Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Dor de ouvido em bebês: saiba como identificar
O choro do bebê preocupa toda a família e pode deixar os pais em dúvida sobre a causa do problema

Dor de ouvido em bebês: saiba como identificar

Há quem diga que a dor de ouvido é uma das piores que sentimos. E se muitos adultos pensam assim, imagine os bebês, que sentem a mesma dor, só que não sabem expressar esse sentimento! Pensando nisso, saiba como identificar a dor de ouvido em bebês, como tratar e também como acabar com o sofrimento do seu filho. 

Ouvir a criança chorar pode ser um grande pesadelo para toda a família. Principalmente quando sabemos que esse choro é relacionado a dor – ou seja, alto, com gritos e incessante. É triste demais ver um filho sofrer, mas os pais podem acalmar a situação com alguns truques.

Se engana quem pensa que as dores de ouvido são condições raras em bebês e crianças. Na verdade, esse estado pode ser bem comum, já que as tubas auditivas são mais curtas e largas e a posição horizontal impede que os líquidos que circulam pela região sejam drenados.

A tuba auditiva é uma estrutura que faz a ligação entre a orelha média e a faringe e tem como função regular a pressão do ar da mebrana do tímpano.

O principal caso de dor de ouvido em bebês é a otite, inflamação ou infecção no canal auditivo.

Essa condição pode ser externa, quando provocada pela entrada de água no ouvido do bebê, ou interna, quando existe a infecção causada pela multiplicação exagerada de vírus, fungos ou bactérias, que, muitas vezes, vem de secreções gripais ou de resfriados.

Além disso, o aumento da pressão atmosférica, a qual ficamos submetidos quando viajamos de avião, também pode causar desconforto.

Normalmente, a dor de ouvido passa com o tempo, sem que haja tratamento específico. Mas se o incômodo persistir e outros sintomas surgirem, como febre alta e secreções, é fundamental consultar o pediatra.

O médico irá fazer uma avaliação específica do caso de acordo com os sintomas apresentados pelo seu bebê e poderá dar o diagnóstico. Ele vai identificar a causa do problema e indicar o tratamento adequado para que o seu filho melhore logo.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman ainda reforça, que a otite é uma doença causada por vírus ou bactérias que, além dos itens já abordados, pode gerar perda de apetite, movimentos repetidos da mão sobre o ouvido, alterações temporárias ou definitivas na audição e perda de equilíbrio.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre dor de ouvido em bebê
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre dor de ouvido em bebê (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Como saber que o bebê está com dor de ouvido?

De repente, o seu filho começa a chorar incessantemente. Você olha a fralda mas ela não está suja. Você dá o peito, mas ele não está com fome. O choro é agudo e estridente  – só pode ser sinal de dor.

Mas dor de que? Ele não se machucou, o que pode ser? Tudo que você consegue perceber é que ele está irritado. Se isso acontecer, tenha calma! Quando o bebê chora por dor de ouvido ele deixa alguns sinais que os precisam estar atentos para identificar.

A primeira coisa é lembrar da última vez que seu filho teve um resfriado ou gripe. Se isso aconteceu pouco tempo antes da febre, irritabilidade ou choro, provavelmente é mesmo a dor de ouvido. Coceira, dificuldade para dormir, perda de apetite, e até desequilíbrio também são sinais a serem notados.

Outro sintoma também é a dificuldade para engolir. Bebês com dor de ouvido rejeitam o peito ou a mamadeira e não se alimentam adequadamente, pois a dor fica ainda mais intensa com o movimento da sucção.

Fique com olhos atentos para identificar o comportamento do seu bebê. Quando estiver com dor de ouvido, ele vai balançar muito a cabeça, colocar as mãos com frequência sob as orelhas e vai ter a tendência de não deixar ninguém chegar perto da cabeça dele.

Em infecções mais graves, é possível que saia secreção dos ouvidos, ou, em alguns casos, até um pouco de sangue, o que provoca um cheiro forte e ruim no ouvido. Juntamente com as inflamações, essas são as principais causas de dor de ouvido em bebês.

É fundamental que os pais e responsáveis estejam atentos aos sinais do bebê. Por mais que, em muitos casos, a condição se resolva apenas com o tempo, em quadros graves será necessária a intervenção médica.

O choro de dor de ouvido é agudo, alto e incessante e pode ser identificado facilmente
O choro de dor de ouvido é agudo, alto e incessante e pode ser identificado facilmente (Foto: Freepik)

Como aliviar a dor de ouvido do bebê?

Ofereça conforto ao seu filho enquanto ele enfrenta a dor de ouvido. Se a mesma persistir, consulte o pediatra e siga o direcionamento dele para iniciar o tratamento. Dependendo do caso, ele  pode indicar antibiótico e anti-inflamatório para tratar o problema.

Durante todo o tratamento, é importante dar comidas pastosas, como purês, sopas, iogurtes e frutas amassadas, e muito líquido ao bebê. Em casos não tão graves, métodos caseiros já são o suficiente para aliviar a dor de ouvido do seu filho.

Em casa, você pode fazer compressas mornas para aquecer a região e amenizar a dor. O calor é suficiente para aumentar a circulação de líquidos, o que ajuda a descongestionar o ouvido e acelerar o processo de recuperação. Mas, certifique-se de que a temperatura da compressa está adequada.

Para usar essa técnica, esquente um pano limpo, com o ferro de passar por exemplo, e coloque-o sob a orelha do bebê, por cerca de 5 a 10 minutos. Isso vai acalmar a criança.. Caso os sintomas persistam, peça alguma orientação ao pediatra.

Caso o quadro de dor de ouvido seja grave, o pediatra vai indicar o melhor tratamento
Caso o quadro de dor de ouvido seja grave, o pediatra vai indicar o melhor tratamento (Foto: Freepik)

Vapor de camomila também pode ajudar a aliviar a dor. A camomila possui um efeito relaxante e também descongestionante, função que age principalmente no ouvido e no nariz. Para realizar o processo, você vai precisar de uma panela, água e camomila.

Na panela coloque uma boa quantidade de água fervente e, em seguida, acrescente a camomila. Ao inalar o vapor, o bebê rapidamente sentirá um alívio da dor. Tome cuidado para não deixar o seu filho perto demais da água e da panela.

Todo cuidado é pouco!

Evite o uso de chupetas, mamadeiras e até tiaras e faixas na cabeça – isso pode apertar o bebê e, além da dor, causar irritabilidade. Tome cuidado quando for dar banho no bebê. É preciso evitar que a água entre nos ouvidos dele.

Então, mantenha o seu bebê confortável e use essas dicas para acalmá-lo. O problema pode ser resolvido com o tempo, mas se a dor parecer fora do normal e incontrolável, fale com o pediatra. Ele é seu principal aliado quando o assunto é o cuidado com a saúde do bebê.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.