Dr. Jorge Huberman

Como escolher os melhores jogos para crianças

Brincar é algo essencial para o desenvolvimento infantil e os jogos para crianças são excelentes aliados nesse momento.

Tanto os jogos tradicionais de tabuleiro quanto os eletrônicos trazem diversos benefícios para as crianças, impactando positivamente em questões emocionais e físicas, além de contribuir para o aprendizado dos pequenos.

Uma das principais vantagens dos jogos para crianças é a capacidade de trabalhar o raciocínio lógico. Os jogos contribuem também para aumentar a concentração.

Com relação ao aspecto social, principalmente os jogos online para crianças são benéficos, já que seus filhos costumam ter contato com outras crianças da mesma faixa etária. Além de fortalecer vínculos e aumentar o senso de pertencimento, os jogos estimulam o espírito de equipe.

Os jogos para crianças trabalham ainda a persistência, a paciência, a autoestima, a criatividade e a imaginação.

É claro que para desfrutar de todos esses benefícios, as crianças precisam ser devidamente acompanhadas e orientadas por seus pais ou responsáveis. Os adultos devem ficar de olho na classificação indicativa dos jogos, além de definir um tempo máximo por dia para esse tipo de brincadeira.

Qual a diferença entre jogos lúdicos e jogos pedagógicos?

Entre os jogos para crianças, duas categorias se destacam: os jogos lúdicos e os jogos pedagógicos.

Enquanto os primeiros focam principalmente na diversão da criança, os jogos educativos têm uma finalidade adicional: contribuir para o aprendizado.

Por esse motivo, os jogos pedagógicos aparecem com frequência em sala de aula, ajudando os professores no momento de fixar algum conteúdo na mente das crianças.

Em relação a esses dois tipos de jogos, vale dizer que nenhum deles é melhor do que o outro. Na verdade, o ideal é que os jogos lúdicos e pedagógicos sejam combinados para garantir que as brincadeiras estimulem os mais diversos aspectos do desenvolvimento infantil e ainda favoreçam o rendimento escolar.

Além disso, como destaca o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, “cada autor tem alguns tipos de jogos. Para Piaget (1978), por exemplo, o jogo infantil é dividido em três tipos: jogos de exercício, simbólico e com regras. O jogo com exercício ocorre na primeira infância, surge por volta dos 18 meses de vida e compreende manifestações de repetições motoras que oferecem um certo prazer para os bebês.”

O Dr. Jorge Huberman em seu consultório em Moema: pais devem evitar discussões na frente dos filhos
Dr. Jorge Huberman brinca de examinar a Joaninha em seu consultório: além dos jogos educativos e lúdicos existem também os de exercício, simbólico e com regras

O que levar em conta ao escolher um jogo para o seu filho?

São vários os benefícios de incluir jogos para crianças na rotina do seu filho, e no momento de escolher o melhor jogo é comum que surjam dúvidas sobre o que se deve levar em conta.

Em primeiro lugar está a classificação indicativa, garantindo que o jogo não aborde valores ou habilidades com os quais a criança ainda não teve contato.

É importante ainda que os pais leiam a descrição ou a sinopse do jogo antes da compra e, se possível, joguem as primeiras partidas junto com as crianças. Dessa maneira ficará mais fácil observar se o conteúdo do jogo é realmente apropriado para a criança e quais dificuldades ela enfrenta ao jogar.

Em se tratando de jogos educativos, os pais devem se certificar se os conteúdos abordados já vêm sendo trabalhados em sala de aula, evitando pular etapas do ensino ou deixando a criança frustrada por não entender alguma informação. Neste momento, consultar os professores do seu filho pode ser uma boa saída.

Os melhores jogos para cada faixa etária

Tanto os jogos de tabuleiro quanto os jogos eletrônicos costumam contar com classificações indicativas, as quais consideram diversos aspectos do desenvolvimento infantil.

É importante ficar de olho nessa recomendação para escolher os jogos mais adequados de acordo com a faixa etária do seu filho, garantindo que ele esteja pronto para os desafios que serão propostos no jogo em questão.

Vale lembrar que oferecer um jogo recomendado para 8 anos a uma criança de 4 anos, por exemplo, pode atrapalhar o aprendizado e interferir no desenvolvimento sociocognitivo.

Algumas dicas de jogos de acordo com a faixa etária são:

  • Entre 1 e 2 anos: blocos de empilhar e jogos de encaixe
  • Entre 3 e 4 anos: quebra-cabeças e jogos da memória
  • Entre 5 e 6 anos: jogos de perguntas e respostas, jogos de cartas, jogos de palavras
  • Entre 7 e 8 anos: jogos de tabuleiro, jogos de montagem do corpo humano, jogos com experiências científicas
No tapete da sala, duas crianças jogam uma partida de xadrez

Crianças no tapete da sala jogando xadrez: é importante respeitar a faixa etária na hora de escolher os melhores jogos

Caso você fique em dúvida na hora de eleger os melhores jogos para o desenvolvimento infantil do seu filho, conversar com um pediatra de confiança é uma boa pedida. Há também algumas boas sugestões no mercado, entre elas:

Banco Imobiliário e Jogo da Vida

Enquanto o primeiro contribui para o aprendizado de questões sobre educação financeira, o segundo reforça a importância de lidar com as decisões feitas ao longo da vida.

Dixit e Cara a Cara

A primeira recomendação possibilita estimular a imaginação dos pequenos, e o segundo jogo sugerido reforça o raciocínio lógico e a percepção das crianças pequenas.

Minecraft

Partindo para as recomendações de jogos eletrônicos, a primeira dica é a de um dos games mais populares entre os pequenos, o qual ajuda a desenvolver aspectos como criatividade, imaginação e senso de cooperação.

Overcooked

Se o seu filho gosta de ajudar você na cozinha, talvez ele se interesse por esse jogo, que propõe desafios para a entrega de pratos em um restaurante. Tanto a agilidade e a coordenação motora quanto o trabalho em equipe são constantemente estimulados por esse game.

Just Dance

Para os pais que se preocupam com os filhos permanecerem sentados em frente ao computador por muito tempo, esse game é uma boa alternativa, pois traz desafios de dança, garantindo que a criança se movimente bastante durante as partidas.

Regras e cuidados para incluir os jogos na rotina das crianças

Mãe e filho jogam videogame na sala de casa

Mãe e filho no sofá da sala jogando videogame: pais devem acompanhar os filhos durante as brincadeiras

Os jogos trazem diversos benefícios para o desenvolvimento infantil, mas caso os pais e responsáveis não acompanhem a brincadeira, há a possibilidade de os games interferirem na qualidade de vida das crianças.

Algo que se deve ter em mente ao oferecer um jogo para as crianças é de que ele não pode atrapalhar a rotina, prejudicando os estudos ou a realização de alguma atividade extracurricular.

Por isso, recomenda-se estipular um tempo máximo por dia para que a criança jogue, sempre de acordo com a rotina individual do pequeno.

De modo geral, o indicado é que as brincadeiras com jogos não ultrapassem duas horas por dia

Principalmente no caso dos jogos eletrônicos, em que a criança costuma ficar algum tempo sentada, vale orientar seu filho a fazer pausas de tempos em tempos para esticar o corpo, beber água e fazer um lanchinho. Também é indicado se atentar para a postura da criança, evitando problemas de coluna futuramente.

Ainda falando sobre os jogos eletrônicos, no caso de partidas online é importante ensinar à criança sobre os riscos que existem no mundo virtual, orientando o pequeno a não compartilhar dados pessoais com desconhecidos.

Para marcar uma consulta com o Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.

Blog Jorge Huberman