Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  O que é baby blues e como lidar com a tristeza pós-parto!
A recomendação é que se os sintomas do baby blues estejam incômodos as mães conversem com profissionais de confiança

O que é baby blues e como lidar com a tristeza pós-parto!

Você já ouviu falar de baby blues? Diferentemente da depressão pós-parto, que é bastante conhecida, a tristeza puerperal ou pós-parto não é tão comentada, embora atinja muitas mulheres.

Baby blues é o termo para um tipo de tristeza que está relacionada ao período de puerpério, que se inicia logo após a mulher dar à luz. E essa condição traz algumas sensações que podem ser percebidas e tratadas.

É preciso, portanto, conhecer os sintomas e as particularidades dessa época, não se culpar e entender que é um sentimento temporário, mas que demanda atenção e um cuidado especial.

Logo após dar à luz, é comum que as atenções se voltem ao bebê e que a sua saúde mental e emocional acabe ficando em segundo plano, porém é importante observar os seus sentimentos para ter certeza que tudo está ocorrendo como deveria.

No período pós-parto, o “baby blues” traz algumas alterações no humor e até mesmo uma constante sensação de esgotamento e tristeza, sobretudo porque as mães se sentem obrigadas a estarem felizes e bem dispostas o tempo todo.

Para gerar o bebê, a produção de hormônios como o estrogênio, responsável pela fortificação do útero durante a gravidez, chega a níveis altíssimos, que despencam rapidamente depois do parto, o que causa alterações de humor.

O organismo reage a esse processo que, com o descolamento da placenta de dentro do útero, perde-se a “comunicação hormonal” da mulher com o bebê.

Além da causa hormonal, o baby blues ainda pode surgir do cansaço gerado pelo processo do parto, pelas noites mal dormidas, preocupação excessiva e pela fase de adaptação com uma nova rotina.

O baby blues começa geralmente 3 dias após o parto provando sintomas como tristeza, choro fácil, ansiedade, irritabilidade, insônia e alteração de humor.

Qual a diferença entre baby blues e depressão pós-parto?

As principais diferenças entre o baby blues e a depressão pós-parto estão no período de aparição, durabilidade e intensidade dos sintomas.

O baby blues é mais comum entre as mães, tem um tempo limite de duração, apresenta sinais mais leves e pode até ser um precedente para a depressão pós-parto. Já a depressão precisa de tratamento profissional por conta da maior intensidade e longevidade dos sintomas.

A depressão pós-parto pode surgir em até dois anos após o nascimento do bebê, dura por meses e tem sinais tão intensos que acabam impossibilitando que a mãe realize as atividades do dia a dia normalmente.

Os sintomas são os mesmos de uma depressão comum, começando pela falta de interesse por atividades que anteriormente eram prazerosas, perda ou ganho excessivo de peso, insônia, exaustão, ansiedade, culpa e melancolia

O tratamento para esses casos depende do diagnóstico, mas pede acompanhamento psicológico ou psiquiátrico e pode ou não incluir o uso de medicações especiais, de acordo com o grau da depressão.

É importante ressaltar, também, que o baby blues é passageiro e embora seja parecido com a depressão pós-parto, tem o tempo de duração menor e pode ocorrer mesmo que a mãe não tenha histórico nenhum de depressão antes ou durante a gravidez.

Conheça os sintomas do baby blues; o que é baby blues e como lidar com a tristeza pós-parto!

O baby blues é uma instabilidade emocional comum que tem origem por conta das alterações hormonais repentinas que ocorrem nesse momento
O baby blues é uma instabilidade emocional comum que tem origem por conta das alterações hormonais repentinas que ocorrem nesse momento (Foto: Freepik)

Caracterizado por um estado recorrente de muita sensibilidade e melancolia, que surgem logo nos primeiros dias depois do parto, o baby blues é diagnosticado por especialistas a partir da presença de um conjunto de sinais.

Alguns dos indícios são:

  1. Vontade de chorar constante e por motivos aparentemente simples;
  2. Dificuldade em dormir bem ou insônia;
  3. Sensação de fragilidade e medo;
  4. Falta de disposição;
  5. Falta de confiança;
  6. Tristeza;
  7. Alterações de humor repentinas;
  8. Preocupação excessiva com a saúde do bebê ou a nova rotina;
  9. Dificuldade em se concentrar nas atividades;
  10. Ansiedade, impaciência e irritabilidade.

Esses sintomas podem ser agravados com o cansaço físico, mas é comum que todos eles tenham uma intensidade moderada.

Se sentir os sintomas de forma mais intensa, agende uma consulta com um profissional de confiança, para ter certeza se o baby blues precisa ou não de tratamento médico. Afinal, é preciso prevenir uma possível depressão pós-parto.

O pediatra Jorge Huberman ainda lembra que também existe o baby blues paterno. “Claro que, neste caso, os hormônios não influenciam. Os motivos que podem levar os homens a essa melancolia após o nascimento do bebê são inúmeros. O medo da paternidade – que trará novas responsabilidades – a preocupação em perder a liberdade, questões financeiras, desgaste com a parceira e ansiedade sobre o papel de pai são apenas alguns deles. O importante é que é passageiro”, explica.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre baby blues
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena, em Moema: “os motivos que podem levar os homens a essa melancolia após o nascimento do bebê são inúmeros” (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Quanto tempo dura o baby blues?

Os sintomas do baby blues aparecem para as mães logo no início do puerpério, surgindo dentro dos 10 primeiros dias de vida do bebê. A duração pode variar em cada caso, mas rende cerca de duas semanas.

Uma recomendação essencial, entretanto, é a de que a mãe vá ao médico caso essa fase se estenda por mais tempo. Embora o baby blues seja comum, ele pode agravar e acabar prejudicando a rotina da mãe, do bebê e até mesmo a relação entre os dois.

A American Pregnancy Association (Associação Americana de Gravidez) realizou um estudo que revelou que quase 80% das mulheres acabam desenvolvendo algum sentimento negativo após o nascimento do bebê.

É comum que os sintomas do baby blues podem ser agravados com o cansaço físico, mas é comum que todos eles tenham uma intensidade moderada
É comum que os sintomas do baby blues podem ser agravados com o cansaço físico, mas é comum que todos eles tenham uma intensidade moderada (Foto: Freepik)

Embora nem todas essas mulheres possam ser diagnosticadas com o baby blues, mais de 50% dessas mulheres, de acordo com especialistas, apresentam os sintomas que foram listados acima.

É preciso compreender que o pós-parto é, além de um momento de alegria, um período de muitas adaptações, que podem gerar sentimentos que contrariem a ideia de plenitude e felicidade que muitas mães tendem a acreditar que sentirão com o nascimento do bebê.

Portanto, ao constatar a presença desses sintomas, não se culpe e perceba que aos poucos eles tendem a ir embora, desde que você os respeite, entenda e esteja disposta a realizar pequenas mudanças para melhorar gradativamente.

Aprenda a lidar com o baby blues!

A recomendação é que se os sintomas do baby blues estejam incomodando, as mães devem conversar com profissionais de confiança, seja o pediatra do bebê ou o seu ginecologista, para então decidirem se é preciso o encaminhamento para psicólogo.

Porém o essencial é que o acolhimento necessário, carinho, atenção e apoio estejam sempre disponíveis em casa, para tornar a rotina da mãe mais leve e tranquila, com o cumprimento dos períodos de descanso e repouso regularmente.

Entre as ações que podem contribuir para a melhora do quadro de baby blues, estão os hábitos de falar sobre os seus sentimentos abertamente com familiares e amigos, manter a alimentação e a rotina de sono equilibradas para evitar cansaço físico, e ter a energia necessária para enfrentar a nova rotina e, claro, não deixar de praticar atividades que te fazem feliz.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista, Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.