor torácica são muito raras e correspondem somente a uma pequena parcela dos casos, cerca de 4% somente.

Estenose aórtica e pulmonar e doença obstrutiva vascular pulmonar podem levar à dor anginosa nas crianças por causa do aumento da demanda de oxigênio pelo miocárdio, sendo a presença de sopro cardíaco um sinal indicativo de tais patologias.  

As miocardiopatias hipertróficas dilatadas ocasionam a dor torácica por causa de isquemia ou arritmias, podendo não haver qualquer alteração ao exame físico, porém com sinais sugestivos em exames como radiografia de tórax, ecocardiograma com doppler e ECG.

Aneurisma ou dissecção aórtica estão relacionados a síndromes como Marfan, Turner e Noonan.

Temos que lembrar ainda das pericardites decorrentes, fundamentalmente, de infecções virais, que se apresentam como uma dor aguda associada a febre, que piora com decúbito e diminui na posição com a criança sentada ou então reclinada para frente.  

As causas coronarianas de dor precordial são muito raras em crianças, e ocorrem por causa da origem anômala de coronária, apresentando os seus sintomas ainda na infância.  

Utilização de substâncias proibidas e causas psicogênicas ocasionam dor torácica

O uso de substâncias tóxicas proibidas, como por exemplo, a cocaína, pelos adolescentes também podem levar à dor anginosa, arritmias e infarto por causa de sua ação no bloqueio da receptação de catecolaminas, aumentando assim seu nível circulante.

Isso ocasiona vasoconstrição coronariana, maior frequência cardíaca e da pressão arterial.  

Não podemos esquecer, ainda, das causas psicogênicas. Tais patologias têm sido vista cada vez mais, com maior frequência nos consultórios pediátricos, principalmente entre os adolescentes.

O pediatra Jorge Huberman brinca com a paciente Mariana em seu consultório no Instituto Saúde Plena: exercício físico intenso, como nadar e andar de bicicleta também podem causar este tipo de dor
O pediatra Jorge Huberman brinca com a paciente Mariana em seu consultório no Instituto Saúde Plena: exercício físico intenso, como nadar e andar de bicicleta também pode causar este tipo de dor

É essencial que tanto os pediatras, os médicos em geral e, principalmente os pais, têm que estar alertas já que muitos destes sintomas podem estar associados a situações de estresse, como morte, separação familiar, fracasso escolar, abuso sexual, entre outros fatores. 

“O exercício físico intenso, como nadar, andar de bicicleta, ou outros (como as mochilas), também podem causar este tipo de dor”, explica o médico Jorge Huberman.

“Os defeitos de posição, como sentar-se mal, dormir em más posições, podem facilitar esta dor”, continua o pediatra.

“A dor no peito, de longe a mais frequente, é uma dor tipo músculo esquelética, benigna, cujo tratamento principal consiste em acalmar e dar segurança à criança, ensinando-a a lidar com esse tipo de dor. Temos que dar atenção a ela, mesmo sendo só isso o que ela quer”, ressalta o especialista. “Isto também dá uma certa segurança aos pais. Não cabe aqui aos pais lembrarem-se dos seus pais ou avós, que acabaram, eventualmente, falecendo por causa de problemas no coração”, finaliza o Dr.Jorge.

Para marcar uma consulta com o Dr. Jorge Huberman, ligue para: (11) 2384-9701