Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Como evitar que o bebê engasgue?
Como evitar o engasgo do bebê

Como evitar que o bebê engasgue?

Recentemente na mídia saíram várias matérias sobre um tema polêmico: como evitar que o meu bebê engasgue? Essa é uma das questões que mais afligem os pais, principalmente os que são de primeira viagem. Até porque a amamentação é um dos momentos mais desejados das futuras mães. Para a maioria delas, isso significa uma intimidade imensa com seu filho.

Ocorreram alguns casos em que oficiais da Polícia e do Corpo de Bombeiros tiveram que ser acionados pois os pais entraram em desespero ao verem seus filhos engasgando de forma perigosa, temendo por sua vida. Tanto os policiais quanto os bombeiros conseguiram salvar os bebês que estavam em perigo.

Quando a mãe é inexperiente ou então o recém-nascido tem problemas para mamar, o ato pode causar certo temor às mulheres.

Consequentemente, vem logo a dúvida: e se o nenê se afogar com o leite?  

Uma dica que pode ajudar muito é observar a posição do bebê quando ele for amamentar.

A outra dica é: consulte sempre o seu pediatra para evitar transtornos. Ele certamente saberá te orientar para que evite os engasgamentos.

A cabeça do nenê (isso é muito importante!) tem que estar mais elevada do que o seu corpo, não de barriga para baixo, já que esta posição favorece a descida do líquido para o estômago.

Fora isso, após a amamentação, o bebê deve ser colocado na posição vertical, em um intervalo de 20 a 30 minutos.

Uma das dicas para evitar casos de engasgamento é: não se recomenda também que a criança seja amamentada deitada. Ou seja, colocar o bebê deitado para mamar não é o mais indicado.

Crianças com menos de 4 anos de idade engasgam com mais facilidade

Em primeiro lugar, é bom que se explique: o engasgamento ocorre com mais frequência em crianças com menos de 4 anos.

Isso acontece pelo fato delas terem as vias aéreas superiores pequenas e também porque, nesse período da vida, o hábito de levar objetos para a boca acontece com frequência, principalmente quando o bebê é bem pequeno.

Uma situação também que pode deixar os pais um pouco mais aflitos é que as crianças, nesta fase, não conseguem controlar a mastigação por não terem ainda os dentes molares, que são essenciais para triturar alimentos. 

Contudo, nem sempre é um alimento sólido ou um objeto que ocasiona o engasgo. Existem casos em que o bebê engasga com o leite materno, que se transforma em um corpo estranho em seu sistema respiratório.

Há dois tipos de engasgamento: o total e o parcial. Quando as vias respiratórias ficam totalmente obstruídas e, desta forma, a criança sente falta de ar, não consegue se expressar, nem começar a tossir e fica com os lábios e as unhas arroxeados, é uma situação considerada como emergencial.

Isso ocorre pelo fato que pode levar a criança à perda de consciência e até, infelizmente, à morte por asfixia.

Como devemos agir com os engasgos? 

Como evitar que o bebê engasgue?
Bebê tomando mamadeira: pais devem sempre ficar atentos quando o bebê se alimenta!

Embora a primeira reação dos adultos diante de um engasgamento costuma ser de desespero, os pediatras falam sobre a importância de tentar manter a calma e saber agir, prestando os primeiros socorros com agilidade, tendo como objetivo ajudar a criança a expelir o alimento ou objeto que está ocasionando o sufocamento e, consequentemente, o intenso desconforto.  

A técnica que deve ser utilizada para o desengasgamento é a Manobra de Heimlich, criada pelo médico americano, Henry Heimlich.

Esta manobra é um procedimento a ser realizado quando a criança está inconsciente. Ela consiste na compressão abdominal, capaz de desobstruir as vias aéreas do bebê pela descompressão do diafragma, órgão responsável por comandar a entrada e a saída de ar do corpo humano.

Para perceber, de fato, se o bebê perdeu a consciência após engasgar preste atenção a estes sintomas.

Ele não responde com nenhum movimento quando chamado ou tocado; não chora, não se movimenta, não tem reação; está com a respiração agonizante ou desmaiado.  

Se um nenê, com menos de um ano engasgar o certo é o adulto, sentado, colocá-lo sobre as pernas, segurando em seu queixo com uma das mãos, mas com a cabeça mais inclinada para baixo.

Usando a outra mão, ele deve bater cinco vezes seguidas, com força, nas costas, seguida de cinco compressões no peito até que a criança desengasgue.  

Caso as manobras não surtem efeito, há que se recorrer ao atendimento de urgência.

Contudo, mantenha os procedimentos até que o socorro médico chegue. Um alerta importante é para não tentar usar os dedos para tirar, eventualmente, o objeto da garganta da criança, pois, assim poderá empurrá-lo ainda mais fundo, piorando muito a situação. 

Cuidados para a criança não engasgar

Alguns cuidados são muito importantes para evitar que a criança engasgue.

Para as crianças menores de 4 anos, ofereça alimentos amassados e com as fibras desfiadas.

Evite ao máximo dar comida ou guloseimas com eventual risco potencial para aspiração: salsicha, bala dura, amendoim, milho, feijão, castanha, nozes, pedaços de carne, etc.  

As crianças podem fazer suas refeições sentadas no cadeirão, quando bebês, ou então à mesa.

Não permita que elas comam andando ou correndo, ou seja, em movimento: as crianças podem ficar com a comida na boca, sem que os seus pais vejam. 

Supervisione sempre a alimentação delas, mesmo as que já cresceram um pouco e que já sabem se alimentar sozinhas. 

Do mesmo modo, fique atento (a) às crianças mais velhas.

Muitos acidentes ocorrem quando os irmãos maiores oferecem alimentos considerados como perigosos para os nenês, inclusive durante uma brincadeira.

Também fique de olho neste tipo de situação.

Você pode cortar os alimentos em pedaços bem finos e, desde cedo, ensine a criança a mastigá-los muito, ou seja, comer devagar antes de engolir.  

Mantenha longe das crianças objetos perigosos!

Mantenha longe do alcance de crianças pequenas itens como moedas, bolinhas de gude, botões, balões de borracha, canetas com tampa removível e brinquedos com peças pequenas e normalmente classificados como inadequados para a faixa etária do seu filho.  

Não coloque nas crianças roupas com botões que sejam fáceis de sair, broches ou detalhes em feltro que podem ser retirados por elas. Isso também pode provocar engasgamento.

Outra condição que pode ocorrer é a criança regurgitar. Dependendo da posição que ela estiver, o vômito pode voltar para a boca e para as suas vias aéreas, ocasionando o temido engasgamento.

Se isso ocorrer, os procedimentos serão os mesmos. Passado algum tempo, quando a criança já consegue segurar alguns objetos, ao crescer um pouco, em diversas ocasiões ela prefere mamar sozinha, segurando com as próprias mãos a mamadeira.

No entanto, os especialistas alertam: nenhuma criança deve tomar sua mamadeira sozinha. Um adulto tem que supervisionar, sempre!