Dr. Jorge Huberman

  >  Novidades   >  Gravidez   >  Dicas para ter um puerpério mais tranquilo
É no puerpério que os primeiros vínculos entre pais e bebês são formados

Dicas para ter um puerpério mais tranquilo

Assim que se recebe a notícia da gravidez, os futuros pais passam por um turbilhão de emoções. Entre as inúmeras preocupações com a fase da gestação, o puerpério acaba sendo deixado para depois. Porém, tal período pode ser bem mais tranquilo se for planejado.

O puerpério é uma montanha-russa de sentimentos, alterações hormonais e físicas para a mulher. São todas as transformações emocionais e corporais enfrentadas após o nascimento do bebê. Entre altos e baixos, a vida após a gestação mistura a descoberta de alegrias mais sinceras, mas também pode despertar as tristezas mais profundas.

Incertezas, desafios e inseguranças cercam o pensamento dessas mulheres que acabaram de se tornar mães e, caso não estejam preparadas, tais questões podem se tornar empecilhos para o pleno desenvolvimento da relação com o filho e também consigo mesmas.

Isso porque, além dos cuidados voltados ao recém-nascido, essa também é uma fase em que a mulher vai se reencontrar com seu próprio corpo e lidar com inúmeras transformações emocionais, físicas e hormonais deixadas pela gravidez.

Estamos falando de um momento em que, além de prover os cuidados necessários para um bebê, que possivelmente causarão privação de sono, cansaço e dores de amamentação, por exemplo, a mãe ainda precisará enfrentar a dificuldade de se reconhecer enquanto mulher.

No puerpério tudo é novo e, às vezes, as mudanças assustam. Essa fase, assim como todos os momentos da maternidade, não é sobre acertos, mas sim sobre aprendizados. Em casos de dúvidas sobre as transformações desse período, consulte o médico.

Prepare-se para o puerpério!

É justamente pela intensidade do momento que a preparação para ele é tão importante, já que contribui para um período pós-parto mais tranquilo e saudável, tanto para a mãe quanto para toda a família.

Essa é a fase da criação dos primeiros vínculos entre os pais e o bebê, adaptação da rotina com a nova realidade familiar e o impacto entre as transformações de mulher em mãe. Por esses e vários outros motivos é necessário que tudo ocorra da melhor forma.

É claro que é fundamental se organizar para a chegada do filho. Enxoval, cuidados médicos, quarto do nenê… Tudo isso é importante! Mas o que não se deve esquecer é que o recém-nascido não é o único membro novo da família: a mãe também é.

Sendo assim, vale a pena planejar o puerpério ainda durante a gravidez, para evitar aborrecimentos, preocupações e estresses futuros. Acredite: quanto mais leve e tranquila for essa fase, melhor! 

A primeira coisa a se ter em mente é que as responsabilidades podem ser divididas com o companheiro e com a rede de apoio. Eles são peça-chave para que os cuidados com o recém-nascido não sobrecarregue a mãe.

A rede de apoio é um grupo formado por pessoas próximas que vão acompanhar e auxiliar os pais durante os primeiros dias com o recém-nascido. Fazer parte da rede de apoio  é uma atitude de carinho que acolhe muitos pais nessa nova fase da vida.

O médico também integra essa rede de apoio. Converse com ele, tire suas dúvidas e acate as dicas para passar bem pela fase do pós-parto e viver a maternidade da melhor forma.

Como estar preparada para o puerpério?

O puerpério é uma fase muito difícil para a mulher, mas quando planejado pode ser mais tranquilo
O puerpério é uma fase muito difícil para a mulher, mas quando planejado pode ser mais tranquilo (Foto: Freepik)

Se preparar para um período ainda imprevisível e desconhecido pode ser, no mínimo, desafiador. Para te ajudar, separamos algumas dicas sobre o que você pode planejar ainda durante a gravidez para ter um puerpério mais tranquilo.

Essa preparação envolve aspectos físicos, psicológicos e práticos para o dia a dia em família com a chegada de um bebê. Decisões e tarefas pré-estabelecidas vão ajudar a tornar esse momento mais fácil e leve.

Uma das primeiras coisas a se fazer é escolher o pediatra do seu filho e deixar o contato dele na agenda do celular. Dessa forma, em casos de emergência, é fácil ligar para ele e tirar suas dúvidas de forma rápida.

Formar uma rede de apoio, além de te ajudar a conciliar os cuidados do nenê com suas outras responsabilidades, será muito bom para sua saúde mental. Conversar e ouvir conselhos de quem está passando ou já passou por essa fase vai contribuir muito para o seu emocional e te fazer sentir acolhida.

A troca de experiências com amigas e familiares é fundamental para os primeiros dias com o bebê e também ao longo da criação de um filho. Dessa forma, desafios podem ser vistos de outros pontos de vista, ficando mais fácil encontrar as melhores soluções.

Vale lembrar que é muito importante aceitar ajuda, especialmente no primeiro mês pós-parto. Não sinta receio em contar com a ajuda de familiares, amigos e pessoas próximas que se importam e demonstram vontade de contribuir com esse momento.

Isso não significa abandonar os cuidados como mãe, mas sim, cuidar de si para que você possa cuidar bem do seu bebê também. 

Dividindo as tarefas

Um dos erros que não devem ser cometidos é deixar todas as responsabilidades, do bebê e domésticas, para a mãe. Dividir as tarefas e os afazeres de casa com o parceiro, ainda antes do filho nascer, vai facilitar muito a rotina da família e o convívio familiar. 

No fim da gravidez, tente adiantar tarefas domésticas, inclusive deixando algumas refeições fáceis congeladas. Se fizer compras de mercado online já deixe pedidos encaminhados, com o que costuma consumir.

Além disso, você pode deixar um cronograma de organização pronto, com todas as tarefas diárias da casa, combinando a função de cada um. Isso deixará a mãe mais tranquila para cuidar de si e do bebê sem preocupações desnecessárias, porque ela sabe que todos estão fazendo a sua parte.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman, reforça que o pai também deve estar envolvido nesse período de puerpério. “Assim que nasce com o bebê, a relação do casal muda, claro. Por isso, paciência e compreensão de ambos os lados são fundamentais para que a adaptação aos cuidados do filho que acabou de chegar seja tranquila”, completa.

Relaxa!

As tarefas domésticas devem ser divididas entre os membros da família
As tarefas domésticas devem ser divididas entre os membros da família (Foto: Freepik)

A vida vira de ponta cabeça quando uma mulher se torna mãe, isso é fato. É inevitável que as preocupações com o bebê e sobre como serão os dias após o nascimento da criança ocupem os pensamentos. Porém, o autocuidado não deve ser deixado de lado. 

Tire um momento para cuidar de si mesma. Uma mãe feliz e saudável é peça-chave para a criação de um filho feliz e saudável também. Lembre-se: antes de ser mãe, você é mulher.

Não deixe de fazer as coisas que você gosta, como ler um livro, tocar um instrumento musical, ou se exercitar, por exemplo, só porque agora você é mãe. É claro que o seu filho tomará a maior parte do seu tempo, mas  isso não significa que você precisa esquecer de si.

Além disso, atividades que contribuem para o bem-estar como yoga, pilates e meditação, por exemplo, vão trazer relaxamento e ainda transmitir segurança e tranquilidade para a mulher, fatores que fazem toda a diferença durante o puerpério.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.