Dr. Jorge Huberman

  >  adolescentes   >  Como os jovens podem evitar o vício na internet?
Criança usa um notebook: como os jovens podem evitar o vício na internet?

Como os jovens podem evitar o vício na internet?

Entre as maiores preocupações que os pais têm com seus filhos, atualmente, uma está envolvida diretamente com a tecnologia e muitos deles se perguntam: como os jovens podem evitar o vício na internet?

O mesmo, hoje em dia, é um dos problemas que mais gera preocupação durante a adolescência dos filhos.

Afinal, com a grande evolução tecnológica, principalmente nas últimas décadas, são eles que têm sido os grandes “consumidores” do mundo online.

Associadas ao vício na internet, estão outras questões que podem colocar em jogo o bem-estar dos adolescentes. 

Sem dúvida alguma, problemas de relacionamento, depressão e fracasso escolar são algumas das consequências desta dependência.

Normalmente, estas adversidades surgem pela falta de conhecimento por parte dos mais jovens a respeito dos riscos que eles correm.

Afinal, eles sempre acabam seduzidos pelas diversas formas de entretenimento que a internet proporciona. 

Contudo, muitas vezes pela falta de maturidade, eles não percebem o modo como acabam sendo absorvidos.

Em certas situações, quando o vício pela internet acaba saltando aos olhos, torna-se fundamental analisar se a tecnologia está sendo utilizada como uma fuga para o jovem.

Se estiver ocorrendo isso, o auxílio de um especialista é essencial para a resolução do problema.

Formas de controlar o vício na internet; como os jovens podem evitar o vício na internet?

Nem tudo é negativo quando falamos no uso da internet pelos adolescentes.

De modo irreversível, as novas tecnologias são uma realidade do cotidiano com as quais os pais, professores e diretores de escola têm que lidar.

O desenvolvimento tecnológico determina as coisas desse modo.

Há grandes vantagens em integrá-las tanto ao processo pedagógico como também ao processo educativo.

No entanto, é essencial alertar os alunos a respeito dos riscos que o vício da internet e de outras ferramentas tecnológicas podem acabar trazendo para suas vidas.

O fato é que, de forma incontável, os pais debatem sempre o modo como os jovens, seus filhos, lidam com a internet.

A depender do grau de vicio que já atingiu o adolescente, sua rotina do cotidiano certamente foi afetada.

Em primeiro lugar, é importante que os pais estabeleçam regras de uso da internet.  

Este é um modo de prevenir ou reduzir o vício da internet.

No entanto, é essencial dialogar com seu filho para que se chegue a um consenso a respeito do uso da internet, tanto em sua casa como também fora dela, sem excessos.

É claro que o acesso à rede é difícil de ser controlado no dia a dia.

Mas podemos aproveitar certos mecanismos que, normalmente, as operadoras de internet ou de celular disponibilizam para os clientes.

Uma alternativa seria programar os horários de acesso à rede, por meio do seu roteador.

Outra opção seria limitar os pacotes de dados disponíveis no celular do seu filho. Seja feito de um modo ou de outro, colocar limites na vida dos jovens é essencial!

Agora: não basta só os pais exigirem dos filhos uma conduta X ou Y se eles mesmos não dão um bom exemplo e isso é fundamental!

Pais devem dar bons exemplos

Jovem garoto usando um notebook: pais devem servir de exemplo aos seus filhos
Jovem garoto usando um notebook: pais devem servir de exemplo aos seus filhos

Os pais também devem evitar ao máximo o uso excessivo da internet. Mesmo que seja para tratar de assuntos profissionais, já que isso pode colocar em risco um convívio familiar saudável.

Fora que, seria contraditório em relação ao que se exige dos jovens.

Outro conselho é conversar sobre os riscos do uso da internet.

Falar com os seus filhos sobre isso é positivo. Eles têm que ter total noção dos perigos que estão correndo ao navegarem na web.

Podem ser abordados tanto assuntos atuais como também os danos que o vício na internet pode causar.

Da mesma forma, também é dever dos pais ensinar aos jovens como navegar de forma segura e objetiva, principalmente na busca por um bom conteúdo.

Como sabemos, a internet é uma ferramenta sem a qual não vivemos no dia a dia. Proibir o seu uso é um tiro no pé: não é a melhor decisão a ser tomada pelos pais.

Cabe a nós aceitarmos a realidade e tentarmos promover sua utilização de modo sensato e equilibrado.

O diálogo entre pais e filhos certamente irá ajudar a perceber todas as ações dos jovens em sua navegação na web.

Cabe aos pais ficarem atentos, principalmente, sobre à navegação nas redes sociais e também não se deve deixar de questionar a respeito de aspectos que ficaram pouco claros sobre esta navegação.

Uma boa solução para combater o vício da internet é proporcionar aos jovens atividades gostosas fora de casa. No entanto, às vezes, é mais seguro aos pais ter os filhos por perto, mesmo que fiquem agarrados aos seus celulares.

Portanto, deixe que o adolescente ocupe seu tempo com atividades que possam ser estimulantes para eles.

Praticar esportes, desenvolver aptidão para arte ou, simplesmente, o convívio familiar são coisas que evitarão a utilização sem limites da internet.

Ajuda de especialistas sempre é benéfica (h4)

Ajuda de especialistas sempre trazem benefícios nestes casos. É essencial que os pais busquem por este auxílio quando sentirem que o vício pela internet provoca no adolescente dependência total da mesma.

Esta é uma situação extrema com consequências ruins no bem-estar do jovem.

Normalmente, as áreas da Psicologia e da Psiquiatria podem ser um apoio determinante. O aparecimento de patologias associadas a este vício pode colocar em xeque o desenvolvimento psicossocial do adolescente.

“Agora existe também o termo ciberviciado, que é conhecido como compulsão à internet ou internet-dependência”, afirma o pediatra Jorge Huberman.

“É diagnosticado como um caso de internet-dependência, quando as pessoas têm sua vida pessoal, profissional e sentimental afetada pela permanência exagerada na internet”, afirma o neonatologista Jorge.

Menina navega na internet: ciberviciado é conhecido como compulsão à internet ou internet-dependência
Menina navega na internet: ciberviciado é conhecido como compulsão à internet ou internet-dependência

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista, Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.