Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Dicas para lidar com o ciúme do seu filho
como lidar com o ciúme das crianças

Dicas para lidar com o ciúme do seu filho

Basta um simples exercício de memória para lembrar de uma situação em que você sentiu ciúmes – seja do seu parceiro (a), de algum amigo, dos pais, dos irmãos. O fato é que esse sentimento é muito comum entre nós e está presente em boa parte das nossas relações cotidianas, para alguns com mais frequência que outros. O ciúme, inclusive, não escolhe idade: ele pode aparecer com muita frequência nas crianças, aliás, e das formas mais discretas! Por isso, vamos dar dicas para lidar com o ciúme do seu filho.

Em primeiro lugar, cabe lembrar que o ciúme do seu filho está ali quando você começa a ter um clima mais romântico com o seu parceiro e, de repente, ele quer se sentar no meio de vocês dois.

Ele também aparece quando você dá um pouco de atenção para outra criança, seja irmão, primo, ou amigo, e seu filho começa a se rebelar ou fazer alguma birra.

Pode aparecer, até mesmo, por meio de dores misteriosas e, aparentemente sem solução em alguns lugares do corpo.

E, pode ter certeza: se ele ainda não marcou presença na sua relação com seu filho, certamente vai aparecer em algum momento.

O importante é saber decifrar o ciúme, entendendo quando é a hora de agir e como lidar com ele.

Em segundo lugar, antes de saber como agir nos casos de ciúmes, você precisa entender como identificá-lo, afinal, as crianças demonstram sentimentos de uma forma diferente dos adultos. 

O principal alarme para o ciúme nas crianças vem com a mudança de comportamento, principalmente frente à uma mudança como: a chegada de um irmão, um clima romântico entre você e seu parceiro ou uma brincadeira diferente que você faz com outra criança. 

Segundo o pediatra Jorge Huberman, é preciso estabelecer regras claras e limites do comportamento da criança mesmo no auge da emoção. “Nunca esqueça de colocar fronteiras, como por exemplo, não permitir agressividade ou tratamentos rudes, durante as crises de ciúme do pequeno”, alerta.

Dicas para lidar com o ciúme do seu filho: saiba tudo!

Uma alteração de comportamento pode se manifestar em forma de retrocessos, como, por exemplo, crianças que já pararam de fazer xixi na cama voltarem a fazê-lo, ou pedir de volta a mamadeira depois de um longo período longe. 

Essa mudança também se manifesta de outras formas. As crianças tendem a falar ‘não’ com mais frequência ou fazer mais birras que o normal quando estão com ciúmes, como uma forma de chamar a atenção dos pais. 

a importância de falar com seu filho sobre ciúme
A importância de falar com seu filho sobre ciúme (Foto: Unsplash)

Sintomas como dor de cabeça, de barriga ou algum outro tipo de mal-estar também pode ser um indicativo de ciúmes.

Nesses casos, é importante consultar sempre o pediatra para garantir que se trata de uma condição emocional e não um problema de saúde.

Resumindo: a criança não consegue se comunicar da forma que os adultos fazem e tendem a transmitir que alguma coisa está incomodando por meio do corpo ou por mudanças de comportamento. 

Por isso, é de extrema importância que os pais e/ou responsáveis fiquem sempre atentos aos sinais. 

O que fazer quando notar o ciúme no seu filho

O primeiro passo é sempre entender as motivações desse sentimento e ajudar as crianças a lidarem com ele.

Para isso, você vai precisar conversar com o seu filho sobre essa sensação, nomeando-a e ajudando-o a compreender que ele não precisa se sentir ameaçado, porque é muito amado. 

No caso das crianças, é muito importante tentar se comunicar da forma mais clara possível, com todas as letras, para garantir que a mensagem foi passada corretamente. 

Durante essas conversas, é importante que você o escute com atenção e demonstre que, de fato, está interessado no que ele está lhe dizendo.

Isso por si só já vai contribuir para que ele se sinta acolhido.

Além disso, realmente ouvi-lo vai te ajudar a compreender por que ele se sente ameaçado ou incomodado com certas situações. 

Nesses e em outros momentos é de extrema importância que você ressalte o amor que sente pelo seu filho.

Isso pode ser feito de várias formas diferentes: desde um claro ‘eu te amo’, até elogios, abraços e carícias ao longo dos dias e semanas. 

Em caso de ciúmes: vá além das palavras!

A necessidade de conversar sobre o assunto e tentar entender ao máximo o que seu filho está sentindo é inegável.

Por meio da conversa você vai dar a ele o exemplo de como demonstrar sentimentos e mostrar, da forma mais clara possível, o quanto o ama e está ali para ajudá-lo.

saiba lidar com o ciúme do seu filho
O retrocesso de alguns comportamentos pode ser sinal de ciúmes infantil (Foto: Pinterest)

Muito além da conversa, no entanto, ações também são necessárias. 

Quando você notar um ciúme por parte do seu filho, principalmente em relação a um parceiro, irmão ou outras crianças, procure passar mais tempo de qualidade com ele. 

Fale para ele sugerir um lugar para irem juntos e garanta que vocês aproveitem ao máximo o passeio.

Faça questão de que esse momento seja sobre ele e algo que vocês possam fazer juntos, sem nenhuma interferência. 

No caso do ciúme com irmãos mais novos, vale buscar pela rede de apoio, pedindo que fique por um dia com o bebê para que você consiga se dedicar única e exclusivamente ao mais velho.

Somado às palavras, isso vai fazer com que ele se sinta amado e importante para você também. 

De olho nos limites

Mas claro que é preciso identificar um limite em tudo. A ideia é que você consiga explicar para ele que ele é essencial na sua vida, mas que você também ama outras pessoas e precisa dar atenção a outros também.

É importante conversar quando você achar necessário e ter esses períodos sozinho (a) com seu filho de tempos em tempos, desde que isso não prejudique também suas outras funções no trabalho ou com seu parceiro. 

Os filhos vêm em primeiro lugar, mas você também precisa se atentar às suas necessidades e aos seus limites, para garantir que está bem e saudável para continuar educando seu filho da melhor forma possível.

Se, mesmo com conversas e tempo de qualidade juntos, o ciúme continuar persistindo, não tenha medo de pedir ajuda: seja para outras pessoas que tenham sido mães ou pais antes de você e lidaram com essa situação ou até mesmo para profissionais como pediatras e psicólogos infantis.     

Não há necessidade de ter medo ou vergonha de pedir ajuda, afinal, o ciúme na infância é muito comum e a maioria das famílias passam por ele em algum momento da vida. 

No fim das contas, ele é um sentimento como todos os outros, que se faz presente na nossa rotina e, como tudo, só é preciso ficar atento para que não seja exacerbado, levando a ações ruins.

É só colocar na balança: todo sentimento com moderação é aceitável (e saudável)! 

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.