Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Março Lilás: prevenção do câncer de colo de útero
Março lilás é o mês de conscientização sobre a prevenção ao câncer de colo de útero

Março Lilás: prevenção do câncer de colo de útero

Março Lilás é uma campanha feita para promover a conscientização sobre o câncer de colo de útero. A prevenção é a melhor forma de combater a doença e evitar que a mulher enfrente esse tipo de câncer. Por isso, falar sobre o tema é muito importante e necessário para o bem-estar de todas as famílias.

A vacinação contra o vírus HPV, causador da doença, é uma forma de prevenção. Assim como qualquer outra, essas vacinas são importantes e salvam vidas, afinal, é a melhor maneira de prevenir esse tipo de enfermidade.

O câncer do colo do útero, também chamado de câncer cervical, é uma evolução da infecção persistente causada por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV. A infecção genital por esse vírus é muito frequente.

A vacina é disponibilizada gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para meninas de 9 a 14 anos de idade. De acordo com o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, essa faixa etária foi escolhida por ser a que apresenta maior benefício pela grande produção de anticorpos e por ter sido menos exposta ao vírus por meio de relações sexuais.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre câncer de colo de útero
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre câncer de colo de útero (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Contudo, a procura pela vacinação não alcança as expectativas. De acordo com o Ministério da Saúde, apenas 55% das meninas tomaram as duas doses da vacina contra o HPV, em 2020.

O exame preventivo ao câncer de colo de útero, mais conhecido como papanicolau ou colpocitologia oncológica, é fundamental para o diagnóstico precoce da doença.

O pediatra ainda reforça que em 2017 a vacinação foi ampliada para as meninas/adolescentes de 9 a 14 anos e introduzida para a população masculinade 11 a 14 anos e de nove a 26 anos de idade vivendo com HIV/Aids, além de indivíduos submetidos a transplantes de órgãos sólidos/medula óssea e pacientes oncológicos. Em 2021 mulheres imunossuprimidas de 26 a 45 anos também foram incluídas. A vacinação não está disponível no SUS para pessoas imunocompetentes acima de 14 anos.

Por meio do procedimento, é possível identificar lesões precursoras e infecções causadas pelo HPV, antes que se tornem um problema grave.

O diagnóstico precoce é essencial para que a doença não evolua. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de colo uterino é o segundo tumor mais frequente entre as mulheres, ficando atrás apenas do câncer de mama, e acomete mais de 10% delas.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman reforça: “Tome a vacina contra o HPV e faça os exames. Essa é a melhor forma de prevenir a doença e não deixar que ela evolua para um quadro grave”, explica. Caso existam dúvidas sobre a vacinação das crianças, consulte o especialista.

Como identificar o câncer de colo de útero?

Quanto antes iniciar o tratamento, maiores são as chances de cura do câncer de colo de útero
Quanto antes iniciar o tratamento, maiores são as chances de cura do câncer de colo de útero (Foto: Freepik)

O câncer de colo de útero se desenvolve de maneira lenta e é assintomático no estágio inicial. Nesta fase, o exame citopatológico pode detectar o desenvolvimento de alterações celulares. Sendo assim, a atenção e o cuidado com essa doença devem ser redobrados.

A carteira de vacinação e exames referentes ao colo do útero devem estar em dia e não podem ser deixados de lado pelas mulheres. 

Em estágio avançado, existem alguns sinais que o corpo dá que podem te alertar sobre o câncer de colo de útero, como: dores abdominais intensas, desconforto para urinar, secreção vaginal desregulada e sangramento vaginal intermitente, inclusive após relação sexual.

Além disso, a presença do vírus HPV no corpo da mulher pode ser manifestada por meio de verrugas na mucosa da vagina, no colo do útero, na laringe e no esôfago. O exame preventivo papanicolau identifica essas lesões.

A partir de 21 anos de idade, mulheres devem realizá-lo a cada dois anos. Mas é importante fazer o acompanhamento periódico com o médico para evitar qualquer complicação futura.

Faça os exames periodicamente e consulte o médico para o diagnóstico precoce do câncer de colo de útero
Faça os exames periodicamente e consulte o médico para o diagnóstico precoce do câncer de colo de útero (Foto: Freepik)

Vale ressaltar que o exame preventivo é essencial para o diagnóstico precoce da doença. Quando antes o câncer de colo de útero for identificado, maiores são as chances de sobrevivência da mulher, já que o tratamento será iniciado rapidamente.

Existem alguns fatores que podem agravar as chances de desenvolver câncer de colo de útero, como: iniciação sexual precoce, sexo desprotegido com múltiplos parceiros, histórico de outras infecções sexualmente transmissíveis, tabagismo, e uso prolongado de pílulas anticoncepcionais.

Sendo assim, somada a vacinação contra o vírus HPV, o uso de preservativos durante relações sexuais também é um método preventivo – não tão eficaz quanto a vacina, mas ainda sim necessário. Em caso de dúvidas, não deixe de consultar um médico!

Como é feito o tratamento do câncer de colo de útero?

Após o diagnóstico, é necessário iniciar o tratamento para o câncer de colo de útero, que inclui cirurgia, radioterapia, quimioterapia, terapia alvo e imunoterapia. Esses exames podem ser realizados isoladamente ou em conjunto, dependendo do estágio da doença.

Em fases iniciais, ou seja, quando a doença é tratada assim que descoberta, é comum que seja feita uma cirurgia ou radioterapia. Em estágios adiantados, o tratamento indicado passa a ser  radioterapia combinada com quimioterapia.

Para etapas avançadas do câncer de colo de útero, a quimioterapia isolada é, geralmente, o principal tratamento. Mas isso varia em cada caso. O médico especialista deve orientar os pacientes quanto ao melhor procedimento para cada quadro clínico.

Durante todo esse processo da luta contra o câncer de colo de útero, é essencial ter o apoio da família e, além disso, poder contar com uma excelente equipe médica. Todo apoio ajuda a pessoa a lidar com cada fase do tratamento contra o câncer.

A equipe médica de uma mulher que está enfrentando esta doença deve ser formada por oncologista, ginecologista, cirurgião, radioterapeuta e quimioterapeuta. Além deles, profissionais como psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas são fundamentais. 

Todas as decisões relacionadas ao tratamento contra o câncer de colo de útero devem ser tomadas em conjunto.

Prevenção é tudo!

Não deixe de se vacinar e realizar os exames periodicamente. A taxa da morte de mulheres por câncer de colo de útero poderia ser reduzida se os métodos preventivos fizessem parte da rotina das famílias.

Fique de olho nos sinais e, em casos de dúvida, consulte o médico para o diagnóstico correto. Ele é o seu principal aliado quando o assunto é a sua saúde.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.