Dr. Jorge Huberman

Alergias mais comuns em bebês

Você já deve ter percebido que quando um bebê chega para completar a família, tudo muda! As preocupações são outras e os cuidados aumentam, principalmente quando o assunto é saúde do recém-nascido. Isso porque o organismo dele ainda é muito sensível e delicado, o que exige que os pais fiquem atentos às alergias mais comuns em bebês.

A primeira coisa a se considerar é que após a saída do útero, o ambiente externo é novo e desconhecido para o seu filho. O corpo dele ainda não está preparado para todos os microrganismos, alterações de clima e temperatura que acontecem do lado de fora.

É gradualmente e desde os primeiros dias de vida que a pele passa por diversas transformações para ficar pronta para essa nova fase da vida. E, nesse meio tempo, como o sistema imunológico ainda está se desenvolvendo, algumas alergias são comuns de acometer os bebês.

Não se desespere! Caso perceba alguma irritação na pele do seu filho ou outro sintoma de alergia, não pense duas vezes antes de consultar o pediatra. Ele é o seu principal aliado para garantir o desenvolvimento saudável do bebê e está pronto para esclarecer todas as suas dúvidas.

Como identificar as alergias mais comuns em bebês?

O primeiro passo é manter um olhar sempre atento. Alguns sintomas são sutis, mas se prestar atenção nos detalhes, é possível identificá-los logo no início e iniciar o tratamento precocemente.

Dependendo da alergia, os sintomas diferem, mas geralmente a criança pode apresentar pele muito seca, irritação, coceira em excesso, manchas avermelhadas pelo corpo, irritabilidade e, em alguns casos, coco com sangue.

Ao identificar os sinais, tente ficar calmo e procurar o atendimento médico, para que o pediatra investigue a causa, dê o diagnóstico correto e trate corretamente a alergia no bebê.

Alergias mais comuns em bebês: de olho na pele

As alergias de pele são as que mais acometem os bebês
As alergias de pele são as que mais acometem os bebês (Foto Freepik)

Entre as alergias mais comuns nos pequenos estão aquelas associadas à pele. Como este órgão ainda é muito fino e sensível, está mais suscetível a alergias, infecções e irritações, exigindo cuidado e atenção redobrados.

●        Dermatite atópica

Doença crônica e hereditária não contagiosa que causa inflamação na pele, levando ao aparecimento de lesões e coceira intensa. Em crianças e bebês, aparece geralmente no rosto, nos cotovelos ou nos joelhos.

Os ferimentos provocados por coçar a pele podem acabar sendo contaminados por bactérias ou vírus. Por isso, embora tenha vontade, é importante não deixar que o bebê coce o corpo – isso só vai piorar ainda mais o processo de recuperação.

O tratamento para a dermatite atópica inclui cremes de hidratação profunda na pele, além do uso de antialérgicos para diminuir a coceira e inchaço. Além disso, usar sabonetes neutros e secar bem a pele do nenê após o banho ajuda a mantê-la saudável e sem crises de coceira ou irritação.

As roupas do bebê, assim como as roupas de cama e banho, devem ser de tecidos leves e não-alérgicos. Nesse caso, lenços umedecidos, pomadas e produtos perfumados devem ser evitados.

●        Alergias a tecidos

Por ser ainda muito sensível e delicada, a pele do nenê pode despertar reações alérgicas quando em contato com alguns tipos de tecidos como lã, náilon ou flanela, que impedem que a pele respire adequadamente.

O recomendado é identificar o tipo de tecido que faz o bebê apresentar os sintomas de alergia e tirá-lo do guarda-roupa. O mais indicado é que a criança use roupas de tecido de algodão que, além de ser mais macio e leve, previne o surgimento de brotoejas motivadas em períodos de muito calor.

●         Alergias ao calor

A época mais quente do ano, o verão, chegou e os pais precisam estar em alerta para garantir que o bebê esteja refrescado e livre de possíveis alergias relacionadas ao calor, isso envolve o uso de roupas em excesso ou também alta exposição ao sol.

As crises de dermatite tendem a ser mais frequentes nos dias mais quentes. A alergia manifestada pelo calor provoca brotoeja na pele –  pequenas bolas vermelhas que podem surgir no pescoço, debaixo dos braços ou na região da fralda, que coçam e deixam o nenê desconfortável e irritado.

Para evitar as reações, é importante vestir o bebê com roupas adequadas ao clima da região, dando preferência às de tecido leve, fino e de algodão. Para aliviar os sintomas, o pediatra pode indicar o uso de cremes calmantes e pomadas com anti-histamínicos.

Caso identifique os sintomas, leve o seu filho ao médico. Ele é o único que pode indicar o tratamento correto com medicamentos que surtirão efeito conforme a demanda específica do seu bebê. 

Alergias mais comuns em bebês podem partir das vias respiratórias

Conheça algumas alergias mais comuns em bebês
Conheça algumas alergias mais comuns em bebês (Foto Freepik)

Acontece quando ocorre inflamação das vias aéreas. Entre os principais sintomas estão coriza, obstrução nasal, coceira nos olhos e espirros, respiração ofegante, chiado no peito, tosse crônica e falta de ar.

●        Bronquite

Doença respiratória que inflama os brônquios e alvéolos pulmonares, responsáveis por conduzir o ar inalado até os pulmões. Costuma ser desencadeada por poluentes no ar, fumaça e ácaros.

Os principais sintomas da bronquite são: febre, peito chiando, dificuldade para respirar, tosse com secreção, garganta irritada e coriza.

A alergia pode ser bacteriana ou viral. Caso tenha origem bacteriana, o tratamento conta com o uso de antibióticos, bem como de broncodilatadores e de hidratação nasal, como os descongestionantes, de inalação e o soro fisiológico.

●        Rinite é uma das alergias mais comuns em bebês

Inflamação da mucosa do nariz que gera irritação na região. Os principais sintomas são: coriza, coceira no nariz, espirros constantes, congestionamento nasal, choro e irritação.

Para que o tratamento seja bem-sucedido, é importante eliminar do ambiente qualquer foco de poeira, mofo e ácaros, deixando os espaços sempre ventilados e limpos. Se no quarto do bebê houver muitos bichos de pelúcia, é melhor retirá-los até que os sintomas sumam.

Além dessas medidas, os médicos costumam recomendar antialérgicos e o uso de soro fisiológico para lavar o nariz.

●        Asma

Doença inflamatória crônica que afeta as vias aéreas, fazendo com que elas fiquem mais estreitas e dificultem a passagem do ar. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, mais de 20 milhões de pessoas sofrem com as crises de asma.

Os fatores que podem desencadear uma crise de asma são ácaros, pólen de flores, fumaça de cigarro, poluição, fungos, mofos, e poeira. Os principais sintomas são: dificuldade de respirar, dor no peito, peito chiado, tosse constante e respiração rápida e respiração rápida e curta.

Devido à dificuldade de respirar, uma crise de asma nos pequenos pode ser muito preocupante e ele deve ser levado ao hospital imediatamente para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível. Nesses casos é feito o uso de bombas de broncodilatadores, anti leucotrienos e corticoides – a inalação.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman, explica que no caso de uma reação alérgica grave, pode haver perda de consciência. “Se você suspeita que seu filho ou outra criança sob seus cuidados tem algum tipo de alergia, procure ajuda médica. Em casos graves, de alergias já conhecidas, é importante ter epinefrina por perto – esse remédio tem um potente efeito antiasmático, vasopressor e estimulante cardíaco, utilizado em casos de emergência”.

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre alergias mais comuns em bebês
O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre exames que todo bebê deve fazer (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Embora essas sejam as alergias mais comuns em bebês, você viu que existem algumas formas de preveni-las. Lembre-se sempre de contar com a ajuda do pediatra e ouvir as indicações dele. Juntos, é possível fazer com que o seu filho cresça e se desenvolva de forma leve e saudável.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701

Blog Jorge Huberman