Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Como identificar distúrbio de sono na infância?
Criança na cama com dificuldade para dormir: é função do pediatra como identificar o distúrbio de sono na infância

Como identificar distúrbio de sono na infância?

Muitas crianças apresentam dificuldade para dormir. Por isso, seus pais frequentemente trazem essa dúvida aos consultórios pediátricos: como identificar o distúrbio de sono na infância?

Na verdade, isso não é tão simples de responder já que são várias condições, temporárias ou permanentes, que acabam por afetar o sono dos nossos filhos.

Algumas delas são manifestações fisiológicas normais, que estão relacionadas ao processo de amadurecimento das nossas vias do cérebro.

As condições normais devem ser diferenciadas das patologias ou condições anormais que atingem esta faixa etária e que, se não forem tratadas, acabam prejudicando o desenvolvimento correto e adequado dos pequenos.

Na verdade, são várias as condições que podem causar distúrbios do sono na criança, como a Síndrome de Apneia Hipopneia Obstrutiva do Sono (SAHOS) da Criança, as parassonias e a epilepsia.

Na primeira, SAHOS, há uma característica especial: ela é diferente daquela que ocorre no adulto.

Normalmente, o problema ocorre entre os 3 e os 6 anos de idade e é provocado pelo aumento dos tecidos que compõem as adenoides e as amígdalas da garganta.

Essa hipertrofia pode levar, inclusive, à obstrução das vias aéreas superiores e causar o ronco e a apneia do sono.

O ronco é o barulho produzido pela passagem do ar pelas vias aéreas estreitadas.

A apneia é a interrupção da passagem do ar pelas vias aéreas e a hipopneia é a passagem diminuída do ar pelas vias aéreas estreitadas.

A redução do fluxo de ar pode causar deficiência na oxigenação do sangue e dos tecidos do organismo.

Esta situação precisa ser tratada já que pode trazer sérias consequências ao desenvolvimento da criança, como alterações faciais e dificuldade de aprendizagem, entre outros problemas.

Parassonias: distúrbios benignos

Criança com dificuldade para dormir: Como identificar distúrbio de sono na infância?
Criança com dificuldade para dormir: como identificar distúrbio de sono na infância?

As Parassonias, normalmente, são distúrbios benignos, associados ao crescimento e ao desenvolvimento e que têm a tendência de desaparecer com o tempo.

Podem ser causadas por um despertar incompleto e podem ocorrer tanto no sono não REM, como no sono REM, considerado como o mais pesado.

Existem quatro tipos de Parassonias que ocorrem no sono não REM, ou seja, normalmente na primeira metade da noite.

São esses.

Despertar confusional: ocorre com bebês e acontece com movimentos de se debater, junto com choro praticamente inconsolável, que parece nunca ter fim.

A interferência dos pais tentando interromper o processo, faz, muitas vezes, com que esse se prolongue e a criança, normalmente, demora para retomar o sono.

Sonambulismo: é a conhecida situação da criança que senta na cama, levanta, anda pelo quarto ou mesmo pela casa enquanto está com dormência.

O sonambulismo frequentemente não está associado aos sonhos, pois ocorre na fase do sono não-REM.

Sonilóquio: é quando a criança fala durante o seu sono. Normalmente, também não está associado aos sonhos, porque ocorre durante o sono não-REM.

Terror noturno: Acontece mais com os meninos. A crise tem início com um grito; posteriormente, a criança se levanta da cama e pede socorro.

A mesma parece muito assustada, mas geralmente volta a dormir e não costuma lembrar de nada, posteriormente, ao acordar pela manhã.

Outros dois tipos de Parassonias ocorrem no sono REM (normalmente, na segunda metade da noite).

Pesadelos: Em geral, a criança levanta da cama assustada, ansiosa e pode até lembrar de partes dos sonhos.

Distúrbio Comportamental do sono REM: Não ocorre muito com crianças. É comum em pessoas de mais idade.

Tem como característica a movimentação durante o sono, que representa o que está se sonhando. No adulto, caracteriza-se por episódios de agitação no sono. Este distúrbio requer medicação específica.

Crises epiléticas

A epilepsia, em alguns casos, é uma causa subestimada de distúrbios do sono. Mas ela deve ser sempre considerada no diagnóstico diferencial dos distúrbios do sono nesta faixa de idade.

Entre 20 a 40% das crises epilépticas infantis acontecem durante o sono, podendo levar a fragmentação do mesmo e também à sonolência excessiva durante o dia.

Os sintomas nem sempre são fáceis de reconhecer para as pessoas que não estão familiarizadas com o problema.

Por exemplo, na epilepsia rolândica, que é um tipo de epilepsia benigna, típica em crianças na idade escolar, muitas crises se dão durante o sono, podendo atingir somente a face e os membros superiores e nem sempre são percebidas pelos familiares.

São condições que precisam de tratamento.

Sintomas: como identificar distúrbio de sono na infância?

Bebê dormindo: sintomas que ocorrem durante o dia incluem obstrução nasal, respiração pela boca, distúrbios de comportamento
Bebê dormindo: sintomas que ocorrem durante o dia incluem obstrução nasal, respiração pela boca, distúrbios de comportamento

Na síndrome da apnéia/hipopnéia da criança, os sintomas noturnos, normalmente, são respiração bucal, ronco, alguma dificuldade para respirar, pausas respiratórias, sono agitado e sudorese.

Os sintomas que ocorrem durante o dia incluem obstrução nasal, respiração pela boca, distúrbios de comportamento (hiperatividade, agitação, falta de atenção), dificuldade de aprendizado e sonolência diurna em excesso.

As parassonias costumam se manifestar com sono agitado, pesadelos, a criança fala dormindo, anda dormindo, ao despertar apresenta confusão.

As crises epilépticas se manifestam com convulsões noturnas (a criança se debate), mordedura de língua ou machucados, ou, ainda, liberação esfincteriana (a criança urina ou acaba defecando na roupa).

Diversas vezes, as crises ocorrem somente com movimentações rítmicas de grupos musculares isolados (face, membros, etc).

Crianças com crises durante o sono tem o mesmo fragmentado, podendo levar a sintomas como, por exemplo, a sonolência excessiva durante o dia, dificuldade de aprendizado, atenção, concentração e irritabilidade.

Os familiares podem demorar para perceber o problema, atribuindo as consequências das crises a outras causas que não aquelas que seriam pensadas inicialmente.

Diagnóstico etiológico

O diagnóstico etiológico é feito por meio da análise conjunta da história clínica, exame físico e da polissonografia (quando essa é necessária).

Em algumas situações pode ser necessária a complementação da avaliação otorrinolaringológica, exames laboratoriais e outros exames como o Eletroencefalograma.

Tratamento do distúrbio do sono

Alguns casos como a maioria das Parassonias são benignas e são resolvidas de forma espontânea, com o tempo.

A Síndrome de Apnéia/Hipopnéia da criança requer avaliação otorrinolaringológica para identificação da causa e tratamento específico (em alguns casos pode precisar de cirurgia). As crises epilépticas podem ser tratadas com medicações anticonvulsivantes.

Afirma o pediatra, Dr.Jorge Huberman.

O pediatra e neonatologista, Jorge Huberman logo após um parto: "para as crianças que têm problemas, crie um ritual para que elas possam dormir de forma adequada
O pediatra e neonatologista, Jorge Huberman logo após um parto: “para as crianças que têm problemas, crie um ritual para que elas possam dormir de forma adequada

“Se o seu filho não dorme bem, pode ser que esteja na hora de criar um ritual de sono”, diz.

“Assim como muitos adultos gostam de beber um chá ou fazer uma leitura leve antes de dormir, para o bebê também pode ajudar. O mais famoso deles é combinar o banho, seguido de amamentação e depois ser colocado para dormir”, explica o neonatologista.

 

Para marcar uma consulta com o Dr.Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.