Dr. Jorge Huberman

  >  bebês   >  Agosto dourado: mês do aleitamento materno
Aleitamento materno: Agosto Dourado é o mês do aleitamento, reforçando os benefícios da amamentação, tanto para a mãe como também para o bebê

Agosto dourado: mês do aleitamento materno

Agosto Dourado é o mês do aleitamento materno, reforçando os benefícios da amamentação, tanto para a mãe como também para o bebê.

A campanha anual sobre o Agosto Dourado foi lançada pela WABA (Aliança Mundial para Ação em Amamentação), há 38 anos, tendo como meta dar visibilidade a amamentação e incentivando diversos grupos, em todo o mundo, a trabalhar o assunto na prática. 

A iniciativa sempre conta, todos os anos, com o apoio das Nações Unidas, a ONU, e também da Organização Mundial de Saúde, OMS, atestando assim a importância tanto da Semana Mundial de Aleitamento Materno, celebrada no começo de agosto, como também sobre o grande valor do aleitamento.

Sem dúvida, o leite materno é benéfico para mãe e filho. Além do valor nutritivo ao nenê, seja com um ou seis meses de idade, o leite materno beneficia e traz proteção aos pequenos, principalmente aos recém-nascidos, contra infecções, alergias, doenças crônicas e o temido câncer infantil.

Já para a mamãe, a amamentação limita o peso de forma mais rápida depois do parto, auxilia o útero na recuperação, na volta ao seu tamanho normal; diminui eventuais riscos, tanto de hemorragia, como também de anemia e limita o risco de diabetes.

Da mesma forma, diminui as chances de potencializar o câncer de mama e de ovário.

Além disso, amamentar é importante pois ajuda no contato bem mais próximo entre a mãe e o seu bebê. Mamar no peito é um ótimo exercício para o desenvolvimento da face da criança, principalmente se for feito todos os dias.

Fora que também ajuda a criança a ter dentes bonitos, desenvolver a fala e também uma respiração correta durante a vida.

Os benefícios recebidos na infância por conta da amamentação são tão importantes que refletirá até a vida adulta, reduzindo riscos de diversas doenças. 

Os benefícios da amamentação para o bebê

Bebê mamando no peito da mãe: amamentação materna beneficia mãe e filho
Bebê mamando no peito da mãe: amamentação materna beneficia mãe e filho

Um dos grandes benefícios da amamentação para o bebê é que o leite materno traz proteção contra diarreias, infecções respiratórias e alergias.

Do mesmo modo, a amamentação materna diminui bastante os riscos de hipertensão, colesterol alto e diabetes.

Além disso, reduz as chances de a criança ficar obesa. Os bebês que amamentam no peito são mais inteligentes, segundo estudos, do que os nenês que não o fazem.

De acordo com estes levantamentos, o leite materno colabora com o desenvolvimento cognitivo. Da mesma forma, existe uma estimativa de que o aleitamento materno pode evitar até 13% das mortes em crianças menores de 5 anos no mundo inteiro. 

As vantagens para a mãe na amamentação

Não é só o filho que ganha com a alimentação materna: ela traz vantagens para a mãe também já que reduz o peso de forma mais rápida depois do parto.

Por isso, é importante que mães e pais apoiem o aleitamento. Até porque ajuda muito a saúde da mulher no pós-parto.

Fora isso, auxilia o útero na recuperação do seu tamanho normal. Isso diminui o risco tanto de hemorragia, como de anemia, após a realização do parto.

Sobre o número ideal (quantidade) e a duração das mamadas, o que se recomenda é que a criança seja amamentada na hora em que ela quiser e quantas vezes ela desejar. É o que se denomina de “amamentação em livre demanda”.

Nos primeiros dias e nos primeiros meses da sua vida, é normal que a criança mame com bastante frequência e sem ter horários regulares, sem uma rotina pré-estabelecida. 

De forma geral, um bebê que realiza o aleitamento materno exclusivo realiza suas mamadas de oito a doze vezes por dia.

Muitas mães, essencialmente as que estão inseguras ou com problemas de baixa autoestima, normalmente interpretam esse comportamento normal como sendo um sinal de fome do bebê, leite fraco ou pouco leite.

Isso pode resultar na introdução precoce e, muitas vezes, desnecessária de alguns complementos.

Na verdade, a mãe tem que deixar o bebê mamar até que ele fique satisfeito, aguardando ele esvaziar uma das mamas para só então oferecer a outra, caso ele queira. 

É bom que se observe: o leite do começo da mamada possui mais água e mata a sede; já o do fim da mamada possui mais gordura e por este motivo acaba com a fome do bebê e faz com que ele ganhe mais peso.

Bebê tem que esvaziar bem as mamas da mãe

Mãe amamentando o seu filho: começo da mamada é mais forte por causa da fome do bebê
Mãe amamentando o seu filho: começo da mamada é mais forte por causa da fome do bebê

No começo da mamada, o bebê mama no peito com um pouco mais de força porque está com mais fome e, desta forma, esvazia melhor a primeira mamada que é oferecida.

Por isso, é interessante que a mãe inicie cada mamada pelo peito em que o bebê mamou por último, na mamada anterior.

Deste modo, o bebê poderá esvaziar bem as duas mamas, o que é interessante para a mãe produzir bastante leite. 

O tempo de “permanência” na mama, em cada mamada, não deve ser fixo, visto que o tempo gasto para esvaziar uma mama varia para cada dupla mãe/bebê e, em uma mesma dupla, pode variar, dependendo da fome da criança, do intervalo ocorrido a partir da última mamada e do volume de leite armazenado na mama, entre outros.

Dicas do Ministério da Saúde sobre a amamentação no mês do aleitamento materno

O Ministério da Saúde fornece várias dicas a respeito da amamentação correta.

Em primeiro lugar, o bebê tem que pegar bem o peito, abocanhando a aréola (parte escura em volta do bico). Não dê chupetas ao seu nenê, já que pode atrapalhar a pega e também a sucção do leite;

A mãe deve lavar o peito só com água: não deve passar sabonete, muito menos pomada nas mamas. Seu sutiã deve estar sempre seco;

Caso tenha rachaduras nos mamilos, veja se a pega está correta e tente modificar a posição do bebê mamar; 

É recomendável pegar sol nas mamas, seja de manhã ou mesmo à tarde. Aproveite a situação e dê um banho de sol no seu nenê também. O ideal é que ele fique sem a sua roupinha, para o sol bater de forma direta em sua pele. 

Se as mamas estiverem muito cheias ou então endurecidas, é preciso tirar o excesso de leite, o que trará alívio para você e, do mesmo modo, irá facilitar a pega pelo bebê. Peça sempre orientação a um pediatra!

Vale sempre ressaltar: é imensa a importância de amamentar o nenê desde o seu nascimento.

“Beba mais água, alimente-se de forma saudável, descanse nos intervalos das mamadas e, principalmente, coloque o bebê para mamar mais vezes”, afirma o pediatra Jorge Huberman. “Isso é fundamental, pois a sucção faz liberar mais ocitocina, responsável por aumentar a produção de leite”, finaliza o médico neonatologista.

O pediatra Jorge Huberman ao lado do paciente Antônio: neonatologista recomenda que a mãe beba bastante água e alimente-se de forma saudável
O pediatra Jorge Huberman ao lado do paciente Antônio: neonatologista recomenda que a mãe beba bastante água e alimente-se de forma saudável

Para marcar uma consulta com o pediatra Jorge Huberman, ligue para: (11) 2384- 9701