Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Cuidados especiais com os recém-nascidos
Cuidados especiais com o recém-nascido

Cuidados especiais com os recém-nascidos

Os cuidados especiais com os recém-nascidos. Qual pai ou mãe que nunca se preocupou com este tema? Ainda mais se forem marinheiros de primeira viagem!

Em primeiro lugar, é bom que se saiba: o nenê tem o status de recém-nascido até o 28º dia do seu nascimento. Aqui, nesse caso, ele precisa se manter sob os cuidados constantes de um neonatologista.

Nesta fase, é típico que o pai e a mãe da criança fiquem constantemente em alerta por causa da suposta fragilidade do seu bebê.  

É claro que o nascimento de um filho ao mesmo tempo que emociona, alegra, também traz algumas preocupações. Isso é normal!

Mais natural ainda é se questionar: como cuidar, de modo adequado, desse ser tão pequeno, bonito e delicado? Na verdade, uma obra divina!

Contudo, esse cuidado excessivo com o recém-nascido pode se tornar até cansativo. Os pais, logicamente, preocupam-se com a eterna questão: estamos agindo do jeito certo?

Mas, para alívio geral, é bom que se fale: esse trabalho não é nada tão complicado ou impossível de se fazer. Com o tempo, os pais pegam o jeito e descobrem que seu filhinho é mais resistente do que aparentam.

Cuidar desta nova criaturinha é um desafio fascinante e requer carinho e paciência!

Bebês exigem cuidados especiais!

Eles exigem alguns cuidados especiais? Sim, sem dúvida! Até porque os mesmos irão refletir posteriormente, em seu desenvolvimento infantil e na adolescência.

É por este motivo que os pais devem se atentar a várias dicas básicas para que a saúde do nenê esteja em ordem, principalmente em suas primeiras semanas de vida. Deste modo, os pais não ficarão tão preocupados assim.

Por exemplo: cuidar do umbigo do recém-nascido é essencial! Porém, muitos pais ainda sentem medo! No entanto, ao contrário: o coto umbilical não é esse terror todo. E, do mesmo modo, não precisa ter tanto receio.

Ele não causa dor ao nenê, porque não tem nervos: é somente um pedaço da pele da mãe.

Da mesma forma, um dos costumes que as mamães dos bebês precisam adotar é o banho de sol, que é fundamental para ativar a vitamina D, recebida pelo leite materno, no corpo da criança.

É importante também que os pais tenham consciência que é comum o recém-nascido ter gases. A sua frequência não é, necessariamente, motivo de preocupação e um bebê agitado pode ser absolutamente comum.

Contudo, pode-se tomar algumas medidas para deixá-lo mais confortável.

O bebê pode receber visitas?

E por falar em conforto do bebê, o ideal é que ele fique o primeiro mês de sua vida em casa e que receba poucas visitas nesse período. Nenês que vieram ao mundo com peso ideal, podem receber visitas a partir daí. Porém, os prematuros ou que nasceram com peso baixo, devem esperar o aval do seu pediatra.

No entanto, os médicos, de modo geral, não estimulam que haja visitas no primeiro mês de vida. Porém, isso é inevitável: sempre haverá alguém para ir ver o bebê. Certifique-se de que esta pessoa esteja saudável e de que essas “espiadas” sejam breves, no máximo 15 minutos.

É essencial que todos lavem as mãos antes de pegar no bebê. A regra é igual para os pais.

Também nestes primeiros 30 dias, com exceção das visitas programadas ao pediatra, não se recomenda que o nenê saia para a rua. Além do provável contato com o excesso de pessoas oferecer riscos à saúde do bebê, ambientes bastante movimentados, com barulho e cheiro fortes podem acabar trazendo stress à criança.

É tudo o que queremos evitar, não é mesmo?

O bebê na maternidade

Ainda antes de ir para casa em suas primeiras horas de vida, na maternidade, o nenê tem que ser submetido a alguns exames: o teste do pezinho, do olho e da língua. Também precisa ser conferido se não tem doenças congênitas, síndromes ou alguma outra ameaça à sua saúde.

Os bebês também são vacinados, ainda no hospital, contra a hepatite B e a BCG, que protege da tuberculose. Eles têm que tomar certas vacinas que são fundamentais para evitar o aparecimento de doenças que podem se tornar graves.

Por isso, é sempre necessário manter o seu calendário de vacinas atualizado. Até se tornar adulto!

Ainda no ambiente hospitalar, a primeira mamada deve ocorrer, se possível, na sala de parto. Ainda que o nenê não sugue nesse momento, é fundamental incentivar o contato pele a pele, pois o mesmo deixa o ato de mamar mais fácil.

Uma recomendação é que se limpe o nariz dele antes de mamar. Não só quando ele escorrer ou estar aparentemente entupido. Antes de amamentar, as narinas têm que ser higienizadas com soros fisiológicos, com sprays específicos para nenês, já que eles têm o jato mais suave.

Com exceção da ida ao pediatra, o bebê não deve ir para a rua no começo da vida. Além do excesso do contato com excesso de pessoas oferecer risco direto à saúde do bebê, ambientes movimentados, com barulhos e cheiros fortes podem estressar o pequeno.

Na sequência da primeira possível mamada, o bebê sai da sala para receber as vacinas e realizar os exames iniciais. Alguns hospitais disponibilizam fórmulas lácteas nesse período. Porém, o bebê, normalmente, possui reserva de nutrientes que aguenta algumas horas até a mamada seguinte ocorrer.

Paz e silêncio em casa

É fundamental que a criança tenha em casa um ambiente de paz e silêncio. Afinal, ele recém saiu do útero materno, em um universo amplamente pacífico. Por esse motivo, seu lar deve ser tranquilo e quieto, principalmente em suas primeiras semanas de vida. Especificamente na hora da amamentação e quando for dormir.

Banho e fralda

Um ponto importante a se levar em consideração é o banho. Ainda no hospital, haverá, com a enfermeira da maternidade, um banho demonstrativo no quarto.

Depois, é só repetir o procedimento em casa, seguindo alguns passos. Primeiro, coloque tudo que irá usar por perto: sabonete líquido de glicerina hipoalergênico, que servirá para corpo e cabeça; toalha, algodão, fralda e roupa. Sobre a temperatura da água da banheira: deverá estar ao redor de 36 graus, um pouquinho quente, mas confortável.

A recomendação dos especialistas é que o corpo do bebê seja enrolado em uma toalha para que a cabeça seja lavada em primeiro lugar. Depois, seque-a e aí lave o corpo, com suavidade, delicadeza e gentileza.

Não é necessário trocar a fralda sempre que o bebê faz xixi. Porém, nos primeiros dias de vida, o uso delas é intenso, já que eles farão cocô ao menos oito vezes, diariamente. Ao fazer a troca, evite lenços umedecidos: eles têm componentes químicos que podem irritar a pele do bebê. Use algodão e água morna.

Meninos e meninas devem ser sempre limpos da frente para trás, de forma suave. Ainda, neste tema de lavar, geralmente o que restou do cordão umbilical deve cair até os 15 dias do seu nascimento. Até lá, é necessário higienizar a base dele, mais perto da pele, com álcool 70% a cada troca de fraldas. É comum que saia um pouquinho de sangue. Não se preocupe!

Como fazer a limpeza de orelhas, olhos e boca do nenê?

Outros pontos delicados de serem limpos são as orelhas, os olhos e a boca. O ouvido não precisa ser limpo: é necessário usar somente após o banho a própria toalha. Ou, então, um cotonete, de modo bem delicado, na parte externa da orelha. Esta, depois, precisa ser bem secada.

Os olhinhos do bebê devem ser limpos durante o banho, com algodão e água. Certas crianças, no entanto, lacrimejam mais. Nesses casos, o olhinho pode ser limpo em outros momentos.

Sobre a boca: não é preciso lavar o seu interior, mesmo que tenha uma camada de resquícios de leite na língua do nenê. Os lábios, tudo bem: podem ser higienizados depois de mamar.

Banho de sol no bebê pode?

Os banhos de sol têm que ser realizados sim, mas somente após a primeira consulta com o pediatra.

Recomenda-se: no máximo 15 minutos diariamente e somente nas pernas do bebê já que a sua pele é muito delicada.

Esses banhos de sol devem ser dados fora do período de maior incidências dos raios ultravioletas: ou seja, devem ser evitados entre 10 e 16 horas, ou às 5 horas da tarde, em épocas mais quentes.

As cólicas

Na terceira semana de vida da criança, as cólicas intestinais começam a aparecer. É normal, porém, o nenê chorar com a dor. É possível aliviar o incômodo com massagens feitas sob instrução do pediatra, que também irá receitar remédios, caso seja preciso.

Chupeta e mamadeira

O nenê não necessita da chupeta. Sendo assim, dentro do possível, evite utilizá-la. Contudo, caso faça questão de oferecer a ele, compre a ortodôntica. Desse modo, evita maiores danos à estrutura bucal.

A chupeta deve sempre permitir a ventilação e acompanhar a curvatura do rosto. Antes dos 15 primeiros dias de vida do bebê, a chupeta está proibida, já que atrapalha a amamentação. Mesmo depois disso, ela pode ocasionar o desmame precoce e outros problemas ao bebê, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria.

Orientação parecida serve para as mamadeiras (nunca esquecer que o leite materno é ideal para o bebê). O bico mais recomendado é o de silicone, já que sua transparência permite que qualquer sujeira seja vista facilmente.

Vale ressaltar: não só o bebê que necessita de cuidados especiais. Os pais, a mãe, principalmente, também precisa. É ela que amamenta ele diversas vezes, em várias situações, fica sobrecarregada com as solicitações frequentes do filho.

É ai que entra o pai ativo: é necessário que ele participe efetivamente, dando todo o suporte para a sua esposa.

Dentro do possível, é importante que a família toda ajude para que tudo corra na maior tranquilidade. 

Lembre-se também que: os 10 primeiros dias de vida do nenê são dias caóticos! Não há regras, tudo que facilita a vida dos pais é permitido! É a fase da “livre demanda”: o bebê mama e dorme quando quiser!