Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Como reduzir risco de morte súbita?
Bebê com sono dorme de barriga para cima: posição correta de dormir

Como reduzir risco de morte súbita?

Uma questão que preocupa bastante os pais é como reduzir o risco de morte súbita em bebês?

Em primeiro lugar, é bom que se diga: adotar medidas de precaução é simples e traz segurança aos pais do bebê, colaborando para que ele tenha uma vida mais saudável e sofra menos riscos.  

Sem dúvida alguma, a morte súbita dos nenês é um evento trágico, com impacto duradouro em seus familiares, isso é: praticamente inesquecível.

Afinal, estamos tratando de uma morte totalmente inesperada, de modo súbito, durante o sono de uma criança, que não consegue ter a sua causa efetiva desvendada. 

Em segundo lugar, é interessante se afirmar que os bebês que estão entre o seu primeiro e quarto mês de vida são os que mais correrem riscos de sofrerem morte súbita.

Segundo estudos internacionais, estima-se que há uma morte para cada 2.500 nenês que nascem com vida.

Boa parte dos óbitos dos bebês ocorrem no período noturno, no sono, podendo, contudo, acontecer durante o dia, seja em casa, escolas, creches, ou qualquer lugar que o bebê esteja dormindo.  

A posição que a pequena criança dorme, assim como as condições em que isso acontece são os fatores mais importantes de risco para que ocorra a indesejada morte súbita.

Os bebês que gostam de dormir de barriga para baixo ou de lado são os que correm maior risco de morte súbita quando comparados aos casos dos nenês que dormem de barriga para cima.  

A causa de morte súbita do lactente também está muitas vezes associada ao fato do bebê dormir na mesma cama dos pais. A síndrome da morte súbita pode ocorrer, neste caso, com os nenês que tenham até 3 meses de vida.

O que significa ter um sono seguro?

Um sono seguro significa não ter na caminha do nenê objetos como colchas, edredons, mantas com pelo, travesseiros e brinquedos ou almofadas com enchimento para proteção.

Todos esses objetos evitam que o bebê durma bem, ao contrário do que muitos pensam já que eles ampliam o risco de morte súbita porque podem acabar facilitando a obstrução das vias aéreas do nenê, dificultando a sua respiração. 

Os pais não devem colocar travesseiros para os pequenos dormirem e os colchões dos seus berços têm que ser firmes e sob medida.

Lactentes de mães fumantes tem um fator de risco 5 vezes maior de apresentar morte súbita em relação aos bebês de mães que não são fumantes.

Fora isso, o tabagismo paterno e também o tabagismo passivo na infância podem ser fatores de risco para a morte súbita de uma criança.

Deste modo, é fundamental que os pais, principalmente as mães, larguem o cigarro, não somente na gravidez, como também depois do nascimento do bebê.  

Os nenês prematuros e os que moram e vivem em condições tidas como precárias são os que têm maior risco de morte súbita.  

Adotar simples medidas precaução traz segurança aos pais e familiares do bebê. Contribuem para uma vida mais saudável e com menos riscos, acima de tudo.

Para diminuir esse risco, preste atenção em relação à posição que o bebê será colocado em seu berço.

Ao contrário do que se afirmava no passado, hoje é sabido que a posição mais correta para o nenê dormir é a posição de barriga para cima.

Nunca deixe o bebê no berço para dormir de bruços, com sua barriguinha para baixo, muito menos de lado!

O bebê, após os 6 meses de idade, pode dormir na posição que quiser!

Bebê com sono dorme em cima de uma manta: posição errada de dormir

Bebê com sono dorme em cima de uma manta: posição errada de dormir

Quando o lactente aprende a rolar sobre o corpo, normalmente depois dos 6 meses de idade, ele poderá dormir na posição que ele preferir, sem nenhuma interferência dos pais.

“Os estudos mais recentes determinam que o ideal é o bebê dormir de barriga para cima até o seu sexto mês de vida”, afirma o pediatra Jorge Huberman.

Atente-se: o colchão do berço deve ser firme, próprio para o seu tamanho.  

Mantas com pelos, travesseiros, brinquedos, almofadas com enchimento para proteção e outros objetos oferecem grande risco de sufocamento e têm de serem evitados em berços.  

Dormir no quarto dos pais, entre 6 e 12 meses de idade de idade, é autorizado, sendo até um fator de proteção.

Contudo, de jeito nenhum o bebê deve dormir na mesma cama dos pais. No sono das crianças podemos rolar sobre os pequenos e podemos sufocá-los.  

Outra coisa: não exagere no aquecimento dos bebês. Cadeirinhas de transporte nos nossos carros não devem ser usadas para substituir os berços em casa, essencialmente para os bebês pequenos.  

Do mesmo modo, a utilização de chupetas mostrou-se um bom fator de proteção contra a ocorrência de morte súbita em alguns estudos.

Isso motivou nos EUA a indicação do uso de chupetas nos bebês que começaram a fazer aleitamento materno há pelo menos 3 semanas.

No entanto, outras nações como Reino Unido, Nova Zelândia e Austrália não seguiram esta recomendação.  

Por último, recomenda-se que as mães, principalmente, não fumem na gravidez e evitem a exposição do bebê à fumaça do cigarro.

É óbvio também que é muito bom evitar, do mesmo modo, o consumo de álcool e de drogas ilícitas durante a gravidez e após o nascimento do bebê.

Vale sempre consultar o pediatra do seu bebê para que nada de mal aconteça!  

O pediatra Jorge Huberman ao lado do seu paciente, Thomas: até seis meses de idade, o bebê precisa dormir de barriga para cima para evitar a morte súbita.
O pediatra Jorge Huberman ao lado do seu paciente, Thomas: até seis meses de idade, o bebê precisa dormir de barriga para cima

Para marcar uma consulta com o pediatra Jorge Huberman, ligue para: (11) 2384- 9701