Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Andador: crianças devem usá-lo?
Criança usando andador infantil: na maioria dos casos, não se recomenda o seu uso

Andador: crianças devem usá-lo?

Este objeto já foi, ao mesmo tempo, amigo e vilão das crianças e, afinal, fica a pergunta; andador infantil: crianças devem usá-lo?

Sem dúvida alguma, de acordo com alguns especialistas, ele é bom para um desenvolvimento saudável das crianças que estão dando os primeiros passos.

Ou seja: para a criança que quer andar sozinha, mas ainda não tem muito equilíbrio, o andador até é útil.

Cabe, é claro, sempre aos pais a decisão pela compra ou não do andador.

O aparelho continua a ser vendido no Brasil. Porém, alguns modelos ganharam novas utilizações, por causa dos riscos que foram identificados nos últimos anos.  

Em primeiro lugar é bom que se recorde: há cerca de 7 anos, o andador foi proibido de ser vendido, de forma oficial, através de uma liminar, depois de uma ação civil pública comandada pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Para isso, os especialistas alegaram que o andador pode levar as crianças a sofrerem acidentes, risco de lesões, podendo provocar sérios danos e consequências indesejadas devido ao seu mal uso.

Em nosso consultório, não recomendamos o uso do andador, afirma o médico Jorge Huberman. “Portanto a melhor maneira para estimular os pequenos é deixá-los brincar no chão, apoiando-se em objetos e até em suas mãos para dar seus pequenos passinhos, até que ele se sinta confiante para fazer isso sozinho”, explica o pediatra e neonatologista.

“No processo de aprendizado, algumas quedas serão necessárias, mas esteja sempre ao lado do bebê, acalmando e passando segurança para ele. Os andadores para bebês são prejudiciais em vários aspectos, por isso não recomendamos. Já os empurradores para bebês desenvolvem mais suas aptidões físicas, intelectuais e cognitivas”, afirma o Dr.Jorge.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman tira uma foto com a paciente Nina em seu consultório, em Moema: médico não recomenda o uso do andador
O pediatra e neonatologista Jorge Huberman tira uma foto com a paciente Nina em seu consultório, em Moema: médico não recomenda o uso do andador

Em segundo lugar, também é bom que se lembre: crianças que utilizam o andador correm o risco de prejudicar o seu desenvolvimento.

Ou seja, aprender a andar usando o andador prejudica o desenvolvimento do bebê.

Além disso, muitos dos andadores para bebês ofereciam riscos de acidentes pois um pouco antes dessa liminar entrar em vigor, a maioria das marcas existentes no mercado havia sido reprovada em testes do Inmetro

A partir de então, o Inmetro passou a certificar o produto, tendo como base a regulamentação emitida pela ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Por isso, somente os modelos com o selo de aprovação do Inmetro podem ser vendidos. As marcas que descumprirem tais recomendações serão multadas.

Andadores infantis tem venda proibida em algumas cidades

Criança sorrindo ao usar andador:  venda do produto está proibida em algumas cidades.
Criança sorrindo ao usar andador: venda do produto está proibida em algumas cidades

Algumas cidades têm leis específicas sobre o uso do produto. No sul do Brasil, em Passo Fundo, por exemplo, a venda é proibida. Já em Belo Horizonte, não se permite a sua utilização em escolas e creches. 

Há muitos anos já, desde que o pedido da liminar fosse acatada, a Sociedade Brasileira de Pediatria vem fazendo uma campanha para que os pais não ofereçam andadores para os seus filhos. Também realiza, com frequência, ações que não permitam a venda dos andadores para as crianças.

Para a SBP, além do equipamento não ser seguro, acaba prejudicando o aprendizado das crianças, já que não estimula o processo natural de aquisição dos movimentos (como rolar, sentar, engatinhar e caminhar), pois a criança, com frequência, apoia somente a ponta dos pés no chão enquanto desliza ao fazer o uso do produto.  

O Canadá, para citar outro exemplo, foi o primeiro país a proibir a sua utilização, depois de várias pesquisas demonstrarem alto número de lesões ocorridas com as crianças.

Na Áustria, um estudo afirma que mais de 50% das famílias com filhos que sofreram acidentes usavam andadores em suas casas. O pior: uma em cada cinco crianças já havia se acidentado.

Já a Aliança Europeia para a Segurança Infantil diz que o aparelho é o que mais provoca lesões nos pequenos, sendo 90% delas na cabeça.  

O que acontece se meu filho usar o andador? 

Um dos maiores perigos do andador é que ele passa uma sensação falsa de tranquilidade aos pais e responsáveis.

Ocorre diversas vezes de os adultos deixarem a criança andando até mesmo sozinha pela casa, usando o andador e vão para outra dependência da casa para fazer outra tarefa, sem se conscientizarem dos altos riscos que as crianças podem estar correndo.  

Do mesmo modo, as pessoas podem não perceber, mas o andador chega a se movimentar até um metro por segundo no chão, o que é bastante rápido.

Sem sermos alarmistas, mas se os pais ou familiares próximos não estiverem observando os pequenos, a criança pode chegar perto demais do fogão, do forno quente, do ferro ligado e da beira da piscina.

Até mesmo um aparente desnível no chão ou mesmo um brinquedo fora do seu lugar já podem provocar algum acidente!

Do mesmo modo, queimaduras e afogamentos são só alguns dos riscos, além das quedas, nas quais, com frequência, a cabeça da criança será a primeira parte do corpo que será atingida, podendo ocasionar até mesmo um traumatismo craniano fatal.  

A utilização do andador pode ainda comprometer o desenvolvimento motor deles, pois as crianças não apoiam o pé de modo adequado para andar e, em determinados casos, isso vai resultar em eventuais cirurgias para correções no dorso, nos tornozelos ou nos dedos.

Usando andador, a criança nem mesmo fica na posição recomendada para aprender a caminhar, e isso pode atrasar o primeiro passo “real” do seu filho.

Qual é a alternativa sobre o andador infantil?  

Andador infantil: crianças devem usá-lo?
Criança usando andador infantil: quem optar por sua compra tem que verificar as suas especificações

Os produtos infantis que são certificados pelo Inmetro têm condições de serem usados depois da adoção de certos cuidados para a diminuição de acidentes, como o travamento de rodinhas, assentos que não ficam muito rebaixados quando o bebê se senta e componentes que não irão se soltar.

Por esse motivo, a primeira dica para as famílias que pensar em comprar o equipamento para ajudar na rotina da criança é verificar as especificações do andador.

Andador infantil deve ser usado apenas em lugares seguros

Já quando estiver em casa, o andador deve ser utilizado somente em locais seguros. Isso quer dizer que a criança tem que permanecer em um piso uniforme, sem escadas e piscinas por perto, nem nada que, eventualmente, possa causar acidentes, como produtos tóxicos ou toalhas de mesa estendidas.  

Para a criança poder se movimentar de forma livre, usando o andador, sempre é necessário que um adulto esteja no mesmo espaço que ela, observando seus movimentos.

Por isso, nem pense em deixar o bebê usando andador sozinho, ele fica na sala e você na cozinha, ou no celular. A criança deve ser acompanhada para que os riscos da utilização do andador infantil sejam minimizados, sem nenhum acidente. 

Um detalhe: certos andadores infantis foram reformulados e agora são “apresentados” como uma espécie de central de atividades. A diferença é que alguns não tem o assento para a criança, mas é uma excelente alternativa para estimular a criança a ficar em pé, apoiada sobre a mesa, para descobrir as atividades que o brinquedo possui.

Quem prefere este aparelho tem que deixá-lo próximo a uma parede, pois, se o bebê já tiver força suficiente para empurrá-lo, ele pode cair, se machucar, e irá bater a testa no brinquedo.  

Para quem ainda está em dúvida sobre o uso do andador infantil, pode-se dizer que sim, ele até pode ser utilizado; porém, não é necessário e nem recomendado pelos especialistas.

Por isso, tenha o máximo possível de cuidado com ele e, dentro do possível, deixe que seu filho se desenvolva naturalmente, enfrentando, passando por todas as fases de aquisição motora, normalmente. Com certeza, será uma aventura para ele e uma grande diversão e orgulho para você!

Para marcar uma consulta com o pediatra Jorge Huberman, ligue para: (11) 2384- 9701