Dr. Jorge Huberman

  >  crianças   >  Primeiro-socorros: o que fazer em acidentes infantis
É importante saber os primeiros-socorros para estar preparado em casos de acidentes

Primeiro-socorros: o que fazer em acidentes infantis

Ter uma criança em casa é motivo de atenção redobrada. Isso porque a infância é a fase mais curiosa e energética que o seu filho vai ter. Criança gosta de brincar, explorar, correr, pular e com isso, alguns acidentes podem acontecer. Para saber o que fazer em acidentes infantis, é preciso conhecer os primeiros socorros.

O risco de algum acidente ocorrer com o seu filho aumenta quando, ainda bebê, ele desenvolve habilidades como virar o corpo, engatinhar e pegar objetos, por exemplo. É fato que desde o nascimento, seu nenê precisa ser protegido, mas, ao longo do tempo, vale redobrar a atenção para não deixar que nada de ruim aconteça.

Para evitar que seu bebê se machuque, a primeira coisa a ser feita é adaptar e preparar sua casa para receber uma criança. De acordo com o Ministério da Saúde, os acidentes domésticos são a principal causa de morte até os 9 anos de idade.

Portanto, objetos de risco devem estar fora do alcance dos pequenos.

O Datasus elaborou em 2016 um ranking das mortes por acidentes de crianças e adolescentes de zero a 14 anos de idade no Brasil. Em primeiro lugar, estão os acidentes de trânsito, com 1292 casos. Logo em seguida, estão: afogamento, com 913; sufocação, 826; queimadura, 209; queda, com 183, e intoxicação, 74.

O conhecimento de noções básicas de primeiros socorros é fundamental para garantir o bem- estar do seu filho e saber a forma certa de socorrê-lo em casos de acidentes. Quanto antes atendida, maiores são as chances que a criança ficará bem e mais fácil ainda se torna o trabalho de médicos, nas emergências, e de paramédicos, nos serviços de resgate.  

Técnicas essenciais de primeiros-socorros

Existem algumas técnicas essenciais de primeiros-socorros que, definitivamente, todos deveriam saber e são primordiais para quem tem crianças em casa. Elas são fundamentais em casos de acidente graves, adiantam o trabalho de paramédicos e podem, realmente, salvar vidas!

As manobras de ressuscitação cardiopulmonar, também conhecidas apenas pelas siglas RCP, são feitas para garantir a oxigenação dos órgãos quando a circulação do sangue para. Primeiro de tudo, confira se a criança está respondendo, caso não esteja, chame a emergência e comece a técnica de reanimação.

O procedimento consiste em deitar a criança em uma superfície plana e apoiar uma das mãos no peito da dela – entre o coração e os mamilos. Em seguida, é necessário pressionar o tórax com os braços estendidos com uma mão sob a outra. Depois, conte duas compressões por segundo até a chegada dos paramédicos ao local.

Evite deixar a criança perto de lugares com água, como piscinas também
Evite deixar a criança perto de lugares com água, como piscinas também (Foto: Freepik)

A manobra de desobstrução de vias aéreas é usada em casos de engasgos, por exemplo. Quando a criança estiver consciente, posicione-se atrás dela e a abrace com os dois braços. Cerre o punho de uma das mãos e o pressione para dentro e para cima na metade da distância entre o umbigo e o osso esterno. Repita quantas vezes for necessário! Veja como fazer aqui.

Caso a criança esteja inconsciente, acione a emergência assim que encontrá-la. Coloque-a deitada de costas em uma superfície plana e inicie as compressões cardíacas. Após 30 compressões, abra a boca da criança e veja se existe algum alimento ou objeto. Se sim, tente removê-lo usando apenas os dedos indicador e médio como pinça.

Caso o elemento causador do engasgo não seja visível, tente ventilar duas vezes a região e reinicie as compressões. Repita o ciclo até que o corpo estranho seja removido ou que a emergência chegue ao local.

Acidentes e primeiros-socorros

Pais, mães e responsáveis devem estar preparados e saberem como agir em casos de qualquer tipo de acidentes envolvendo crianças. O pediatra é um aliado, que pode te indicar como deixar o ambiente seguro e também te ensinar os cuidados principais a serem tomados quando a criança se machucar.

  • Afogamento: primeiramente, evite deixar a criança sozinha perto de baldes, banheiras e vasos sanitários. Caso a criança se afogue, tire-a da água e a mantenha aquecida. Cheque o pulso e se perceber que ela não está respirando, é necessário iniciar o RCP até que o serviço de emergência chegue.
  • Engasgo/asfixia: É possível que a criança tenha ingerido algum alimento ou objeto que entupiu suas vias respiratórias, impedindo que ela respire corretamente. Nesse caso, estimule-a a tossir, mas se ela não conseguir desengasgar sozinha, abrace-a pelas costas, na altura do peito, e faça pequenas compressões com as mãos fechadas. Se a criança estiver inconsciente, chame a ambulância imediatamente!
  • Queimaduras: identifique a causa deste acidente e, logo em seguida, resfrie o local atingido. Não acredite nas técnicas caseiras, como pasta de dente, café ou manteiga na área ferida. Apenas lave com água fria e corrente e observe. Se aparecerem bolhas, trata-se de uma queimadura de segundo grau e o médico deve ser consultado. 
  • Intoxicação: pode ser ocasionada por inalação, ingestão, ou contato pele a pele com substâncias tóxicas. Os principais sintomas são irritação nos olhos, garganta e nariz, convulsões, vômito, diarreia, salivação excessiva, tontura e sonolência. É fundamental identificar o elemento causador da intoxicação e levá-lo junto com a criança ao médico.
Em qualquer acidente, consulte o pediatra. Ele vai te ajudar a garantir o bem-estar do seu filho
Em qualquer acidente, consulte o pediatra. Ele vai te ajudar a garantir o bem-estar do seu filho (Foto: Freepik)

Saiba o que fazer em casos de acidentes infantis

Choque elétrico:  antes de correr em direção a criança, analise a situação e veja o que levou ao choque para evitar outro. Corte a energia elétrica do ambiente e espere alguns segundos para socorrê-la, utilizando um calçado com solado de borracha – isolante elétrico. Observe o pulso e os movimentos respiratórios. Se necessário, inicie a reanimação cardiopulmonar.

Quedas: Observe se a criança está inconsciente. Certifique-se de que não houve fraturas e faça uma compressa de gelo. Se alguma região apresenta inchaço anormal, pode ter acontecido alguma fratura, então mantenha a criança deitada e imobilizada e aguarde a chegada da emergência.

Cortes: lave a região com água e sabão. Estanque o sangramento usando gaze ou panos limpos, fazendo compressões no local. Em casos de cortes profundos e sangramentos intensos, chame o médico.

O pediatra e neonatologista Jorge Huberman, reforça que cuidar de uma criança requer habilidades e conhecimento básicos em alimentação, higiene e vestimenta. “Além disso, devemos estar preparados para situações de emergência, pois todos nós estamos sujeitos a acidentes, principalmente a criança, que desde o nascer passa a explorar o mundo com intensidade”

O pediatra e neonatalogista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre primeiros-socorros
O pediatra e neonatologista, Dr.Jorge Huberman, em seu consultório, no Instituto Saúde Plena fala sobre primeiros-socorros (Foto: Kesher Conteúdo/Divulgação)

Em qualquer dúvida, consulte o pediatra! Ele vai te indicar a melhor forma de adaptar a casa para a criança e ensinar ótimos métodos para ajudar seu filho em casos de acidente.

Para marcar uma consulta com o pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman, ligue para (11) 2384-9701.