Dr. Jorge Huberman

  >  Novidades   >  Desafio do Benadryl no TikTok é muito perigoso!
Criança usa um celular: desafio do Benadryl no TikTok é muito perigoso!

Desafio do Benadryl no TikTok é muito perigoso!

A rede social, TikTok, tem se tornado febre entre as crianças, principalmente porque é uma plataforma que permite aos usuários criarem vídeos curtos e bem-humorados. Mas, em contrapartida, existe um “mundo” de desafios, dentro da rede social, que se mostra muito perigoso. No final de 2020, um dos desafios que ficou mais popular foi o “Benadryl Challenge” ou Desafio do Benadryl, em português. Crianças e adolescentes de todo mundo, mas principalmente dos EUA entraram na onda. Por isso saiba que: o Desafio do Benadryl no TikTok é muito perigoso!

A ideia é fazer com que as crianças tomem altas doses de anti-alérgicos – remédios utilizados para tratar diversas reações como urticária, coriza e rinite.

Depois, deve-se filmar os efeitos causados pela superdosagem, tais como alucinações.

Recentemente, uma jovem americana de 15 anos, que vivia na cidade americana de Oklahoma, veio a óbito, após filmar-se com alucinações por overdose desse medicamento. 

Há relatos também de outros adolescentes que sobreviveram, mas deram entrada em departamentos de emergência pelo mesmo motivo.

Sabendo dos riscos do medicamento, os órgãos reguladores do país, em especial a Food and Drug Administration (FDA), alertaram quanto aos riscos de tomar doses mais altas do que as recomendadas do remédio anti-alérgico comum difenidramina ou Benadryl.

Segundo o comunicado, essas drogas podem causar sérios problemas cardíacos, convulsões, coma ou até a morte.

O relatório ainda informou que atitudes foram tomadas para evitar que os casos se multipliquem: “Estamos investigando e conduzindo uma revisão para determinar se casos adicionais foram relatados”.

Também acionamos o TikTok para que removessem os vídeos de sua plataforma e que ficassem atentos para remover vídeos adicionais que possam ser postados”.

“Para prevenir ou sanar esse problema, o limite do tempo gasto com eletrônicos é seu aliado”, afirma o neonatologista , Jorge Huberman.

“Para que o adolescente não caia na tentação de usar o celular ou computador escondido, incentive a leitura e os estudos. Ou, então, promova alguma atividade em família – como auxiliar no preparo de alguma refeição”, aconselha o pediatra.  

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman durante parto de um bebê: “para prevenir esse problema, o limite do tempo gasto com eletrônicos é seu aliado”
O pediatra e neonatologista Jorge Huberman durante parto de um bebê: “para prevenir esse problema, o limite do tempo gasto com eletrônicos é seu aliado”

Quais os efeitos de uma overdose de Benadryl?

Um fato: sempre deixe os remédios longe das crianças – mesmo aqueles considerados mais fracos. Contudo, é preciso ficar sempre atento quando se tem filhos em casa. 

No caso do desafio, alguns dos jovens nos vídeos relatam o uso de 10 a 14 comprimidos sob a afirmação de que seria inofensivo.

Mas o fato é que, inevitavelmente, a medicação provoca efeitos colaterais e em alguns casos até uma overdose. 

O Benadryl, especificamente, possui alguns sintomas se ingerido em excesso, entre eles estão: delírio, incluindo sentimentos de hiperconsciência ou ansiedade prolongada; alteração nas pupilas, relato de visão turva, alteração de comportamento e um andar descoordenado.  

Riscos: desafio do Benadryl no TikTok é muito perigoso!

Muitos dos “desafios” postados na plataforma de mídia social TikTok são leves, incluindo vídeos de dança, bem como os de exercícios e atividades familiares divertidas.

Mas outros são mais sombrios e podem causar problemas sérios ou até a morte. Os desafios vão desde ingerir remédios até provocar asfixia. 

Há algumas semanas, por exemplo, a polícia de Palermo, na Itália, divulgou que uma menina de 10 anos faleceu asfixiada após fazer uma brincadeira viral proposta nesta rede social. 

Chamada de “desafio do apagão”, a criança precisa colocar um cinto no pescoço com o objetivo de ficar sem respirar o maior tempo possível – colocando-se em alto risco de vida – e gravar toda a cena com o celular.

Pensando nisso, é importante deixar claro que a informação e o cuidado também devem partir de casa.

Dicas para evitar que o seu filho se machuque

Mãe e filha conversam segurando um tablet: dialogar com cuidado é essencial para explicar ao seu filho os riscos do tiktok
Mãe e filha conversam segurando um tablet: dialogar com cuidado é essencial para explicar ao seu filho os riscos do Tiktok

Diálogo: conversar com cuidado é essencial para explicar ao seu filho os riscos. Além disso, é importante ter argumentos embasados para que os pais não ocupem a figura de “restritores arbitrários”. 

Caminhos: é importante que seu filho entenda que os adultos se importam, e que apenas querem favorecer a experiência dentro dos limites da segurança.

Então proponha atividades ou outras possibilidades de se divertir na internet. 

Informação: é trivial que os pais se informem e saibam como conduzir o acesso dos filhos à internet com critérios de proteção e supervisão – porque, de fato, crianças pequenas não devem navegar sozinhas na web. 

Existem softwares que bloqueiam acessos indesejados, e que garantem um registro do que tem sido visitado, para que a criança não seja vítima, seja de um crime, como um aliciador, ou de um acesso inadvertido a perfis que não sejam adequados para a sua faixa etária.

Calma: não se desespere. Cortar totalmente o acesso do seu filho às redes sociais não ajuda. A criança fica ainda mais suscetível aos perigos e não aprende a separar o que é bom ou ruim na internet. 

Então seja paciente, e possibilite um diálogo franco, nos limites da compreensão da criança a fim de fazer com que seu filho saiba identificar possíveis brincadeiras perigosas. 

E sempre reforce aquela regrinha: “você se sentiria confortável fazendo isso ao vivo na frente da família?” 

Se a resposta é não, também não deve ser feito na rede social.

Respeite a faixa etária adequada para o TikTok
Menino mexe em um telefone celular: TikTok também disponibiliza uma ferramenta chamada “sincronização familiar”; isso permite que os pais ou responsáveis incluam a própria conta com a dos filhos
Menino mexe em um telefone celular: TikTok também disponibiliza uma ferramenta chamada “sincronização familiar”; isso permite que os pais ou responsáveis incluam a própria conta com a dos filhos

É importante saber que a plataforma TikTok restringe o acesso abaixo dos 13 anos e garante que não está direcionada para crianças. Então, não adianta fazer “vista grossa”. 

Nos termos de uso, a empresa ainda explica que menores de 18 anos só podem usar e registrar uma conta mediante a assistência de seus pais ou responsáveis ​​legais.

O TikTok também disponibiliza uma ferramenta chamada “Sincronização familiar”. O que permite que os pais ou responsáveis incluam a própria conta com a dos filhos. 

Assim, podem controlar o tempo de uso no aplicativo, restringir conteúdos que não sejam apropriados e limitar o recebimento de mensagens diretas.

A proposta da empresa é dar maior suporte aos responsáveis e ainda melhorar a experiência de crianças e jovens que utilizam frequentemente o TikTok.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.