Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Alergias no inverno: sintomas e como tratar
alergias no inverno

Alergias no inverno: sintomas e como tratar

A onda de frio chegou ao Brasil há algumas semanas e pegou muitas famílias de surpresa. Nessa época de inverno e mudanças bruscas de temperatura, é extremamente importante redobrar a atenção com a saúde, principalmente das crianças. Por isso, é essencial tratarmos do tema; alergias no inverno: sintomas e como tratar.

Além de aumentar os índices de transmissões de algumas doenças, como gripe e até mesmo a Covid-19, o clima frio também pode trazer indesejadas alergias e doenças respiratórias. 

Estima-se que cerca de 30% da população seja alérgica, e o inverno é a época em que os sintomas dessas condições tendem a aparecer de forma mais forte e enfática.

Pensando nisso, ajudamos a identificar algumas alergias que crescem nesta época do ano, além de dicas de como preveni-las, para garantir sua saúde e de sua família. 

Três alergias comuns no inverno 

Dentre as alergias que mais aparecem no inverno estão aquelas relacionadas ao sistema respiratório e algumas que envolvem a pele. 

Asma e rinite alérgica 

A alergia mais frequente durante essa época do ano é a asma e a rinite alérgica, somando a maioria das ocorrências nos hospitais.

Isso acontece principalmente pela queda da umidade do ar durante esta estação do ano. 

No Brasil, cerca de 10% da população possui asma e, dessas, 78% possuem rinite alérgica, conforme a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, ASBAI.

No caso de ambas as alergias, o diagnóstico médico é imprescindível para o tratamento correto. Isso porque, em muitas situações, os sintomas podem ir além do inverno e persistir por todo o ano. 

Se durante os climas mais frios, a criança sentir falta de ar, coceira e vermelhidão nos olhos acompanhados de espirros frequentes, procure o pediatra do seu filho.

Esses são os principais sintomas dessas alergias. O médico vai avaliar o caso, e ver a melhor forma de tratar. 

Alergia ao frio 

Em segundo lugar, entre as alergias mais frequentes no inverno, está “urticária ao frio” ou “alergia ao inverno” – ou seja, acontecem exclusivamente por conta do frio.

O contato com a água ou até mesmo vento e objetos gelados, podem provocar essa alergia. 

Essa reação alérgica que acontece em baixas temperaturas, tem como principal sintoma erupções avermelhadas na pele, que coçam muito. O inchaço no corpo também é comum e pode aparecer. 

Daí a importância de manter as crianças bem agasalhadas no frio. As roupas ajudam a prevenir essa reação. 

De acordo com o pediatra Jorge Huberman, crianças com dermatite alérgica precisam de atenção redobrada no inverno. “Embora seja bem comum entre crianças e adultos, a chamada dermatite alérgica é ainda mais frequente na infância, já que costuma aparecer por volta dos três meses de idade e, em 60% dos casos, desaparecer até os doze”, explica.

Bronquite alérgica 

A bronquite alérgica ocupa a terceira posição entre as alergias mais comuns no inverno, mais uma vez causada pelo ar gelado e seco nas vias respiratórias. 

Essa alergia se caracteriza pela inflamação das vias que levam o ar até o pulmão. Essa inflamação pode ser facilitada no inverno pela falta de proteção. 

Assim como no caso das outras duas alergias, é essencial consultar o pediatra para ver a forma mais adequada de tratá-la. 

Porque as alergias no inverno são mais frequentes entre as crianças?

alergias no inverno
É preciso ficar de olho nos sintomas das alergias que aparecem no inverno (Foto: FreePik)

Os episódios de crises de alergia, seja no inverno ou não, são mais comuns entre as crianças porque a imunidade ainda está em desenvolvimento nessa fase. 

Além disso, adultos já passaram pelas mais diversas situações e, com o tempo, a maioria tem a tendência de já saber quais alergias possuem e como tratar os sintomas quando eles aparecem – o que não é o caso das crianças, cujos corpos ainda estão se descobrindo. 

Como prevenir as alergias que aparecem no inverno

Para minimizar as alergias típicas dessa estação, a primeira dica é se vestir apropriadamente. Esse é o momento em que nós, brasileiros, temos que usar as roupas de lã, jaquetas e cobertores que ficam a maior parte do ano guardados no armário. 

Se manter bem aquecido e protegido do vento e clima gelado é essencial para diminuir os casos de alergias, que são tão frequentes nesta época do ano. 

Mas vale ressaltar que não basta apenas tirar do guarda-roupa e colocar no corpo. Antes de usar, principalmente no caso de roupas quentes, que ficam muito tempo paradas, é super importante higienizá-las.

O ideal é que elas sejam lavadas com água quente e que se aplique 50 ml de alguma substância fungicida (fungicil, por exemplo) na água de enxágue.

Feito isso, deixe a roupa secar no sol para e passe com ferro quente. 

Esse processo vai ajudar a eliminar possíveis fungos e até mesmo bactérias que estejam na roupa, para evitar mais doenças ou alergias. É importante usar a substância fungicida também no guarda-roupa, limpando-o com um pano. 

Limpeza é tudo! 

Muito além do cuidado com a limpeza da roupa é preciso também ficar de olho no ambiente em que a criança com alergia está vivendo, principalmente o quarto, onde ela passa a maior parte do tempo. 

crianças têm mais alergia no inverno
O melhor tratamento deve ser indicado por um médico (Foto: FreePik)

É importante que essa criança com alergia durma em um quarto cujo piso possa ser lavável e sem cantos que acumulam pó. 

No caso de quartos com carpete, é recomendado um tratamento contra fungos e bactérias. Entretanto, vale ressaltar que esse tratamento não é recomendado se houver bichos de estimação em casa. 

A cama também deve receber um olhar especial, já que é nela que acumula-se a maior quantidade de ácaros, grandes inimigos dos alérgicos. 

Para evitar problemas, use capas antiácaros em colchões e travesseiros e sempre prefira cobertas que não sejam felpudas, priorizando o uso de edredons.

Quanto a itens decorativos, como estantes com livros ou brinquedos, é essencial deixar sempre o mais limpo possível, já que a poeira também é inimiga da alergia.

Outra dica super útil, é evitar cortinas, priorizando persianas, porque são mais fáceis de limpar.

Em quarto de crianças, os ursos de pelúcia também podem ser grandes inimigos, já que acumulam muito pó e sujeira e não podem ser higienizados com tanta frequência.

Então, é o momento de guardá-los em outro ambiente, pelo menos nesta época do ano. 

Todo cuidado com a limpeza é válido! 

Alergia tem cura? 

Por último, mas não menos importante, vale ressaltar que as alergias não têm cura, mas podem ser controladas com o acompanhamento correto.

Justamente por isso, é essencial que o pediatra seja consultado no caso dos sintomas. 

O profissional vai orientar sua família com a melhor forma de seguir, passando medicações apropriadas e, em alguns casos, pedindo exames para avaliar a saúde e descobrir mais detalhes sobre a alergia.

Portanto, não deixe de consultar um médico! 

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.