Dr. Jorge Huberman

Como os pais devem lidar com a timidez infantil?

Assim como ocorre com os adultos, a timidez não é uma doença quando presente nas crianças. Na verdade, a timidez é uma característica da personalidade de pessoas mais introvertidas e reservadas– que, aliás, vivem muito bem dessa forma. Por isso, vamos abordar neste artigo o tema: como os pais devem lidar com a timidez infantil?

Contudo, há um problema sério relacionado com esse traço de personalidade: quando a timidez passa a ser um obstáculo para a execução de atividades essenciais do dia a dia como, por exemplo, tirar dúvidas na escola, pedir para ir ao banheiro e fazer amizades.

Nessas situações, é essencial que os pais saibam, exatamente, como lidar com a timidez infantil.

A boa notícia é que existem perguntas chaves que irão ajudar os pais a tentarem resolver o problema.

– Como consigo saber se meu filho é tímido?

– O que faz uma criança ser tímida?

– Quando devo me preocupar com a timidez do meu filho?

– Como faço para ajudar uma criança tímida?

Como faço para saber se meu filho é tímido?

Em primeiro lugar, alguns questionamentos devem ser feitos pelos próprios pais: o meu filho prefere brincar sozinho, não gosta de interagir com outras crianças, tem poucas amizades  (ou não tem amigos?); ele é considerado ‘comportado’, se recusa a cumprimentar desconhecidos, evita o contato visual; mantém sempre a cara fechada? E, por último, tem vergonha de falar com as pessoas, de modo geral?

Por mais que sejam comportamentos considerados como incomuns em meio à típica agitação e espírito aventureiro das crianças, é importante que se saiba que não é algo ruim ou mesmo preocupante: o seu filho pode ser apenas tímido.

O que torna uma criança tímida?

Se, em uma atividade em grupo, por exemplo, o nível de interação da criança é menor e ainda é acompanhado de ansiedade, tremores, calafrios ou mesmo stress, há boas chances da causa ser a timidez.

Do mesmo modo, também é importante que os pais tenham consciência que resultados precisos somente podem ser fornecidos por um profissional da área, já que sintomas parecidos são vistos em casos do Transtorno do Espectro Autista e outras síndromes.

Da mesma forma, um dado muito interessante deve ser levado em consideração: pelo menos 15% das crianças já nascem com um temperamento associado com a timidez. Os bebês que são facilmente intimidados e emocionalmente sensíveis são os que provavelmente terão uma personalidade deste tipo.

Fora a genética, o padrão de comportamento associado com a timidez pode ter a sua origem em experiências vividas e nas relações familiares: como, por exemplo, críticas severas, bullying, falta de conexões interpessoais, negligência, superproteção e o medo excessivo de falhar são práticas que acabam “gerando” uma criança tímida.

Quando se preocupar com a timidez da criança? Como os pais devem lidar com a timidez infantil?

Criança tímida fica de cara fechada ao mostrar insatisfação: se o motivo por trás da timidez da criança for alguma prática ruim exercida pelos pais, comunidade ou colegas, isso merece atenção por parte dos pais.
Criança tímida fica de cara fechada ao mostrar insatisfação: se o motivo por trás da timidez for alguma prática ruim exercida pelos pais, comunidade ou colegas, isso merece atenção por parte dos pais.

Em primeiro lugar, se o motivo por trás da timidez da criança for alguma prática ruim exercida pelos pais, comunidade ou colegas, isso merece atenção – até porque não é uma característica inata, e sim uma resposta a situações negativas pelas quais o pequeno passou em sua vida.

Em casos em que a timidez é, de fato, resultado da personalidade da criança, a preocupação deve existir se os comportamentos tímidos vierem acompanhados de efeitos psicológicos e físicos prejudiciais como níveis significativos de medo, preocupações, ansiedade, pensamentos negativos, suor nas extremidades, gaguejo, náuseas, tremores e calafrios.

Se ocorrerem em excesso, esses efeitos farão com que a criança queira evitar totalmente o contato social e qualquer tipo de exposição, o que é muito grave para o seu futuro em convívio com a sociedade, ainda mais considerando que o quadro costuma ser passado de forma ainda mais acentuada em fases do desenvolvimento infantil posteriores.

Fora isso, o fato de que a timidez em excesso pode afetar até a autoestima e o senso de valor da criança comprova o quanto é importante que os pais acompanhem de perto o possível desenvolvimento exagerado desse tipo de personalidade retraída.

Como ajudar uma criança tímida?

1. Evite rótulos e frases feitas como “meu filho não vai poder ir na festinha porque ele é tímido”. Fazer isso é encaixar a criança em uma caixinha. Mais ainda: evidencia algo que é somente um traço de sua personalidade, o que é ruim ao senso de autoimagem da criança;

2. Evite também as comparações! Uma frase no estilo: “olhe como o seu irmão consegue fazer amizades na escola” são comentários que não são saudáveis, não ajudam, e reforçam a sua insegurança;

3. Não faça isso: forçar a criança, ou pior, um bebê a ir no colo de alguém que ele não quer: além de piorar a sua aversão ao ato de socializar, esse gesto faz com que a criança perceba que seus limites não são respeitados;

4. Ensine ao seu filho como socializar pode ser uma atividade leve: uma alternativa é começar em casa, com brincadeiras que relembram os tempos dos pais;

5. Incentive a criança a participar de exercícios realizados em grupos: diga a ela para formar dupla com um colega que tem a mochila do mesmo personagem, almoçar com alguém que já conhece de outros lugares;

6. Valorize pequenas conquistas! Apreciar todo os seus esforços é ensinar que não são apenas os grandes feitos que definem o valor das pessoas. Isso vai contribuir ao desenvolvimento da sua autoestima;

7. A preparação antecipada é espetacular! Converse sobre situações que fazem com que a timidez apareça na criança e sugira modos de solucionar isso;

8. Mantenha a calma no processo. Nem todo crescimento é definitivo. É possível que a criança apresente alguns medos relacionados à timidez, mesmo depois de algumas “vitórias”. Repreender e, pior ainda, castigar não é a solução: há grandes chances que os pais sejam o único ponto de segurança e conforto da criança nesses casos.

Como os pais devem lidar com a timidez infantil?

Menina rói a unha em sinal de timidez e vergonha: essas oito dicas são muito importantes para os pais saberem como devem lidar com a timidez infantil
Menina rói a unha em sinal de timidez e vergonha: essas oito dicas são muito importantes para os pais saberem como devem lidar com a timidez infantil

Quando a criança apresenta problemas para se relacionar, prefere brincar sozinha, precisa da ajuda dos pais constantemente, não tem iniciativa e parece não se divertir nunca, é importante deixar o radar ligado: pode ser que haja algum sofrimento envolvido.

Normalmente, as crianças tímidas são extremamente exigentes consigo mesmas, tem medo de se expor e de se arriscar.

Às vezes, por conta da timidez excessiva, a criança perde oportunidades e se arrepende por isso, causando ansiedade e angústias que necessitam serem trabalhadas, pois, no futuro, esses comportamentos podem criar uma fobia social e ansiedade, trazendo prejuízos para os seus relacionamentos.

É importante estar atento para o quanto a timidez interfere na vida da criança.

Se as dificuldades aumentarem, é importante buscar ajuda de um profissional. Um psicólogo poderá ajudar a criança a lidar com a timidez de um modo mais assertivo.

Mesmo sem se expor demais, a criança tímida pode ter um excelente relacionamento com os amigos e conquistar mais autonomia e independência, sem passar nenhum aperto mesmo que esteja longe dos pais.

“Para ajudar a criança tímida: evite rótulos; não force a criança a fazer atividades nas quais ela não se sinta bem. Tenha calma!”, ensina o pediatra Jorge Huberman.

“Incentive a criança a participar de exercícios em pequenos grupos. Estimule novas brincadeiras com os colegas. Não a compare com os amigos e não menospreze os sentimentos dela”, completa o médico.

O pediatra Jorge Huberman em seu consultório em Moema: "incentivar a criança a participar de exercícios em pequenos grupos e não fazer comparações com os amigos ajudam muito a combater a timidez"
O pediatra Jorge Huberman em seu consultório em Moema: “incentivar a criança a participar de exercícios em pequenos grupos e não fazer comparações com os amigos ajudam muito a combater a timidez”. Foto: Chico Audi

Para marcar uma consulta com o pediatra Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701/ whatsapp – (11) 97144-7939

Blog Jorge Huberman